A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/04/2016 18:00

Câmara proíbe professores de falarem de política e sexualidade nas escolas

Amanda Bogo
Autor do projeto, Paulo Siufi: professor tem que ensinar matemática, ciências (Foto: Divulgação / Câmara Municipal de Campo Grande)Autor do projeto, Paulo Siufi: "professor tem que ensinar matemática, ciências" (Foto: Divulgação / Câmara Municipal de Campo Grande)

A Câmara Municipal de Campo Grande aprovou na quinta-feira (31) projeto de lei que proíbe, entre outras coisas, o Poder Público a participar, nas escolas, da orientação sexual dos alunos, principalmente no que se refere a conteúdos sobre a ideologia de gêneros. Em todas as unidades de ensino da educação básica, inclusive as particulares, deverão haver cartazes informando as exigências da nova legislação.

O projeto, apresentado pelo vereador Paulo Siufi (PMDB), passou com apenas dois votos contrários. Ele traz um anexo com "deveres dos professores" em que, por exemplo, restringe de alguma forma os docentes a falarem sobre políticas ou ideologias nas escolas, prevendo tratamento de "forma justa" a questões nestas áreas e também sócio-culturais e até econômicas.

Já no primeiro item dos "deveres", consta: "o professor não se aproveitará da audiência cativa dos alunos, com o objetivo de cooptá-los para esta ou aquela corrente política, ideológica ou partidária". A lista completa, que pode ser conferida no fim deste texto, deverá constar em cartazes nas unidades educacionais.

Ainda de acordo com a lei, alguns assuntos precisarão de autorização prévia para serem lecionados. "As escolas confessionais e as particulares cujas práticas educativas sejam orientadas por concepções, princípios e valores morais, religiosos ou ideológicos, deverão obter dos pais ou responsáveis pelos estudantes, no ato da matrícula, autorização expressa para a veiculação de conteúdos identificados com os referidos princípios, valores e concepções", traz o terceiro artigo do texto.

Defesa e ataque – Para o autor da lei, essas decisões ideologicas devem ser tomadas pela família e não aos professores. "Cabe aos professores ensinar matemática, português, ciências. A educação sexual e a religião deve ser ensinada pelos pais. Esses temas não devem ser discutidos em sala de aula por professores e pessoas que acham que entendem do assunto", afirma o vereador.

Siufi ainda enfatiza que recebeu parabenização de diversas pessoas pelo projeto. "O projeto recebeu crítica de pessoas ligadas ao movimento LGBT. As pessoas que respeitam a família deram apoio."

Quanto ao ensino religioso, o vereador afirmou não ter restrição quanto a realização de orações dentro das escolas. "Não existe proibição ou restrição quanto a realização de orações dentro da escola. O Pai Nosso é uma oração universal, e ninguém está se posicionando contra a religião e a família", declarou.

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS), junto com o verador Eduardo Romero (Rede Sustentabilidade), foram os únicos a votar contra o projeto que, conforme a parlamentar, é autoritário, discriminatório e coloca mordaças nos professores. "Esse projeto não está de acordo com a Constituição Brasileira que fala do direito livre, as crianças são educadas em escolas livres. Você acaba mordaçando os professores que passam mais de 200 dias em sala de aula em contato direto com esses alunos", afirmou, ressaltando que "debater questões sociais, politicas, culturais, economicas ou quaisquer outras em sala de aula é despertar para a cidadania, formar o senso crítico".

Leia, na íntegra, o anexo "Deveres do Professor" da lei aprovada na Câmara:

DEVERES DO PROFESSOR

I - O Professor não se aproveitará da audiência cativa dos alunos, com o objetivo de cooptá-los para esta ou aquela corrente política, ideológica ou partidária.

II - O Professor não favorecerá nem prejudicará os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas, ou da falta delas.

III - O Professor não fará propaganda político-partidária em sala de aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas.

IV - Ao tratar de questões políticas, sócio-culturais e econômicas, o professor apresentará aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma profundidade e seriedade –, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito.

V - O Professor respeitará o direito dos pais a que seus filhos recebam a educação moral que esteja de acordo com suas próprias convicções.

