A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

14/06/2011 17:35

Acusado de matar segurança diz que foi agredido e que se defendeu a “esmo”

Nadyenka Castro

Declarações foram feitas em juízo

Cristhiano na saída da audiência de acusação, realizada em maio. (Foto: João Garrigó)Cristhiano na saída da audiência de acusação, realizada em maio. (Foto: João Garrigó)

Cristhiano Luna de Almeida, 23 anos, acusado de matar o segurança Jéferson Bruno Escobar, o Brunão, de 23 anos, disse em juízo na tarde desta terça-feira que foi agredido e apenas se defendeu a “esmo”.

Calmo e preciso nas respostas, o bacharel em Direito contou sua versão sobre o que aconteceu na madrugada do dia 19 de março deste ano dentro e fora da casa noturna de Campo Grande onde Brunão trabalhava. Ao fim do interrogatório, o réu demonstrou estar emocionado.

Primeiramente, Cristhiano declarou não conhecer as testemunhas de acusação, as quais foram ouvidas no dia 5 de maio, a exceção de Rafael de Freitas Mecchi, que foi agredido por ele em 2009. Sobre este caso, falou: “Ele também me agrediu”.

Ainda sobre as testemunhas, o réu disse ter restrições quanto ao depoimento do adolescente que vendia bombons na porta da casa noturna e é apontado pela Polícia Civil como uma das principais testemunhas.

A restrição, explicou o acusado, é porque o garoto, em juízo, contou que foi induzido a dizer muito do que falou à Polícia Civil.

Na casa noturna - Cristhiano, - que por lei tem direito de omitir e/ou mentir sobre os fatos -, disse que chegou à boate por volta das 21h30min do dia 18 e ficou sozinho em uma mesa por cerca de uma hora até a chegada de amigos.

Ingeriu de três a cinco copos de chopp e mais vodka. Após a ingestão das bebidas, definiu o estado em que ficou como “alegre”. “Eu estava alegre.”

A confusão com Brunão e demais seguranças do local começou quando, já “alegre”, Cristhiano fez o que ele trata de “brincadeira infeliz”. Por duas vezes, como ele mesmo confessou, passou a mão nas nádegas de um garçom, que o acusa de ter sido racista.

Ao ser questionado pelo juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, sobre o motivo, o réu não soube explicar. “Toda hora ele passava ao meu lado. Não tem uma razão específica”.

Segundo Cristhiano, após ter passado a mão nas nádegas do trabalhador pela segunda vez, Brunão o abordou e o avisou. “Rapaz, se você não parar com essa brincadeira eu vou tirar você daqui no tapa”.

O jovem voltou a fazer o mesmo ato e em seguida foi abordado pelo segurança, desta vez, para tira-lo de lá. “O segurança me tirou me segurando pelo pescoço e os outros me batendo”.

Injúria - Além de responder por homicídio duplamente qualificado - motivo torpe e que dificultou a defesa da vítima - , Cristhiano Luna também e processado por injúria, pois teria sido racista com o garçom.

Conforme a acusação, ele teria se referido a este garçom como “negueba do Flamengo” “Não foi caráter ofensivo. Eu sou flamenguista e ele [o garçom] se parece com o negueba [jogador]”, justifica o rapaz.

Lá fora- Depois da situação com o garçom, Cristhiano Luna foi tirado do interior do estabelecimento. “Eu fui jogado ao solo, mas antes, eu já tinha sido agredido no corredor, aí eu esperniei. Me defendi a esmo”, explica o movimento de pernas que fazia contra Brunão que aparecem nas imagens feitas pelas câmeras de segurança da casa noturna.

Para ele, foi quando ‘se defendia’, como definiu, que pode ter atingido Brunão. “Eu acredito que neste momento”, respondeu ao magistrado quando questionado sobre quando teria agredido a vítima.

“Quando me tiram, me jogam ao solo e eu me defendo a esmo”. “Talvez ele [Brunão] tenha se inclinado. Talvez meu pé desceu na barriga dele”, concluiu.

Na Polícia - Cristhiano foi questionado pelo promotor de Justiça Renzo Siufi - acusação - sobre o porque de não ter contado à Polícia, quando foi autuado em flagrante, que passou a mão nas nádegas do garçom. “Eu não achei oportuno”, declarou.

Segundo Cristhiano, quando prestou depoimento pela segunda vez à Polícia, já na fase de inquérito, a delegada responsável, Daniela Kades, o induzia a dizer o que ela queria. “Ela ficava me desviando do que eu queria falar”.

Cristhiano estava acompanhado de advogado, o qual, de acordo com ele, conversou com a policial sobre o caso. O depoimento foi assinado pelo réu.

Vídeos- O acusado falou que só viu os vídeos sobre a confusão que levou Brunão à morte quando já estava solto, por determinação do Tribunal de Justiça. “Eles cortaram muitas partes, uma delas é quando me jogam ao solo enquanto outros me agridem”.

Sobre a intenção de matar o segurança, Cristhiano resume. “Nunca tive. Jamais”.

Prisão - Ele foi preso em flagrante e solto menos de dois meses depois. Para se manter fora da cadeia, o réu precisa cumprir uma série de determinações, entre elas não ingerir bebida alcoólica, não chegar em casa após às 22 horas e não frequentar casas noturnas e clubes de lutas. “Estou cumprindo à risca”, finalizou.



Eu juro que só queria ver onde está o dolo nas ações do Cristhiano. Ana Carmina, vc deve, de fato, envergonhar-se de ter diploma de bacharel em Direito, mas por outras razões, da mesma forma que a delegada que conduziu o caso na fase do inquérito policial.
Eu desperezo pessoas como esse Cristhiano que, por ter dinheiro, acham que podem humilhar outras pessoas, mas condenem-o por algo que ele realmente tenha feito, não por um caso onde, no final, ele foi mais vítima que culpado, já que era um contra quatro ou cinco.
Eu conheço um pouco de artes marciais, fui praticante de Tae Kwon Do, já vi várias lutas de jiu jitsu, mas não consegui reconhecer nos movimentos executados pelo réu nenhum golpe de luta.
Eu entendo o caso como uma fatalidade, só isso. Lamentável que tenha acontecido, mas, honestamente, tem mais dolo quem, em alta velocidade, atropela e mata alguém no trânsito, por exemplo.
 
marly siqueira caramalack em 15/06/2011 12:41:17
Só podemos esperar pela justiça divina, porque aqui a justiça é do dinheiro, quem tem mais chora menos, esse elemento um dia irá pagar pelo que fez, ai pessoas irao chorar dizendo.... coitado ele era tão bonzinho...... Sou policial e vejo esses boyzinhos fazendo isso direto. Mas para Deus, eles não saem impunes, um dia irão colher o que plantam. "A semeadura é livre.... a colheita é obrigatória"
Por favor coloquem meu comentario, viu? obrigada.
 
sandra helena aguirar em 15/06/2011 08:51:22
O segurança vitimado agiu com acerto ao retirar do estabelecimento o réu, que confessou que estava promovendo brincaderias humilhantes e por demais infatis com pessoas honestas que ele sequer conhecia. Pessoas que estavam trabalhando seriamente.
A postura correta desse seria a resignação ao ser expulso do local. Naquele momento deveria ser humilde de reconhecer que estava sendo retirado por motivo justo e até pedir desculpas e não se comportar como um animal irracional.
Penas alternativa não é a reprimenda mais apropriada para ele. Ele deveria estar preso e ter o que merece. É absurso que ainha há pessoas que vêem o caso como legítima defesa. Pergunto: legítima defesa do que? Da arrogância, da petulância, do abuso, da violência desmedida. Só se for não é?
 
André Germano em 15/06/2011 08:47:00
Esse cara deu um tapa no rosto de uma menina no bar e restaurante Bodega , inclusive essa menina é amiga minha e ela nunca quis denunciá-lo.
O garoto é problema mesmo.
 
Carlos Brandão em 15/06/2011 08:32:34
Estou indignada com a apresentação que toda a mídia vem fazendo sobre esse ser desprezivel ..... "Cristiano Luna, o barachel em Direito que esta sendo acusado...." por que usar a característica "bacharel em direito" ? Isso vai ajuda-lo em alguma coisa ? Não estou entendendo por que todos vem usando a mesma expressão para se referir a esse "monstrinho".
 
Silvia Ribeiro em 15/06/2011 08:16:27
até quando teremos injustiça olha a cara deste infeliz,como pode ser tão sinico.Justiça nele!!!!!!!!!!!!!!!
 
kelly oliveira da silva em 15/06/2011 08:05:02
JÁ ESPANCOU UM MATOU OUTRO E QUER SABER NEM PRESO VAI FICAR,TEM BONS ADVOGADOS GRANA É MAIS UM PÓNTINHO PRA INJUSTIÇA.AGORA SE FOSSE O CONTRÁRIO O SEGURANÇA AINDA TAVA PRESO E TERIA TODOS OS SEUS DIREITOS VIOLADOS COMO DIZ UM APRESENTADOR FAMOSO ´´ISTO É UMA VERGONHA``DESCANSE EM PAZ BRUNÃO E PODE TER CERTEZA UM DIA A JUSTIÇA SERÁ FEITA A DIVINA PORQUE ESSA DAQUI É BRINCADEIRA....
 
CICERO LACERDA em 14/06/2011 10:53:26
Esse marginal quer passar por inocente.Acha que dinheiro compra tudo.É bom enfia-lo no fundo de uma cadeia e lá ele vai passar a mão na bunda de outros presos.Foi isso qie esse bandido aprendeu no curso de direito.Cana nesse bandido e assim sirva de lição para outros bandidinhos que ficam aprontando por ai por porque tem dinheiro.
 
alexandreagostini em 14/06/2011 10:27:31
Bom, não conheço o rapaz e sei que muitos estão indignados em Campo Grande com o fato... Mas acho que a maioria das pessoas estão sendo parciais demais. Concordo que com as informações aqui publicadas, fica inquestionável que o jovem foi infeliz, demonstrando certo comportamento imaturo, infantil e quem sabe prepotente. Mas, no desenrrolar dos acontecimentos, na minha opnião, este nada mais fez do que agir em legítima defesa (Não poderia os seguranças imobilizar o rapaz até a chegada de uma viatura policial? O réu estava sozinho contra inúmeros "seguranças", precisava ultrapassar o limite da repreensão?). Complemento ainda que, por mais que o segurança era uma pessoa idônea, estava ele despreparado para tal profissão, assim como há varios locais e eventos dos quais podemos observar vários outros "profissionais", sem no mínimo um curso preparatório.
Vamos pensar nos dois lados da moeda, antes de pré julgá-lo assim. Espero que o a defesa do rapaz consiga o Desaforamento para outro estado, assim penso que a Justiça poderá melhor analisar o processo, uma vez que a população esta contaminada com raiva e preconceito com a vida social que o jovem levava.
 
Osmar Cozzatti em 14/06/2011 09:41:21
Ana Carmina, vc tem que ter vergonha mesmo pois está despreparada pra ser advogada, está se apegando a paixões.....começado pelo seu comentário.
 
Gilmar candido em 14/06/2011 07:12:46
ai rapaziada..o cara é problema mesmo, briguento, nojento e td mais...porem, o cara foi espancado pelos seguranças...alguem nega isso?..uns caras daquele tamanho coloca qualquer um pra fora sem precisar bater......no maximo esse cara pega 4 anos de cadeia no regime aberto por lesão corpora seguida de morte...ou homicidio CULPOSO....isso mesmo, sem intenção..abraços e juizo a todos os seguranças que se acham o rambo.....celio
 
celio de souza em 14/06/2011 07:02:10
Agora uma pessoa bebe e fica alegre e sai matando os outros?
Esse bad boy, dentro da cadeia vai aprender a saber lidar e respeitar as pessoas!
Tenho fé nisso.
 
Anderson silva em 14/06/2011 06:40:25
NÃO TEM NADA A VER O EPISÓDIO DA "PASSADA DE MÃO", COM A MORTE DO SEGURANÇA "BRUNÃO".....PORQUE NÃO DIVULAGAM O FILME EM QUE APARECE O BRUNÃO CHUTANDO A CABEÇA DO "LUNA"...ELE ESTAVA SENDO CONDUZIDO A FORÇA POR 4 SEGURANÇAS....ESPERNEIA QDO ESTA AO SOLO...ACHO QUE CARACTERIZA LEGITIMA DEFESA....NÃO CONHEÇO ESTE RAPAZ "LUNA", TÃO POUCO CONHECIA O "BRUNÃO"....ACHO, E QUEM ACHA NÃO SABE OU NÃO TEM CERTEZA, POIS ISTO É COM A JUSTIÇA....MAS ACHO QUE FOI LEGÍTIMA DEFESA PURA...........FOI UMA INFELICIDADE DO SEGURANÇA.....E AINDA DIGO MAIS, O "LUNA" ESTAVA "BEBADO", A SITUAÇÃO DEVERIA SER CONDUZIDA DE OUTRA MANEIRA.....
VAMOS VER O FIM DE MAIS ESTA HISTORIA TRISTE....
 
Gilmar candido em 14/06/2011 06:32:44
Se algum jurado votar a favor da absolvição desse cidadão, se tornará uma vergonha para sua família, para sua mãe, para sua cidade. Estamos todos ansiosos por um júri onde, assim como no caso Isabela Nardoni, a condenação será comemorada com fogos de artifício, pois será também a comemoração do fim da impunidade para pessoas que acham que o dinheirinho de papai pode comprar tudo, inclusive sua liberdade após assassinarem covardemente pessoas inocentes nas ruas.
 
Fernanda Kaneshiro em 14/06/2011 06:24:58
Se esse marginal sair sem punição, podem abrir as portas de todas as penitenciárias do país, pois estará provado que as pessoas podem matar trabalhadores por pura babaquice, por encher a fuça de pinga e sair espancando os outros, e nada lhes acontece.
 
Carlos Taquara em 14/06/2011 06:22:52
Eu me envergonho de ser bacharel em direito como esse delinquente, pois agora ele usa do ensino a que teve acesso por ser "filhinho de papai" para tentar desvirtuar o crime que cometeu. É um arrogante, prepotente, se julga melhor do que os outros, muito embora foi aprender artes maricias para tentar se parecer "homem" por saber bater em alguém , porque não tem nem sombra de hombridade em seu caráter. Que apodreça na cadeia, lugar de gente como ele.
 
Ana Carmina em 14/06/2011 06:17:28
AGORA PAGA DE SANTINHO, QUERO VER NA CADEIA COM OS MALUCOS DE LÁ, SE VÃO ALISAR O CORO DELE E DEIXA-LO MANSINHO O BAD BOY QUE USA GILGTSU PARA SE APARECER E BATER NOS OUTROS E NAO COMO UMA ARTE MARCIAL QUE VISA DISCIPLINAR O CORPO E A MENTE.
 
MATEUS PIRES DA COSTA em 14/06/2011 06:02:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions