ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  03    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Campanhas nas redes sociais querem barrar lockdown em Campo Grande

A prefeitura deve anunciar amanhã uma nova medida restritiva para tentar frear o novo coronavírus

Por Aline dos Santos | 14/07/2020 13:00
Campanha, cuja autoria nao foi assumida por nenhuma entidade, convoca protesto para amanhã.
Campanha, cuja autoria nao foi assumida por nenhuma entidade, convoca protesto para amanhã.

Campanha nas redes sociais, inclusive uma delas convocando protesto presencial em frente à prefeitura, tentam barrar o lockdown em Campo Grande. Enquanto correm rumores e boatos, não há anúncio formal se a medida restritiva será adotada na cidade, que assiste ao grande aumento dos casos de covid-19.

Batizada de “Lockdown Não”, uma convocação nas redes sociais convida para ato público amanhã, a partir das 9h30, em frente à prefeitura de Campo Grande. O slogan é que empresários e trabalhadores estão unidos contra o fechamento do comércio.

A postagem ainda pede que o prefeito Marquinhos Trad (PSD) respeite a população porque ela paga o salário do chefe do Poder Executivo. A paternidade do evento não foi assumida nem por representantes da sociedade nem do setor empresarial.

Presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Adelaido Vila afirma que a entidade é contra o lockdown, mas não apoia o protesto convocado para amanhã. “A CDL é totalmente contrária, não é o momento para esse tipo de manifestação. Conseguimos entender o sufoco e o desespero da classe empresarial, mas não somos favoráveis à manifestação como essa”, afirma.

A Câmara de Dirigentes Lojistas atua em outra frente, com a campanha “Lockdown ? Fechar quem produz, quem segue as regras, não vai segurar o vírus, só vai  matar a cidade”.

 Segundo o presidente da CDL, a Capital caminha para o lockdown por falta de punição aos que descumprem as regras.

Campanha da CDL diz que fechamento do comércio vai matar a cidade. 
Campanha da CDL diz que fechamento do comércio vai matar a cidade.

Conforme divulgado hoje pelo Campo Grande News, a prefeitura deve anunciar amanhã uma nova medida restritiva para tentar conter o avanço do novo coronavírus.  Mas não será ainda o lockdown, termo em inglês que define o fechamento de quase todos os setores, com circulação apenas de trabalhadores dos serviços essenciais, como saúde e segurança.

Nesta terça-feira, completa quatro meses do anúncio de casos do novo coronavírus em Campo Grande. Em 14 de março, foram divulgados os dois primeiros casos confirmados da doença. Hoje, conforme boletim epidemiológico da SES (Secretaria Estadual de Saúde), são 4.836 casos confirmados.