ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Com 123 na disputa, TJ aplica prova de processo seletivo para 17 vagas

Programa Residência Judicial funciona como estágio para “aprender a ser juiz”

Por Aline dos Santos | 20/06/2021 15:37
Prova foi realizada neste domingo em faculdade de Campo Grande. (Foto: TJ/MS)
Prova foi realizada neste domingo em faculdade de Campo Grande. (Foto: TJ/MS)

O TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) aplicou neste domingo (dia 20) a prova do processo seletivo com 17 vagas para o Programa de Residência Judicial. Dos 155 aptos a participar desta etapa, 32 não compareceram.

De acordo com o diretor-geral da Ejud-MS (Escola Judicial), desembargador Dorival Renato Pavan,   foram respeitados todos os protocolos e medidas de segurança como distanciamento nas salas, uso de álcool em gel e de máscara.

Com 50 questões de múltipla escolha, a prova foi realizada das 8h às 11h, na Faculdade Insted, em Campo Grande. A segunda etapa será de prova de títulos e terá apenas cunho classificatório.

A Residência Judicial tem três etapas, com carga horária de 20h ou 30h semanais, com duração máxima de um ano para cada fase.  Parte das atividades será cumprida em gabinete, supervisionadas por um magistrado orientador, e a outra será cumprida sob a responsabilidade da Esmagis (Escola Superior da Magistratura) ou outra instituição de ensino conveniada.

Ao término da participação no programa, o participante receberá certificado expedido pelo Tribunal de Justiça, valendo como prova de atividade jurídica. O preenchimento das vagas será realizado conforme a disponibilidade financeira e orçamentária. Foram reservadas vagas para pessoas portadoras de deficiência, negros e indígenas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário