A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/05/2012 22:59

Aparelho detecta quantidade de CO no pulmão e alerta fumantes

Paula Vitorino
O resultado do teste é instantâneo e mostra o grau de poluição do pulmão por conta de substâncias nocivas (Foto: Pedro Peralta)O resultado do teste é instantâneo e mostra o grau de poluição do pulmão por conta de substâncias nocivas (Foto: Pedro Peralta)

Em comemoração ao Dia Mundial Sem Tabaco, cerca de 70 pessoas realizaram nesta semana o teste que mede a quantidade de monóxido de carbono (CO) no pulmão. O resultado sai na hora depois do voluntário assoprar no recipiente do aparelho.

O cardiologista Sérgio Augusto Monteiro explica que o resultado mostra a quantidade de CO no organismo, variando entre os níveis: 0 à 6, normal; 6 à 10, leve; 10 à 20 moderado e acima disso é considerado forte. Quanto maior o nível, mais cigarros a pessoa fuma.

“Quatro pessoas apresentam índices dentro do nível moderado em Campo Grande. Pessoas que fumam há bastante tempo e vários cigarros por dia”, explica.

A operadora de caixa, Iris Dalva Castro, de 44 anos, apresentou índice 4 no teste. Ela fuma há 24 anos, cerca de 6 cigarros por dia. No entanto, no horário do teste ela estava trabalhando e por isso longe do cigarro há algumas horas.

“Com algumas horas de intervalo o índice o pulmão vai ficando mais limpo”, explica a pneumologista Eliana Setti.

Iris afirma que já tentou parar de fumar, mas só conseguiu por 15 dias. “Tomei uma cervejinha e a vontade de fumar veio forte, não aguentei”, diz.

A médica esclarece que parar de fumar é muito difícil porque o fumante fica dependente não só da química, mas também dos hábitos e emocionalmente. “A pessoa lembra do cigarro quando toma um café, está em determinado ambiente ou com certo humor”, explica.

Além da dependência, o cigarro é a maior causa de doenças no mundo, segundo os médicos especialistas. O fumante tem 45% chances a mais de ter infarto, 90% de câncer de pulmão e 25% de derrame.

Passivo - Os médicos alertam que a fumaça do cigarro também faz mal as pessoas que convivem com fumantes. Dependendo do tamanho do ambiente e da quantidade de fumaça, o chamado “fumante passivo” pode inalar mais nicotina que o próprio fumante.

“Ele inala a fumaça sem filtro, ou seja, é mais prejudicial para ele”, alerta o médico.

Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...
Ação oferece serviço especial na UBSF do Tarumã nesta terça-feira
A UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Tarumã promove nesta terça-feira (12) diversas atividades voltadas para a promoção de saúde da populaç...
Prefeitura e Sebrae fazem estudo em lojas para revitalizar rua 14 de Julho
A prefeitura de Campo Grande a o Sebrae de Mato Grosso do Sul estão realizando na rua 14 de Julho, Centro da cidade, um estudo técnico em 230 lojas, ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions