ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  03    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Uems forma primeira turma de Medicina hoje com colação de grau drive thru

De dentro dos carros os convidados vão acompanhar a formatura dos 47 novos médicos que vieram de 14 estados diferentes

Por Paula Maciulevicius Brasil | 21/10/2020 11:09
Primeira turma de Medicina da UEMS forma 47 médicos hoje. Ao centro, o nome de turma professor Renato Senefonte, paraninfo Renato Arruda e patronesse Tânia Salum. (Foto: Arquivo Pessoal)
Primeira turma de Medicina da UEMS forma 47 médicos hoje. Ao centro, o nome de turma professor Renato Senefonte, paraninfo Renato Arruda e patronesse Tânia Salum. (Foto: Arquivo Pessoal)

A colação de grau da primeira turma de Medicina da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) será realizada hoje, no estacionamento do bloco A da universidade, em sistema drive thru, na Capital.

De dentro dos carros os convidados vão acompanhar a formatura dos 47 novos médicos que vieram de 14 estados diferentes estudar em Mato Grosso do Sul. Para o evento, a UEMS informa que serão respeitados os protocolos de segurança como obrigatoriedade de álcool em gel e máscaras de proteção e o distanciamento de 1,5 metro entre os integrantes da cerimônia.

Dos formados, 16 são de Mato Grosso do Sul, 12 de São Paulo, três de Minas Gerais, dois do Rio de Janeiro, um de Pernambuco, um de Tocantins, um da Bahia, dois de Goiás, dois de Mato Grosso, um de Rondônia, três do Paraná, um de Alagoas, um do Piauí e um do Maranhão.

Dos 47 novos médicos, 30 são mulheres e 17 homens, além de três serem cotistas indígenas e nove negros.

A turma leva o nome do professor Flávio Senefonte e tem como paraninfo o médico Renato Arruda e como patronesse, a médica Tânia Salum.

Criado em 2015, o curso de Medicina da UEMS teve investimento de R$ 1, 5 milhão do governo estadual nos últimos anos. Reitor da UEMS, professor doutor Laércio Alves de Carvalho, ressalta o orgulho que sente.

“A Uems está fazendo a diferença na vida das pessoas, e agora com os primeiros médicos formados pela nossa Universidade não é diferente. Temos muitos relatos disso, de casos como de vários secretários de saúde, dos prefeitos, dos pacientes, por onde os acadêmicos passaram pelo interior do estado, no nosso internato regional. O maior legado desse curso de Medicina da Uems, salvar a vida das pessoas do primeiro ao sexto ano”, destacou.

Internato de Medicina - Em fevereiro deste ano, depois do convênio firmado entre governo e 27 municípios do interior do Estado, os acadêmicos do último ano foram enviados para as cidades onde passaram sete semanas em regime de internato. O acompanhamento foi realizado pelos professores do curso à distância e pelo médico preceptor de cada município.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário