A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

03/08/2015 12:44

Capital realiza, após 15 anos, o sonho do campus da Universidade Estadual

Leonardo Rocha
Reinaldo ressaltou que obra centraliza atividades da UEMS em Campo Grande, em estrutura moderna e capacitada (Foto: Marcos Ermínio)Reinaldo ressaltou que obra centraliza atividades da UEMS em Campo Grande, em estrutura moderna e capacitada (Foto: Marcos Ermínio)
Reinaldo junto com reitor da UEMS, Fábio Edir, participam do descerramento da placa do novo campus, sonho de 15 anos (Foto: Marcos Ermínio)Reinaldo junto com reitor da UEMS, Fábio Edir, participam do descerramento da placa do novo campus, sonho de 15 anos (Foto: Marcos Ermínio)

Acompanhado por diversas autoridades e representantes do setor de educação, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) inaugurou no final desta manhã (3), o campus da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande. Este sonho antigo da população e dos estudantes, teve o custo final de R$ 50,4 milhões.

Reinaldo afirmou que entregou esta obra como um compromisso que vai terminar os projetos que ficaram inacabados da antiga gestão. Ele lembrou que assumiu com 30% da execução pronta, no começo de 2015, concluiu a sua infraestrutura, equipou os departamentos e ainda complementou o projeto com um aditivo de R$ 7,6 milhões.

“Este recursos serviu para estruturas que não estavam previstas, como laboratórios, paisagismo e espaços importantes, o lago seria dispensado, mas resolvemos deixá-lo e fazer todos os ajustes necessários, se trata de um sonho realizado”, disse o tucano.

Ele ponderou que este campus em Campo Grande centraliza os trabalhos da UEMS, que antes estavam espalhados em locais diferentes, tendo agora uma estrutura e engenharia moderna a disposição. “Um espaço de conhecimento e inovação, governador não é fácil, principalmente em momento da economia difícil, mas educação é prioridade”.

O reitor da UEMS, Fábio Edir Santos Costa, ponderou foram 15 anos de espera em Campo Grande, até a realização de um campus da Universidade. “Um presente para Capital e a todo povo de Mato Grosso do Sul, com um projeto inovador e um espaço amplo e capacitado, se trata de uma conquista”.

Ele enfatizou que a UEMS segue com seu princípio de interiorização, com a sede continuando em Dourados, mas que em Campo Grande começou com o curso Normal Superior e hoje tem a disposição 9 cursos e três pós-graduação, tendo no momento 1,1 mil alunos, sendo que a estrutura pode comportar até 1,8 mil estudantes.

“A Universidade em todo Estado tem 70% de alunos com domicílio em MS, 80% vindo da rede pública, em 21 municípios, sendo que conseguimos aumentar os cursos, pós graduação, mestrado, doutorado, mostrando que o Estado tem compromisso com a educação”.

Campus terá salas de aula, laboratórios, espaço de convivência, área administrativa, anfiteatro e outros locais disponíveis (Foto: Marcos Ermínio)Campus terá salas de aula, laboratórios, espaço de convivência, área administrativa, anfiteatro e outros locais disponíveis (Foto: Marcos Ermínio)

Estrutura – Com uma área construída de 21 mil metros quadrados, a novo campus na Capital dispõem de 7 blocos, que comporta salas de aula, administração, laboratórios, biblioteca, teatro, passarelas, bicicletários, subestação, guaritas, além de um lago artificial central e colunas inspiradas em pinturas indígenas.

Tendo 150 servidores, o campus terá neste momento 1,1 mil alunos, em nove cursos: Medicina, Artes Cênicas e Dança, Bacharelado em Letras, Bacharelado em Geografia, Licenciatura em Geografia, Letras Português-Espanhol e suas Literaturas, Letras Português-Inglês e suas Literaturas, Pedagogia, Turismo e Medicina.

Localizada na rodovia MS-080, saída para Rochedo, ao lao da Agraer, o novo campus terá no 1° bloco a área de convívio, no segundo os cursos de Artes Cênicas e Turismo. Já o terceiro bloco abrigará o curso de Letras, enquanto que o quarto terá o setor de administração, urbanismo e infraestrutura. No 5°, 6° e 7° ficarão os cursos de Medicina, junto com os laboratórios, assim como Geografia e Pedagogia.

Obras – O governador aproveitou o evento para dizer que vai terminar as 192 obras deixadas pela antiga gestão que precisam ser finalizadas, sendo que o plano é concluir 80% delas neste ano e o restante em 2016. Ele ainda respondeu as críticas do ex-deputado federal Edson Giroto, que havia dito que a gestão tucana estava “inerte e morosa”, afirmando que ao contrário, vai finalizar todos os projetos deixados pela antiga administração, por meio do programa “Obra Inacabada Zero”.

Reinaldo disse que reconhece o trabalho feito pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB), que trouxe recursos e projetos ao Estado. “Tenho boa relação com o PMDB, mas não concordo com crítica infundada de membro do antigo governo”.

Participaram desta solenidade vereadores da Capital, deputados estaduais e federais, além de representantes de segmentos e sociedade civil. Como principal homenageado estava o ex-governador Pedro Pedrossian, idealizador da UEMS, que inclusive assinou o ato de criação da Universidade em 1993.

Novo campus tem sete blocos, nove cursos e três pós-graduação, com 1,1 mil alunos, tendo custo de R$ 50,4 milhões (Foto: Marcos Ermínio)Novo campus tem sete blocos, nove cursos e três pós-graduação, com 1,1 mil alunos, tendo custo de R$ 50,4 milhões (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions