A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

16/05/2012 15:31

Com Ceinfs e Cras em greve, mães buscam com quem deixar as crianças

Mariana Lopes
Ceinf do Marcos Roberto, que ontem estava em funcionar, hoje abriu normalmente, mas outros seguem sem atendimento, como no Aero Rancho. (Foto: Minamar Júnior)Ceinf do Marcos Roberto, que ontem estava em funcionar, hoje abriu normalmente, mas outros seguem sem atendimento, como no Aero Rancho. (Foto: Minamar Júnior)

Com parte Ceinfs (Centro de Educação Infantil) e Cras (Centro de Referência e Assistência Social) em greve desde ontem (15), mães buscam com quem deixar os filhos durante o período de trabalho.

Nesta quarta-feira, a equipe de reportagem do Campo Grande News voltou às creches dos bairros Aero Rancho e Marcos Roberto, que ontem estavam fechadas, e apenas a segunda foi reaberta. Enquanto há mães que entendem a atitude tomada pelos funcionários, outras reclamam por não ter onde deixar os filhos.

A vendedora Maiara Tomas de Lima, 23 anos, por exemplo, trabalha o dia inteiro e precisa dos serviços do Ceinf do bairro Marcos Roberto para ter com quem deixar o filho dela de 5 anos. “De manhã ele vai para a escola e à tarde fica na creche, mas ontem tive que deixá-lo na casa da minha mãe”, conta.

Mesmo ainda não sendo mãe, a estudante Jéssica Vitória Borges, 13 anos, disse que ontem teve que faltar aula para poder ficar com o sobrinho, de 1 ano e 8 meses, pois a mãe dele não tinha com quem deixar. “É complicado, porque eu não posso ficar com ele todo dia”, afirma a adolescente.

Sem a faixa estendida na entrada do prédio, o Ceinfo do bairro Marcos Roberto voltou a funcionar hoje. Segundo moradores da região, o movimento de crianças está normal desde o período da manhã.

No bairro Aero Rancho, o Ceinf continua fechado. A vendedora Carla Gonçalves, 27 anos, também trabalha o dia inteiro e, tanto ontem quanto hoje, precisou se virar para arrumar alguém que ficasse com o filho dela.

“Foi complicado, porque nem a minha mãe e nem a minha sogra podiam ficar ele. Tive que pedir para um primo ficar com ele de manhã e um tio meu ficou com ele à tarde”, conta.

Porém, mesmo sem os serviços do Ceinf, Carla entende a posição dos funcionários em relação à greve. “É um direito deles de reivindicarem por melhorias no trabalho”, pontua a vendedora.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, o único Ceinf que ainda está funcionando parcialmente é o do bairro Aero Rancho II, mas a partir de amanhã o funcionamento volta ao normal.

A paralisação motivou a criação de uma comissão especial na Câmara dos Vereadores, que se reuniu com trabalhadores nesta manhã. Neste momento, os sindicalistas estão reunidos na sede da entidade que reúne os trabalhadores.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions