A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

10/04/2015 12:21

Audiência pública discute intervenções da CCR MS Via na área urbana da Capital

Flávia Lima
Obras na BR-163 tiveram início em 2014 e já foram responsáveis por audiências edebates em vários municípios do Estado. (Foto:Arquivo Campo Grande News)Obras na BR-163 tiveram início em 2014 e já foram responsáveis por audiências edebates em vários municípios do Estado. (Foto:Arquivo Campo Grande News)

Vereadores de Campo Grande realizam logo mais, às 14 horas, na Câmara Municipal, uma audiência pública com a CCR/MS Via, empresa que detém a concessão e é responsável pela duplicação do trecho da BR-163 que atravessa Mato Grosso do Sul.

Na reunião serão debatidas as intervenções pretendidas pela concessionária no perímetro urbano, nas rotatórias da saída da cidade que dão acesso ao distrito de Anhanduí e Jaraguari.

A reunião foi convocada pela Comissão Permanente de Obras e Serviços Públicos, composta pelos vereadores Carlão (presidente), Engenheiro Edson (licenciado), Alceu Bueno, Ayrton Araújo do PT e Chiquinho Telles; e pelo presidente da Casa de Leis, vereador Mario Cesar.

A rodovia foi privatiza ano passado e a CCR/MS tem direito da concessão por 25 anos. A BR-163 é uma rodovia com 1780 km de extensão e liga os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Pará. É uma rodovia de fundamental importância para o escoamento da produção das regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil.

A duplicação em Mato Grosso do Sul teve início em julho do ano passado. Nos cinco primeiros anos, estão previstos investimentos de R$ 3,4 bilhões (valores de janeiro de 2014) para a realização de obras que contemplem a duplicação completa da rodovia. O valor representa mais de 60% do total de R$ 5,5 bilhões a serem investidos até o final da concessão.

As obras ainda acontecem com a autorização especial do Ibama, que permite que os trabalhos aconteçam sem licença ambiental, mas sob rígidas restrições, dentro da faixa de domínio, sem afetar as APP (Áreas de Proteção Permanente), áreas de comunidades indígenas e quilombola e sem desalojamento de famílias ou desapropriações.

Mortes

Antes conhecida como “Rodovia da Morte”, com a concessão da BR-163 em Mato Grosso do Sul para a CCR MS Via, o número de mortes na rodovia caiu 45%, nos dois primeiros meses de 2015, segundo levantamento da PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Ainda conforme os dados da PRF, em abril, primeiro mês da rodovia sob administração privada, houve 14 mortes na estrada. A partir daí foram registrados 11 óbitos em maio, cinco em junho, oito em julho, nove em agosto, dois em setembro, um em outubro, nove em novembro e três em dezembro, mês que bate com as festas de Natal, Ano Novo, além do início das férias escolares.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions