ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 13º

Cidades

E o hospital de campanha? Saiba porquê essa não é solução para falta de vagas

Atualmente, hospitais tanto públicos quanto privados mantém fila de espera para atendimento em UTI

Por Lucia Morel e Marta Ferreira | 10/06/2021 21:04
Hospital de Campanha implantado ano passado no Hospital Regional. (Foto: Henrique Kawaminami)
Hospital de Campanha implantado ano passado no Hospital Regional. (Foto: Henrique Kawaminami)

Sem ter para onde correr, Mato Grosso do Sul precisa urgentemente de um lockdown para conter o avanço da covid-19 que obrigou inclusive envio de pacientes a outros estados por falta de leitos de covid-19 aqui.

Essa é a avaliação do presidente do Sinmed/MS (Sindicato dos Médicos), Marcelo Santana, que diz ainda que mesmo a instalação de um hospital de campanha é inviável no momento.

“É preciso estruturar o que tem aqui e já faltam medicações. Pensar em abrir outras unidades ou mesmo hospital de campanha se torna inviável. Se não temos nem mesmo mão de obra, medicamentos, para suprir essas carências nos que já existem, não tem lógica abrir mais uma, porque vai haver falta também”, lamenta.

Ele reforça que atualmente, hospitais tanto públicos quanto privados mantém fila de espera de pacientes que precisam de atendimento em UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas não há vagas, obrigando a busca por ajuda humanitária de outros estados.

“As medidas anteriores foram restritivas, como o toque de recolher, por exemplo, mas não houve êxito em reduzir a incidência e os casos continuaram aumentando. Chegamos agora num momento em que não temos para onde correr a não ser fechar tudo”, diz.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário