A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/06/2011 22:44

Agronegócio, mais uma vez, puxa o crescimento do PIB brasileiro

Danilo Macedo, da Agência Brasil

A agropecuária foi a principal responsável pelo crescimento de 1,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país no primeiro trimestre de 2011, com salto de 3,3% no período, a maior taxa de expansão entre todos os setores da economia. Para a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o aumento foi puxado, principalmente, pelos ganhos de produtividade, que devem levar a uma safra de grãos e fibras estimada em 159 milhões de toneladas.

Entre os produtos que mais contribuíram para o resultado do primeiro trimestre, por causa da colheita no período, estão algodão, arroz, milho e soja.

Na comparação com os três primeiros meses de 2010, a agropecuária apresentou crescimento de 3,1%. A Superintendência Técnica da CNA avaliou que os próximos levantamentos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial do produto interno, devem apresentar resultados ainda mais positivos para o setor agropecuário, pois, além do resultado final da safra de grãos, vai contemplar o período em que se deu a recuperação de preços do agronegócio. A estimativa da confederação é que o PIB do setor feche 2011 com elevação de 9%.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


O AGRO NEGOCIO EMPURRA O PIB PARA CIMA, A POLÍTICA DO VOTO DE CABRESTO DO GOVERNO FEDERAL EMPURRA PARA BAIXO E NÓS TRABALHADORES CADA DIA COM OS SALÁRIOS MAIS ACHATADOS COM ESSA CARGA ESSENCIAL DE TRIBUTOS.
GOVERNO FEDERAL NÃO AGUENTAMOS MAIS PAGAR IMPOSTO PARA SUSTENTAR VAGABUNDOS QUE NUNCA PREGARAM UM PREGO EM UMA BARRA DE SABÃO.
AGORA NÃO É MAIS SÓ TRES DEPENDENTES QUE RECEBEM PODEM CHEGAR ATE CINCO FILHOS, E AINDA TEMOS QUE PAGAR SALÁRIO PARA PRESO.
ATÉ ONDE VAMOS AGUENTAR ISSO? ATÉ ONDE VAMOS AGUENTAR ISSO?
 
JOAO SIMOES em 04/06/2011 08:30:57
O agronegócio sempre foi o alicerce da nossa economia: sem ele, nada funciona, nem industria, nem comércio e nem serviços. Graças a Deus não falta alimento bom e barato nas prateleiras dos supermermercados e ainda exportamos para o mundo todo. O produtor rural evoluiu muito nos últimos anos, profissionalizou a administração das fazendas, incorporou novas tecnologias e também tornou-se muito mais consciente de suas responsabilidades quanto a preservação ambiental. A produção de alimentos aumentou principalmente sobre ganhos de produtividade nas mesmas áreas cultivadas, sem desmatamentos, apesar de ainda existir muito preconceito antigo de que fazendeiro é desmatador. Desmatamentos do passado foram feitos sob a realidade do passado, legislação do passado e conscientização do passado também. Cada caso é um caso mas é preciso humildade para reconhecer onde houve erro e tentar corrigir, independente da lei exigir ou não. Os recursos naturais que utilizamos hoje, tanto rural como urbano, deixaremos para nossos filhos e netos e eles serão nossos juizes.
 
Paulo W. Lemos em 04/06/2011 08:25:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions