A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

13/11/2014 12:02

Azambuja lamenta morte de Manoel de Barros, “o poeta com alma pantaneira”

Michel Faustino
Governador eleito lamentou a morte de Manoel de Barros. (Foto: Marcelo Calazans/Arquivo)Governador eleito lamentou a morte de Manoel de Barros. (Foto: Marcelo Calazans/Arquivo)

O governador eleito, deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) se pronunciou por meio de comunicado oficial lamentando a morte do poeta Manoel de Barros, considerado um dos maiores nomes da literatura brasileira. O poeta estava internado desde o dia 24 de outubro no Proncor e faleceu na manhã de hoje (13), aos 97 anos. O aniversário de 98 seria comemorado no dia 19 dezembro.

Na nota, Azambuja faz um pequeno resgate da trajetória do poeta e ressalta que “Manoel de Barros soube representar com maestria a alma do sul-mato-grossense, em especial, do pantaneiro. Suas palavras encantaram gerações, divulgaram nossos costumes, nossa gente, nossa terra. Manoel de Barros deixa saudades e uma coletânea de obras premiadas que sempre será para nós motivo de orgulho”.

Manoel de Barros - O poeta, nascido em Cuiabá, se tornou referência no gênero poesia e teve 34 obras publicadas sendo a primeira em 1937 e a mais recente no ano passado. No exterior, teve três obras traduzidas em Portugal, França e Espanha. A história do escritor começou com “Poemas Concebidos Sem Pecado".

Ao todo, ele recebeu 13 prêmios, incluindo dois Jabuti de Literatura (1989/2002), além da Academia Brasileira de Letras, em 2000.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions