A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

16/09/2013 11:13

Campanhas pelo fim da impunidade tem adesão de 110 mil no Estado

Jéssica Benitez e Leonardo Rocha
Governador entrega assinaturas colhidas para combate à criminalidade (Foto: Cleber Gellio)Governador entrega assinaturas colhidas para combate à criminalidade (Foto: Cleber Gellio)

Somando 110 mil assinaturas coletadas em Mato Grosso do Sul, as campanhas Reaja Brasil e Pelo Fim da Impunidade ganham força em todo o Brasil. Até o final do ano a intenção é chegar a 150 mil. Hoje o governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), acompanhado por diversas autoridades, participou do evento que reuniu todo o material colhido em terras sul-mato-grossenses para entregar aos responsáveis pelas campanhas.

“Cadeia não é colônia de férias. Penas leves e questões frouxas não resolvem nada. Antes era no sarrafo e com vara de marmelo, hoje é com ação moral. O natural é que os pais morram antes dos filhos”, disse André destacando em seguida que a educação resolve sim, porém em determinados casos é preciso reprimir imediatamente para intimidar outras atrocidades.

Embora tratem praticamente do mesmo assunto, as campanhas são diferentes. O Reaja MS, vertente do Reaja Brasil criado pelo major e deputado estadual por São Paulo, Olímpio Gomes, está em busca de mais segurança para policiais, tanto civis quanto militares, membros de todos os Ministérios Públicos, do Poder Judiciário e Corporação dos Bombeiros.

O intuito é fazer com as penas dos crimes cometidos contra pessoas que ocupam tais cargos sejam mais rígidas. Até o momento em todo o Brasil o “reaja” conseguiu colher 700 mil assinaturas, sendo que a meta é chegar a 1,4 milhão até dezembro, pois esse total representa 1% dos eleitores brasileiros.

Segundo Olímpio, a campanha funciona no mesmo molde da Ficha Limpa. Primeiro o apelo é popular, depois passa pela Câmara dos Deputados e Senado. “Mato Grosso do Sul foi um dos estados mais atuantes, um dos principais exemplos”, disse. O major tomou a iniciativa no segundo semestre do ano passado depois dos ataques de facções criminosas contra policiais em São Paulo quando 107 PMs, sete policiais civis e 19 agentes penitenciários foram assassinados.

Já a campanha Pelo Fim da Impunidade foi criada pela deputada federal Keiko Ota (PSB). Em 1997 seu filho, na época com oito anos, foi sequestrado e assassinado, levando-a a criar um abaixo-assinado a favor da prisão perpétua para crimes hediondos.

Este foi o ponta-pé inicial para o nascimento da campanha que tem o mesmo objetivo, além de pedir também a extensão na pena máxima de 30 para 50 anos, revisão da diminuição de pena por bom comportamento e mais rigorosidade nos dias em que presos são liberados para ir para casa como no natal e dia das mães. Em Mato Grosso do Sul a campanha tomou proporção após a morte dos universitários Breno Silvestrini e Leonardo Batista, brutalmente assassinados há pouco mais de um ano.

Os pais de Breno, Lilian e Rubens, estiveram no evento. “Só vejo meus filhos em fotos, mas essas assinaturas se tratam de papais que vão fazer a diferença. Vamos levar tudo para Brasília e buscar apoio tanto dos deputados, como dos senadores e até da presidente. Nosso país tem muitos sistemas de segurança, mas nenhum deles funciona”, disse o pai.

Na avaliação do coronel Carlos Alberto David, comandante geral da Polícia Militar no Estado, a educação pode reverter esse jogo, entretanto ele acredita que isso levará mais três gerações para ocorrer. “Então neste tempo a alternativa são leis mais severas que terminem com a impunidade”, discursou.

Ele se recordou ainda, que a coleta de assinaturas teve auxílio de vários sindicatos e conselhos, além de apoio do ramo artístico. Somente em um show do cantor sertanejo Gustavo Lima, foram colhidas mais de cinco mil assinaturas. “A parceria tem que ser público e sociedade”, finalizou.

O secretario estadual de Justiça e Segurança Pública, Wantoir Jacini, destacou que o massacre ocorrido em São Paulo contra policiais demonstrou a falta de proteção e fragilidade diante de facções que tomaram conta dos presídios superlotados. Ele ressaltou que no Estado os índices são ótimos, “pois pulamos de 15° para 3°” no ranking de menos criminalidade.

Com 105 mil assinaturas, documento pelo fim da impunidade é entregue hoje
Representantes dos movimentos Reaja MS e Pelo Fim da Impunidade, junto com o comandante da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, entregam na manhã d...
Ciptran colhe assinaturas para campanha “Reaja MS”
A Ciptran (Companhia Independente de Trânsito) está colhendo assinaturas da campanha “Reaja Mato Grosso do Sul” em diversos pontos de Campo Grande. O...


Cometeu crimes bárbaros, estupros, não importa a idade tem que ser punido e apodrecer na cadeia ou pena de morte. É inafiançavel matar um animal e o ser humano ta valendo muito pouco, tem habeas corpus, 1ª e 2ª e 3ª instância e ainda responde em liberdade mesmo confessando o crime.
 
PLACIDA BARROS em 16/09/2013 17:24:03
Muito dificil as leis mudarem pois os primeiros a sofrerem com tais seriam os próprios políticos. Mas ha uma forma de de fazer com que mudem as leis ou fiquem sem políticos, a forma seria no voto, com uma forma de intimidação com os partidos políticos com a maioria da população votando nulo! Isso mostraria ao mundo a indignação com os partidos e seu políticos!
 
Alexandre de Souza em 16/09/2013 14:42:57
Parabéns a todos que tomaram esta iniciativa. A cada assinatura colhida se comemora uma vitória, como diz o ditado "de grão em grão a galinha enche o papo". A história da humanidade está repleta de bons exemplos de que a vontade do povo é soberana, pois como as formigas, quando juntamos a nossa força individual transformando-a num coletivo, barreiras são quebradas, ditaduras expurgadas, e a justiça sempre será feita!!!!
 
Kelly Silva em 16/09/2013 14:18:39
Mais uma extraordinária matéria do CGNews, mas quem mesmo está pedindo o fim da impunidade? Ary Rigo manda lembranças!
 
sergio martone em 16/09/2013 12:20:46
Só não teve mais assinaturas porque não há divulgação, eu por exemplo fiquei sabendo agora que está acontecendo uma campanha recolhendo assinaturas contra a impunidade.
Divulguem, se todo mundo souber estas 150 mil assinaturas que é a previsão até o final do ano podem virar 1,5 milhão.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 16/09/2013 12:20:05
O GOVERNADOR ANDRÉ ESTÁ CERTÍSSIMO, ANTIGAMENTE, ALIAS NA MINHA ÉPOCA DE GAROTO NÃO TINHA VARA DA INFÂNCIA E JUVENTUDE TINHA SIM ERA A VARA QUE A MAMÃE USAVA A DAVA 99,9% DE BONS RESULTADO. HOJE O PT E OS DIREITOS HUMANOS (QUE DE HUMANO NÃO TEM NADA) JÁ PROVARAM QUE DIREITOS PRA INFRATORES, SEJA A IDADE QUE FOR, SÓ CAUSA PREJUÍZOS IRREPARÁVEIS. EU MINHA FAMILIA APROVA TODO O TIPO DE LEIS QUE PUNA COM RIGOR OS FORA DA LEI - SEJA DE QUALQUER IDADE.
 
JARY GUASINA em 16/09/2013 12:17:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions