ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Após 6 meses, Polícia não sabe quem ateou fogo em jovem no Zé Pereira

Por Graziela Rezende | 03/12/2013 09:43

Seis meses após um atentado contra o funcionário público Hugo Alves Ledesma, 29 anos, que teve quase 90% do corpo queimado, algumas dúvidas ainda pairam no ar. Sem a autoria do crime, a investigação aponta que a vítima tenha ateado fogo no próprio corpo. No entanto, familiares garantem que a Polícia colheu provas que caracterizam uma tentativa de homicídio.

“O inquérito policial ainda está em andamento porque estamos realizando algumas diligências. Mas, até o momento, não definimos a autoria e a hipótese mais provável é de que ele tenha cometido um atentado, principalmente porque ele estava sem roupa e depois colocou as vestes para pedir socorro. Hugo também não tinha inimigos e pouco antes do fato, tomava remédios controlados”, comenta a delegada Christiane Grossi, da 7ª Delegacia de Polícia.

Em casa, após dois meses hospitalizado, Hugo se prepara para uma viagem a Bauru (SP). “Algumas parte do corpo não cicatrizaram corretamente e ele precisará passar por cirurgias. Recentemente, uma junta médica disse que ele já poderia voltar a trabalhar, mas ainda fica com uma manta térmica em casa. E todas as vezes que questionado, nega que tenha ateado fogo em si próprio”, afirma o irmão Júlio Alves Ledesma, 32P.

Segundo Ledesma, a família foi orientada a permanecer em sigilo, com relação a algumas provas. “São informações que não podemos repassar agora, mas que garantem que ele foi vítima de uma tentativa de homicídio. Na verdade, a única coisa que ele se lembra é que saiu da casa da namorada e depois levou uma pancada na cabeça”, diz o irmão.

Crime – No dia 26 de maio, Hugo teve 90% do corpo queimado no Jardim Zé Pereira, em Campo Grande. Na ocasião, as suas roupas foram encontradas intactas.

Nos siga no Google Notícias