ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 14º

Cidades

Ministério nega "vacinação geral" a MS e Estado terá só 38 mil doses da Janssen

Vacina fabricada pela multinacional do grupo Johnson & Johnson não precisa de duas aplicações

Por Anahi Zurutuza | 10/06/2021 08:15
Vacina promete 85% de imunidade contra o coronavírus em uma só aplicação (Foto: Janssen/Divulgação)
Vacina promete 85% de imunidade contra o coronavírus em uma só aplicação (Foto: Janssen/Divulgação)

O pleito dos secretários municipais de Saúde para que o Ministério da Saúde enviasse a Mato Grosso do Sul vacinas da Janssen suficientes para imunizar todas as pessoas com 18 anos ou mais chegou tarde. O lote com 3 milhões de “doses únicas” já estava dividido entre os estados. Para cá, virá remessa contendo imunizantes para aplicação em cerca de 38,4 mil pessoas.

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende recebeu a informação ainda ontem (9), dia que Mato Grosso do Sul levou a hastag #VacinaGeralMS para o 1º lugar dos Trending Topics do Twitter, o ranking dos assuntos mais comentados no País. Ele participou de reunião on-line do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), onde soube que todos já estão se preparando para aplicar as doses da Janssen em tempo recorde, já que o imunizante chegará ao Brasil com prazo de validade para vencer.

“Já estão distribuídas [as 3 milhões de doses]. É um pleito dos secretários municipais [vacinar toda a população adulta rapidamente], mas pelo menos nessa remessa não vai acontecer. Agora, nós estamos pleiteando também receber 30% a mais de doses em todos os envios para que possamos acelerar a vacinação na faixa de fronteira”, explicou Geraldo.

O Estado ainda não definiu se vai deixar o lote da Janssen na Capital ou vai distribuir para o interior.

Na quarta-feira (8), o Cosems (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso do Sul) enviou ofício ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pedindo "doses únicas" suficientes para imunizar 100% dos adultos.

O conselho defende que Mato Grosso do Sul tem baixa densidade demográfica (quantidade de habitantes por metro quadrado) e logística de distribuição de doses que já se mostrou eficaz, demostrada pelo percentual de 96,67% das vacinas recebida aplicadas.

Como argumento, o conselho lembrou que as vacinas da Janssen chegarão ao Brasil com prazo de validade para vencer em 27 de junho e que a estratégia de distribuição em Mato Grosso do Sul possibilitaria o aproveitamento de todas as doses que forem enviadas, já que o Estado já se mostrou capaz de receber e em 12 horas entregar vacinas a todos os 79 municípios.

Para convencer o Ministério da Saúde, secretários argumentam ainda que a vacinação de toda a população adulta em um único estado possibilitaria a realização de pesquisa inédita. “Solicitamos especial atenção de Vossa Excelência, em disponibilizar para o Estado de Mato Grosso do Sul imunizantes deste primeiro lote de 3 milhões de vacinas da Janssen para que possamos imunizar todos os habitantes de nosso Estado. O que possibilitaria ao Ministério da Saúde realizar um estudo pioneiro mundialmente, em vacinar todo um Estado”.

No ofício, o Cosems fala ainda do descontrole da pandemia nos últimos meses e lembra do colapso no sistema público de saúde que só será controlado efetivamente com a imunização da população. “Estamos enfrentando um aumento no número de casos e óbitos acarretando uma superlotação dos leitos de UTI e uma fila de espera para vagas com 231 pessoas, acarretando a necessidade de transferência para outros estados”.

O País terá de 10 a 14 dias para receber, distribuir e aplicar todas as doses da Janssen. A vacina fabricada pela multinacional do grupo Johnson & Johnson tem o diferencial de não precisar de duas aplicações. A fórmula promete eficácia de 85% na prevenção de casos graves da covid, além de oferecer proteção completa contra hospitalização e morte pela doença.

*Matéria alterada às 10h58 para correção de informação a pedido da SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário