ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Alunos do Projovem se mobilizam e desenvolvem ações de combate à dengue

Por Flávia Lima | 02/02/2016 12:40
Estudantes do Projovem da Escola Estadual Maestro Heitor Villa Lobos fazem ação com a Agetran. (Foto:Divulgação)
Estudantes do Projovem da Escola Estadual Maestro Heitor Villa Lobos fazem ação com a Agetran. (Foto:Divulgação)
Alunos do Projovem da Escola Estadual José Ferreira Barbosa criaram armadilha para eliminar as larvas do Aedes. (Foto:Divulgação)
Alunos do Projovem da Escola Estadual José Ferreira Barbosa criaram armadilha para eliminar as larvas do Aedes. (Foto:Divulgação)

Antes mesmo da campanha de combate à dengue, lançada nesta segunda-feira (1) pela secretaria estadual de Educação, estudantes de duas escolas que integram o projeto Projovem Urbano, na Capital, se anteciparam e e se uniram para elaborar ações e campanhas que visam o combate e conscientização sobre os perigos oferecidos pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

Um dos grupos faz parte da Escola Estadual José Ferreira Barbosa, na Vila Bordon. O grupo se uniu e elaborou atividades, engajando a comunidade próxima à escola.

Foram produzidos panfletos e material informativo sobre as formas de evitar a proliferação de criadouros, que foram entregues nas residências do bairro.

Durante as visitas, os alunos conversaram com a população orientando sobre os cuidados que devem ter quanto a limpeza e armazenamento de objetos nos quintais.

A turma também realizou uma varredura na escola e nas casas próximas, à procura de criadouros. Uma das ações consistiu na produção de armadilhas para capturar o mosquito e evitar a disseminação de larvas e, consequentemente, sua reprodução.

Já na Escola Estadual Maestro Heitor Villa Lobos, do bairro Parati, a equipe montada também contou com a participação de professores que desenvolvem com os alunos a disciplina Participação Cidadã.

O objetivo foi colocar em prática a teoria discutida em sala de aula e, com o apoio da Agetran, criaram o projeto “Minha escola, minha casa, meu bairro sem Aedes aegypti”, que consistiu na distribuição de panfletos informativos e orientação de moradores e motoristas que frequentam o bairro no entorno da escola.

O Projovem Urbano é um programa destinado a jovens de 18 a 29 anos que não tenham concluído o Ensino Fundamental. A proposta é elevar o grau de escolaridade desses jovens através da conclusão do ensino fundamental, de qualificação profissional e do desenvolvimento de experiências de participação cidadã.

O projeto tem duração de 18 meses e é destinado aos estudantes que cumprem determinados requisitos de frequência e elaboração de trabalhos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário