A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

11/06/2015 17:05

Após morte, voluntários protestam pedindo punição para agressores de cadelinha

Alan Diógenes
Vitória ficou 11 dias internado, mas não resistiu aos ferimentos. (Foto: Marcelo Calazans)Vitória ficou 11 dias internado, mas não resistiu aos ferimentos. (Foto: Marcelo Calazans)

Voluntários que ajudaram a cuidar da cadelinha Vitória Guerreira, que morreu após 11 dias de tratamento, depois de ter sido atropelada e maltratada irão realizar um manifesto no domingo (14), na Praça Ary Coelho, Centro de Campo Grande. O objetivo é chamar atenção das autoridades para ter punição aos envolvidos no crime.

Quem começou a chamar a população pela rede social Facebook foi a estudante Aline Kina, 25 anos, que também faz um trabalho de resgate de animais vítimas de maus-tratos como a serralheira Simona Zaim, 32, e a aposentada Lubas Lomar, 62, que encontraram a cachorrinha ferida no Bairro Coophavila II. “Vamos nos vestir de preto, em sinal de luto pela Vitória e outros tantos animais que morreram vítima de maus tratos e abandono”, comentou.

Vitória estava sedada e recebia alimentação na veia, além de remédios para evitar infecção e aliviar a dor. "Ela não sofreu de infecção ou nada do tipo, no entanto a ferida, apesar de bem cuidada, era muito grande e prejudicava todo o corpo", esclareceu a médica veterinária Jucimara Pereira, que cuidou do animal.

O evento começa as 15h. Quem quiser mais informações ou tiver dúvidas pode encontrar em contato pelo (67) 9838-8917.

Caso - Moradores onde a cachorrinha foi encontra disseram que ela sofreu maus-tratos de quatro adolescentes. O caso foi publicado no Facebook e causou grande comoção e revolta dos usuários da rede social.

A Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), instaurou um inquérito para investigar o caso, e descobriu que o animal havia sido atropelado e depois abandonado.

Conforme a Polícia Civil, a dona de Vitória, uma mulher de 55 anos, confessou que viu quando a cadelinha foi atropelada, e que chegou a levá-la em uma clínica, mas como não tinha dinheiro para pagar o tratamento, a abandonou em um terreno baldio. Ela será indiciada por maus-tratos a animais.

A Polícia Civil agora procura pelo motorista que teria atropelado a cadelinha no dia 30 de maio.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions