ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Mortes disparam, mas taxa de isolamento continua em 37% em MS

Em apenas 7 dias do mês de julho foram 39 óbitos

Por Tainá Jara | 07/07/2020 14:12
Com comércio funcionando normalmente, adesão ao distanciamento social em Campo Grande nesta segunda-feira foi de 37,3% (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)
Com comércio funcionando normalmente, adesão ao distanciamento social em Campo Grande nesta segunda-feira foi de 37,3% (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)

Disparo no número de mortes pela covid-19 em Mato Grosso do Sul continua a não intimidar a população e a taxa de isolamento se mantém em 37%. De acordo com o governo do Estado, foram 39 óbitos pela doença em apenas 7 dias do mês de julho.

A taxa de mobilidade social para esta segunda-feira (6) foi de 37,9%. O índice para o início da semana indica uma possível manutenção da média para os dias de semana, de segunda à sexta, que se repete há tempos.

No monitoramento geral, a taxa mínima para o dia no Estado foi de 29,2% e a máxima de 56,7%. O índice recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é de 70%, o que nunca chegou a ser atingido e só piorou com a flexibilização das medidas de isolamento.

Nas últimas cinco semanas o cenário foi o mesmo: de vida normal, com movimentações pelas ruas e comércios do Estado, inclusive bares e igrejas lotados. As médias mapeadas, em ordem decrescente, foram: 37,3% de 29 de junho a 3 de julho; 36,8% de 22 a 26 de junho; 35,5% de 15 de junho a 19 de junho; 36,6% de 8 a 12 de junho; e 37,4% de 1 a 5 de junho.

Trânsito e covid-19 - Durante live para atualização dos dados e informações referentes ao novo coronavírus nesta terça-feira (7) o secretário de saúde Geraldo Resende relacionou o baixo isolamento ao aumento das taxas de ocupação de leitos.

“O que nós estamos verificando é que essa volta à normalidade que muitos estão fazendo, não respeitando os decretos feito pelos prefeitos, não estão surtindo efeito e o número de pessoas internadas em MS é similar ao que se verificava antes da pandemia. As pessoas estão saindo, e o número de pessoas acidentadas, que é a maior causa de ocupação de leitos de UTI tem aumentado”, alertou pedindo apoio dos gestores municipais no reforço das medidas restritivas.

Desde o começo da pandemia especialistas e autoridades mundiais de saúde alertam que quanto menor a taxa de isolamento social, mais alta a curva de contágio da doença.

Por aqui 91% dos municípios sul-mato-grossenses já integram o mapa do novo coronavírus que já contabiliza 10,6 mil infectados da doença, dos quais 128 perderam a vida em decorrência do vírus, 39 delas nos sete primeiros dias de julho.

A adesão ao distanciamento social em Campo Grande nesta segunda-feira foi de 37,3% com a Capital ocupando o penúltimo lugar no ranking entre as capitais brasileiras. Entre as regiões com piores índices para o dia estão: Portal do Panamá (8,3%), Nova Campo Grande (21,7%), Jardim Monumento (23,8%), Maria Aparecida Pedrossian (24,8%), Jardim Seminário (25%).

Nas cidades do interior com maior número de casos confirmados as taxas de isolamento foram: Dourados (42,7%), Corumbá (40,6%), Rio Brilhante (41%), Três Lagoas (39,7%) e Guia Lopes da Laguna (36,4%).