ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Perspectiva de seca severa leva Bombeiro a lançar plano e combate a incêndios

No ano passado, estado registrou estiagem recorde e teve mais de 30% do Pantanal consumido pelo fogo

Por Tainá Jara | 29/04/2021 15:28
Combate aos focos de incêndio do Parque Nascente do Rio Taquari (Foto: Marcos Antonio dos Reis)
Combate aos focos de incêndio do Parque Nascente do Rio Taquari (Foto: Marcos Antonio dos Reis)

Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Pantanal foi lançado pela Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), o Corpo de Bombeiros, na manhã desta quinta-feira (29), em Corumbá, distante 420 quilômetros de Campo Grande. A estratégia é aplicar R$ 56 milhões em investimentos na área de infraestrutura.

A estratégia, para não repetir o desastre ambiental registrado no ano passado, inclui preparação das equipes, reconhecimento das áreas e planejamento das operações por terra, água e ar.

Diante do baixo volume de chuvas registrado no último mês, o governo resolveu decretar situação de emergência ambiental. A medida preventiva deve ser formalizada nos próximos dias. Em 2020, o Estado teve dificuldade para enfrentar a pior estiagem dos últimos 50 anos acompanhada da queima de 30% de mais de 4,5 milhões de hectares do Pantanal brasileiro. A situação exigiu ações de urgência e deixou as cidades cobertas de fumaça.

“Vamos desenvolver um plano arrojado, contando com os investimentos (R$ 56 milhões) do Governo do Estado em viaturas, aeronaves e equipamentos, onde o Corpo de Bombeiros disponibilizará para as operações, se preciso, 700 dos seus 1.500 militares”, afirmou o comandante-geral da corporação, coronel Hugo Djan Leite, ao detalhar o plano a ser empregado no bioma, ao qual Corumbá está integrado com 45% do seu território.

Presente ao ato de lançamento do plano operacional, realizado no 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros, a promotora Ana Rachel Borges Figueiredo Nina, da 2ª Promotoria de Justiça, ressaltou que as estratégias anunciadas estão alinhadas ao plano preventivo traçado a partir de 2020 pelo MPE (Ministério Público Estadual).

Levantamento do MP, divulgado no mês passado, apontou que a maior parte dos incêndios registrados no Pantanal, de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em 2020, tiveram início possivelmente por ações antrópicas em fazendas.

Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais no Pantanal (Foto: Divulgação/Governo do Estado)
Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais no Pantanal (Foto: Divulgação/Governo do Estado)

Levantamento das áreas - Antecipando-se ao período crítico dos focos de calor na região, que no ano passado ocorreu de janeiro a outubro, o Corpo de Bombeiros vai estruturar o 3º Grupamento de Corumbá com mais viaturas e lanchas.

Cinco equipes serão deslocadas para as localidades de Rio Negro, Alto Paraguai, Paiaguás e Nhecolândia para reconhecimento das áreas quanto a acessos, pontos críticos e construção de aceiros para proteger as pontes de madeira.

“O plano terá a coordenação do Corpo de Bombeiros do Estado e será aplicado em quatro etapas, sendo preparação, o que estamos fazendo agora; prevenção, resposta e responsabilidade”, adiantou o coronel Djan Leite.

No início de abril, já foram deslocamos duas equipes para os parques estaduais do Vale do Ivinhema e da Nascente do Rio Taquari com a finalidade de levantar as áreas de maior incidência dos focos.

As primeiras equipes estarão montando suas bases nas localidades do Morrinho (ponte da BR-262 sobre o Rio Paraguai) e no Passo do Lontra, região que abrange a Estrada-Parque e limita os municípios de Corumbá, Miranda e Aquidauana.

“O Estado pode nos oferecer toda tecnologia, mas temos que ter homens na área de fogo”, disse o comandante. O combate deve ocorrer até as chuvas voltarem.

Maior poder de resposta - Em 2020, o Estado realizou três grandes operações de combate aos focos de calor, de março a setembro, com apoio das Forças Armadas, envolvendo bombeiros de outros estados. E

Neste ano, o Corpo de Bombeiros terá uma estrutura operacional maior, prevista no programa de investimentos anunciado pelo governador Reinaldo Azambuja. A compra de uma aeronave modelo Air Tractor (para lançamento de água) está em processo de licitação.

O coronel Djan Leite adiantou que a corporação terá a disponibilidade de maquinários para abrir acessos nas regiões sem estrada ou alagáveis, cujos pontos críticos serão mapeados pelas equipes de levantamento, para garantir a rápida locomoção das tropas. A prefeitura de Corumbá também anunciou que está negociando a cessão de um helicóptero para atender o deslocamento dos bombeiros para áreas de difícil acesso.

“Vamos trabalhar integrados com as brigadas do Ibama e das reservas e também contamos com o apoio dos produtores rurais”, disse o tenente-coronel Luciano Lopes de Alencar, comandante do 3º Grupamento. Segundo ele, com mais tempo de preparação da tropa e a estrutura que está sendo montada, o plano lançado hoje propiciará uma melhor capacidade de ação e de resposta ante os desastres ambientais e também à sociedade.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário