A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Novembro de 2019

08/11/2019 12:18

Após 4 mortes e ação contra PCC, operação vasculha celas da Máxima

Fiscalização começou por volta das 8h e os policiais deixaram o presídio por volta das 11h30 desta sexta-feira (8)

Anahi Zurutuza e Maressa Mendonça
Policiais do Batalhão de Choque deixam presídio após horas de pente-fino (Foto: Marcos Maluf)Policiais do Batalhão de Choque deixam presídio após horas de pente-fino (Foto: Marcos Maluf)

Com ajuda do Batalhão de Choque da PM (Polícia Militar), a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) realizou nesta manhã pente-fino no Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, a penitenciária de segurança máxima de Campo Grande. A fiscalização foi desencadeada depois que quatro mortes foram registradas num intervalo de quatro dias no Complexo Penal de Campo Grande e operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) mirar lideranças do PCC (Primeiro Comando da Capital).

O resultado ainda não foi divulgado, mas só a presença dos policiais do Choque no presídio causou alvoroço. Pelo menos 15 mulheres de internos passaram a manhã em frente à unidade em busca de informações sobre os maridos. Ela relatam ter ouvido”bate-grade” e gritaria na noite de ontem.

“Ficamos sabendo que teve um preso que apanhou muito, ficou até sem dente”, disse uma das entrevistadas, de 23 anos, sem revelar como obteve a informação.

Ela foi para a frente da Máxima às 7h30 e relata que o Batalhão de Choque chegou por volta das 8h. De um ônibus, desceram cerca de 40 policiais. Foi quando ela decidiu mandar mensagem em grupo de WhatsApp do qual participam outras mulheres de presos “para chamar as meninas para fazer pressão aqui na frente”.

Os policiais deixaram o presídio por volta das 11h30 desta sexta-feira (8).

A Agepen confirmou que se tratava de fiscalização de rotina e explicou que o Choque é chamado para fazer a retirada dos internos das celas e a segurança enquanto agentes fazem as vistorias em busca de drogas, celulares, armas artesanais. Não há confirmação de que presos foram transferidos.

Policiais em formação depois de fiscalização e antes de deixarem unidade penal (Foto: Marcos Maluf)Policiais em formação depois de fiscalização e antes de deixarem unidade penal (Foto: Marcos Maluf)

Operação – O pente-fino ocorre um dia depois que o Gaeco, com apoio do Choque e do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), cumpriu 46 mandados de prisão e 16 mandados de busca e apreensão contra integrantes de facção que comanda o tráfico e ordena o cometimento de crimes de dentro de presídios.

A Operação Comando Fechado foi às ruas de Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Aquidauana no Estado de Mato Grosso do Sul, além de Ribeirão Preto (SP), Porto Velho (RO), Morrinhos (GO) e Mossoró (RN).

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions