ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  11    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Dourados será epicentro do coronavírus em MS, diz secretário de saúde

Só neste sábado, atualização do boletim traz 24 novos casos de covid-19, após morte de venezuelana de apenas 27 anos

Por Izabela Sanchez, Guilherme Correia e Helio de Freitas | 30/05/2020 12:05
Coleta de material para testes rápidos no drive thru em Dourados (Foto: Chico Pinheiro/Governo de MS)
Coleta de material para testes rápidos no drive thru em Dourados (Foto: Chico Pinheiro/Governo de MS)

“Nessa semana vindoura, deverá ser a cidade com mais casos no estado”. É o que disse o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, na manhã deste sábado (30), sobre Dourados, a 233 km de Campo Grande. A live que atualiza o boletim sobre os novos casos de covid-19 traz prognóstico preocupante sobre a cidade, que hoje tem 24 novos casos da doença causada pelo novo coronavírus.

É em Dourados, também, a 19ª morte por covid em Mato Grosso do Sul. Rulesis Esther Hernandez, uma venezuelana de apenas 27 anos e, ao que se sabe até agora, sem comorbidade que a colocasse no grupo de risco, faleceu em decorrência da infecção, o que preocupa ainda mais as autoridades de saúde no estado onde o “ficar em casa” mal alcança os 40%.

“Teve de ter um enterro bastante rápido, seguindo o Ministério da Saúde, das pessoas que tem diagnóstico de covid-19. Morreu bem longe da pátria. Em Dourados, São 260 casos. Nessa semana vindoura, cidade deverá a cidade com mais casos no estado”, relatou Resende.

O secretário citou as cidades com mais incidência de acordo com a população, como Guia Lopes da Laguna, que tem 2.176 casos por 100 mil habitantes, maior incidência do estado. Logo depois, Douradina, Fátima do Sul e Vicentina, disse Geraldo Resende, são contaminações com origem nas regiões sul e sudoeste.

“Dourados nos preocupa muito haja visto que todo dia temos casos novos em grande quantidade”, comentou o secretário estadual de saúde.

Drive-thru – O secretário comenta que 20,7% dos testes do tipo drive-thru, na cidade, confirmam casos positivos de covid-19. Mato Grosso do Sul tem 62 novos casos, segundo a última atualização da SES (Secretaria Estadual de Saúde) e neste sábado, Dourados já alcança 260 casos e o estado, um total de 1.418.

“Aqui no boletim vocês vão verificar a estratégia dos drive-thrus, montados em Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Corumbá. O drive thru de Dourados está com alta positividade de seus exames: 20,7% dos testes feitos são positivos”, conta Geraldo.

“É uma média muito alta e mostra a dinâmica da doença não só em Dourados, mas nos municípios vizinhos que têm procurado o drive thru pra fazer a testagem”, diz o secretário.

Mais testes rápidos – Resende afirmou que, a partir de segunda-feira (1), a população já terá mais testes rápidos disponíveis. “A princípio seriam 20 testes, mas estamos apontando estratégia de na semana mesmo vindoura a gente colocar 40 testes rápidos para que não tenhamos agenda sobrecarregada e vamos também aumentar a medida se houver necessidade, fazer modificações, construindo parceria com corpo de bombeiros”, disse.

Contraponto - O médico de Dourados, Ricardo do Carmo, membro do Comitê de Gerenciamento de Crise da Covid-19 e coordenador do Núcleo de Emergência Assistencial, disse que não se aplicam à realidade de Dourados os cálculos adotados em alguns estudos levando em conta o número de casos para estimar como se comportará o sistema de saúde.

“Discutimos hoje essa avaliação epidemiológica e temos de tomar cuidado para evitar qualquer alarde neste momento. Estamos testando síndrome gripal, temos essa prática no estado”, afirmou o médico. Segundo ele, a realidade é diferente de outras partes do país, onde apenas pacientes internados são testados.

Curva crescente – O secretário disse que Mato Grosso do Sul “está com uma das maiores taxas de reprodução do país”. “A cada pessoa que tem diagnósticos positivos de covid-19 estavam sendo contaminadas 3,8 pessoas”, declarou.

“A cada 10, 38 estavam sendo contaminadas. É o dobro da taxa do país como um todo. Isso aponta o crescimento exponencial. Uma parcela dessas pessoas com covid-19 positivo, vão precisar de leitos e UTIs. Mesmo que tenhamos criado vários leitos em todas as microrregiões, estamos no processo de construção de mais leitos”, informou Resende.

Pior pandemia do século, nada de isolamento – O secretário classificou a pandemia de covid-19 “como a pior do século”, mas reclamou que a população “parece estar nem aí” ao ficar fazendo festas e aglomerações e citou taxa de isolamento abaixo dos 30% em Dourados.

“Certamente estamos enfrentando a pior pandemia desse século”, comentou Geraldo Resende.

“Creio que se não fosse o esforço das pessoas colocando as suas vidas para salvar a vida das pessoas, teríamos um quadro muito pior. Mato Grosso do Sul tem sido até um certo momento, referência, mas agora há esse alerta, vai depender a vitória contra a covid, a participação de você que está ouvindo. Isso [baixa taxa de isolamento em Dourados] no linguajar bastante popular, nossa população não está nem aqui e nem ai”.

“É uma parcela significativa que está esperando que possa acontecer com alguns de seus entes queridos para precisar tomar o que precisava tomar desde o começo: providências para isolamento, uso de máscaras, e medidas de higiene”, criticou Resende.

“Estamos chegando também na maioria dos municípios. Ultrapassamos a marca de 48 municípios”, alertou. Isso, informa, significa que 60% de Mato Grosso do Sul já tem o novo coronavírus circulando.