ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Caçambeiros farão protesto em frente à prefeitura nesta sexta-feira

Eles querem providências quanto o fechamento do aterro de entulhos no Jardim Noroeste

Por Christiane Reis | 05/01/2017 17:35
Caçambeiros pararam caminhões-caçamba nas ruas próximas à Câmara Municipal el protesto. (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)
Caçambeiros pararam caminhões-caçamba nas ruas próximas à Câmara Municipal el protesto. (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)

Depois de vários protestos desde o dia 15 de dezembro, quando foi determinado o fechamento do aterro de entulhos, no Bairro Jardim Noroeste, os 102 caçambeiros que atuam na Capital vão protestar em frente à Prefeitura de Campo Grande nesta sexta-feira (6) pela manhã.

Segundo o diretor da Associação Campograndense de Locação de Bens Móveis, Bruno de Brito, a intenção é que o grupo seja recebido pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD). “Precisamos de solução para o que está ocorrendo, não temos onde colocar os entulhos e as caçambas estão espalhadas pela cidade. Sem contar que por conta disso não podemos mais trabalhar”, disse. Ele não deu detalhes sobre como será a manifestação desta sexta-feira.

Interdição - A interdição do aterro de entulhos no Jardim Noroeste foi determinada no dia 15 de dezembro. Mesmo sem licença ambiental, o local era o único destino “regular” para as mais de 1,4 mil toneladas de resíduos da construção civil produzidos diariamente na cidade.

Uma vistoria feita em julho pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) constatou que no aterro há triagem superficial dos resíduos, permitindo ingresso de materiais recicláveis e lixo orgânico.

Autor da decisão, o juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, David de Oliveira Gomes Filho, disse na semana passada à reportagem que o aterro precisa passar por uma série de adequações, como fechamento no entorno e proibição da entrada de lixo hospitalar.

A cidade já teve quatro pontos para aterro de entulho, que foram fechados. Em maio do ano passado, uma área na saída para Sidrolândia chegou a ser avaliada pela prefeitura para receber os resíduos, mas não houve transferência do aterro. No ano passado os caçambeiros realizaram vários protestos, no dia 22 de dezembro os eles estacionaram os caminhões-caçamba nas ruas adjacentes à Câmara Municipal. Na ocasião eles usaram a tribuna e apresentaram as reivindicações. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário