ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Planos de saúde cobrem testes de covid só com receita médica

Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) obriga os planos a ofertarem também o exame sorológico para pessoas sintomáticas

Por Maressa Mendonça | 30/06/2020 19:06
Testes rápido e sorológico avaliam amostra de sangue de paciente (Foto: Henrique Kawaminami)
Testes rápido e sorológico avaliam amostra de sangue de paciente (Foto: Henrique Kawaminami)


Os planos de saúde com atuação em Mato Grosso do Sul devem custear os testes sorológicos para detecção da covid-19 apenas para pacientes sintomáticos e após solicitação feita pelos médicos.

Na segunda-feira (29), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) enviou uma determinação para as empresas incluírem o procedimento na lista de coberturas obrigatórias. Em março deste ano, já havia ocorrido a inclusão do teste tipo RT-PCR e em junho do teste rápido.

A decisão da ANS de incluir o exame sorológico no rol de procedimentos obrigatórios é resultado de uma ação civil pública e foi publicada ontem no Diário Oficial da União. Em MS, as empresas reforçaram que já forneciam os outros testes.

Em nota, a assessoria de imprensa do plano de saúde da Santa Casa informou que costuma cumprir todas as determinações da ANS. Em relação aos testes para detecção do coronavírus eles informaram que costumam encaminhar os pacientes para os laboratórios credenciados, conforme a solicitação médica.

Sobre os custos para o paciente, eles disseram variar de acordo com o plano contratado pelos clientes.

Em exame do tipo PCR, são analisadas amostras de secreção respiratória (Foto: Marcos Maluf)
Em exame do tipo PCR, são analisadas amostras de secreção respiratória (Foto: Marcos Maluf)


O plano São Francisco Saúde também enfatizou que o grupo segue as diretrizes da ANS e informou que as operadoras já ofertavam a testagem para os clientes. “O procedimento é voltado para pacientes sintomáticos que buscarem os serviços de urgência e emergência e se encaixarem nas diretrizes de utilização que são determinadas pela agência reguladora”.

A Unimed, por meio da assessoria, informou que conforme determinação da ANS, “serão cobertos pelo plano de saúde exames para pacientes que estejam com sintomas, ou que tenham tido recentemente sintomas gripais ou respiratórios”. Ainda segundo eles, a cooperativa médica já realizava outros tipos testes antes desta determinação.

O plano também reforça que para realização do exame é necessário apresentar solicitação médica já que outras doenças também podem causar os mesmos sintomas.

“A segurança na condução de cada paciente é papel médico que envolve confirmação do diagnóstico clínico, análise de fatores de risco e doenças crônicas, decisão da necessidade de realização de exames em momento oportuno e o exame ideal”, informaram.

Testes precisam ser aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) (Foto: Henrique Kawaminami)
Testes precisam ser aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) (Foto: Henrique Kawaminami)


O resultado do teste sorológico, por exemplo, é considerado seguro após 8 dias do início dos sintomas.

A Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul) respondeu que já realizava os testes rápidos e PCR desde que foram incluídos no rol de exames obrigatórios determinados pela ANS e deve oferecer também o sorológico.

Em relação aos custos, eles responderam que devem variar conforme o plano “uma vez que há previsão de pagamento de fator participativo junto ao custeio integral, desde a data em que foi incluído no rol de cobertura”.

Segundo eles, as autorizações também só serão concedidas após prescrição médica “para os beneficiários que se enquadrem nas diretrizes de utilização estipuladas”.

Mulher passa por teste rápido em barreira sanitária montada em Campo Grande (Foto: Arquivo)
Mulher passa por teste rápido em barreira sanitária montada em Campo Grande (Foto: Arquivo)


Os testes - O PCR é utilizado geralmente até o 7º ou 8º dia a partir do início dos primeiros sintomas da doença e faz uma detecção do material genético do vírus.

A grande diferença deste teste em relação ao rápido e ao sorológico é que ele não depende de uma resposta do paciente, ou seja, não tem relação com a produção de anticorpos.

Os testes rápidos e sorológicos analisam  a quantidade de anticorpos no paciente por meio de amostras de sangue.   Os resultados são detalhados e informam a fase da infecção, se recente ou inexistente.