VI - O Professor não permitirá que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de terceiros, dentro da sala de aula.



continuação 7- Ao contrário dos religiosos que respeitam e praticam o que está escrito em Romanos capítulo 12 versículo 1 e estimulam seus fieis a estudarem profundamente teologia.
Link para Romanos capítulo 12 versículo 1: http://bereianos.blogspot.com.br/2010/12/descobrindo-o-que-e-culto-racional.html
E para os vereadores conquistarem os votos dos considerados por eles como "pessoas que respeitam a família" e angariarem os votos dos religiosos, dão o golpe de misericórdia, alegando que permitirão orações consideradas universais como o decorado “Pai e Nosso”.
Como estes nobres senhores não sabem nem sequer o significado da expressão “universal às religiões”.
Conhecerão eles a Constituição Brasileira?
 
ElyPaschoalick em 17/05/2016 03:11:13
continua 6-Epa, pera aí, falar em liderança num ambiente onde é proibido conversar outros assuntos que não sejam matemática, geografia, português, ciências, história; epa! Ensinar ciências sem falar em hipóteses? História sem falar em política... Acho que os professores de lá precisarão desenvolver uma inteligência analógica extraordinária para conseguirem esta façanha histórica.
Se eles puxaram a inteligência dos vereadores isto vai ser fácil, pois os mesmos aproveitaram e colocaram na mesma lei da mordaça a questão religiosa da criação do mundo, proibindo o ensino do evolucionismo aos estudantes, fato que muito agrada aos religiosos que pretendem fazer da religião um ópio para o povo. CONTINUA 7-
 
ElyPaschoalick em 17/05/2016 03:09:27
continuação 4- Oriento a estes pobres professores que filmem suas aulas e suas conversas com os alunos para que possam ter direito a ampla defesa se punidos forem por esta lei que coincidentemente foi aprovada no dia em que se comemora em nossa Nação a implantação da Ditadura Militar popularmente conhecida como “Revolução Redentora”.
Será que esta será uma tendência mundial? Campo Grande que é descrito na Wikipédia como local de maior influência cultural da região terá mesmo este poder de liderança?
Epa, pera aí, falar em liderança num ambiente onde é proibido conversar outros assuntos que não sejam matemática, geografia, português, ciências, história; epa! Ensinar ciências sem falar em hipóteses? História sem falar em política... CONTINUA
 
ElyPaschoalick em 17/05/2016 03:07:25
continuação 3- município de Campo Grande (700 mil habitantes), tem em seu quarto artigo as palavras "justa - profundidade e seriedade" descritas em texto tão subjetivo que haveria necessidade de amplo debate entre juristas, mestres educacionais, teólogos, psicólogos, matemáticos, cientistas e sociólogos para que as mesmas fossem quantificadas de maneira a serem consideradas exatas apresentando um mínimo de equidade, neutralidade ou imparcialidade: "IV - Ao tratar de questões políticas, sócio-culturais e econômicas, o professor apresentará aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma profundidade e seriedade –, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito".
Pensarão estes nobres vereadores que professores e alunos já são robôs?
CONTINUA
 
ElyPaschoalick em 17/05/2016 03:05:52
(continuação)políticas Públicas,.bota incrível nisto!
Mas, incrível mesmo é deceparem o famosíssimo trabalho realizado por Jaques Delors, a mando da UNESCO, no final do século XX sobre as tendências educacionais na educação do mundo (menos em Campo Grande) para o século XXI, conhecidos e defendidos mundialmente como os 4 Pilares da Educação: Aprender a SER, a CONVIVER, a APRENDER e a FAZER.
Tudo indica que os dois primeiros foram abolidos por unanimidade pela Câmara Municipal de Campo Grande, pois como ensinar a SER GENTE e a CONVIVER com gente se não podemos conversar sobre o que gente é, sente, pensa, faz, crê...
A lei municipal que será obrigatoriamente exposta em local visível em todos os estabelecimentos de ensino seja ele público ou privado (continua)
 
ElyPaschoalick em 17/05/2016 03:03:59
CANETADA DECEPA JAQUES DELORS - Pergunto estarrecida: como podem decepar alguém ou alguma coisa com uma canetada?
Sim, é possível! Os vereadores de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul (estado fundado no período da ditadura militar-1977) se reuniram em março de 2016 e colocaram uma mordaça na boca dos professores reduzindo-os a simples repetidores conteudistas, decretando a proibição de ser colocado em conversa dentro do recinto escolar política, religião e gênero (novo apelido do sexo).
Por incrível que pareça, na “Cidade Morena” não se pode falar que Jovens negros são as principais vítimas da violência e têm 2,5 vezes mais chances de serem assassinados no Brasil do que jovens brancos; na cidade mais arborizada do Brasil não se pode falar de políticas públicas,(continua)
 
ElyPaschoalick em 17/05/2016 03:01:58
Enquanto o Mundo avança em alguns assuntos o Brasil retrocede em vários" (Jan Nunes)
Analisando a frase do vereador Siufi que diz:"que recebeu parabenização de diversas pessoas pelo projeto. "O projeto recebeu crítica de pessoas ligadas ao movimento LGBT. As pessoas que respeitam a família deram apoio.". Ele deixa claro seu preconceito as pessoas LGBT.
 
JAN FABIO NUNES DA SILVA em 02/04/2016 17:10:17
Acredito que a educação vem de casa, sim através do convívio familiar. Mas, nas escolas devam ensinar e exercitar o exercício da nossa cidadania como também o debate do contraditório sobre temas que superem o senso comum e o pré conceito arraigado que as vezes permeia toda a sociedade.
Aliás, acredito que faltou a este autor deste projeto absurdo muita reflexão e debates na sua formação: quem não se lembra dele no escândalo de não ir trabalhar no posto de saúde? Paulo Siufi está na lista dos médicos acusados pelo Ministério Público Estadual (MPE) de receber sem cumprir a devida carga horária pela qual foi contratado para atuar na rede pública de saúde de Campo Grande.
 
humberto em 02/04/2016 10:40:56
A Câmara Municipal de Campo Grande aprovou na quinta-feira (31) projeto de lei que proíbe, entre outras coisas... O Estado através dos tempos com suas politicas de Assistência Social e controle social dos sistemas foi colocando nas cabeças dos menos favorecidos a ideia de que o Estado deveria cuidar da educação dos filhos. Seria muito bom se fosse verdade, o Estado com seus políticos corruptos, distorcem, deturpam e induzem ao erro. Então aparece educadores compromissados com a verdade e são cerceados ao facilitar a educação, e para se esconder atras da má intenção, foca na religiosidade e sexualidade. Com efeito, se os menores não tem pais com capacidade de formação de opinião, tem que pelo menos ter o direito de aprender a exercitar isso na escola, ou perpetuaremos a mentira?
 
CLÁUDIO GONÇALVES MOREIRA em 02/04/2016 08:22:26
Acho bem estranho nao falar de politica no atual contexto do pais mas enfim convem a eles que agente nao si interesse e nao saiba oq acontece la ate pq fica mais facil para eles "trabalharem", e a educaçao sexual ser dada em casa bom so acho que o tema planejamento familiar nao tem dado muito certo no nosso pais.
 
Alexandre Costa em 02/04/2016 08:01:11
Apoio para o Projeto do Dr Paulo Siufi, minha familia é quem deve educar seus filhos, quanto a questão da sexualidade e religião. Fui criada assim e desejo que meus filhos assim sejam.
 
Mirian Pereira de Oliveira em 01/04/2016 19:00:44
Muito Orgulho do Projeto de Lei do Dr Paulo, minha familia, acredita que a educação deve ser feita em casa.
 
Mirian Pereira de Oliveira em 01/04/2016 18:59:12
Mordaça??? ahhh, me poupem, distorcem tudo, quanto mimimi!!!! EDUCAÇÃO E ORIENTAÇÃO SEXUAL É DENTRO DE CASA COM OS PAIS!!! Aos professores compete ensinar disciplinas como português, matemática...enfim!!! Parabéns Campo Grande!!! PARABÉNS ESCOLA SEM PARTIDO!!!
 
Ingrid GGomes em 01/04/2016 18:57:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions