A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

29/12/2012 13:20

Com chuva, córrego transbordou e alagou casas na Ernesto Geisel

Mariana Lopes
Na casa de dona Sebastiana, ela teve que colocar os méveis na varanda para poder limpar a casa (Foto: João Garrigó)Na casa de dona Sebastiana, ela teve que colocar os méveis na varanda para poder limpar a casa (Foto: João Garrigó)
A água entrou no carro de Jurcele e danificou todo o estofado (Foto: João Garrigó)A água entrou no carro de Jurcele e danificou todo o estofado (Foto: João Garrigó)

A chuva forte de ontem (28) à noite transbordou o córrego Anhanduí e alagou casas na avenida Ernesto Geisel, na região do bairro Marcos Roberto, em Campo Grande. Mesmo acostumados com as enchentes que sempre ocorrem nesta época do ano, os moradores assustaram com o volume de água que invadiu as ruas e entrou nas residências.

Para Jurcelene Ferreira da Silva, de 43 anos, a noite de ontem foi de susto. “Foi coisa de 5 minutos e a água estava dentro da minha casa”, conta. Ela mora em uma meia-água e a enchente invadiu o quintal até dentro da casa. “Do lado de fora a água batia na minha cintura e dentro ela cobria minhas canelas, na rua não dava para saber nem onde começa o córrego, parecia um rio”, dimensiona a moradora.

O mato e sujeiro que foram arrastados pela enxurrada ficaram nas grades de um terreno localizado na Ernesto Geisel (Foto: João Garrigó)O mato e sujeiro que foram arrastados pela enxurrada ficaram nas grades de um terreno localizado na Ernesto Geisel (Foto: João Garrigó)

Enquanto a chuva não diminui e a água baixou, Jurcelene conta que ela e a família ficaram ilhados na casa. “Chamamos os bombeiros, mas eles não tinham nem como chegar aqui. A minha maior preocupação era com a minha prima, que veio me visitar e estava com duas crianças, uma de 4 meses e outra de 6 anos”, conta. Na casa dela, a água entrou também no carro que estava estacionado no quintal e danificou todo o estofado.

Outra residência também bastante atingida foi a de Sebastiana Conceição de Oliveira, de 78 anos. Até a manhã deste sábado (29), toda a família ainda tirava o barro que ficou da enchente de ontem. “Fizemos um mutirão para conseguir dar conta da sujeira, ficamos até às 2h da manhã e ainda assim não deu para limpar tudo”, conta.

Os móveis de uma das casas que ficam no mesmo terreno tiveram que ser colocados na varanda, todos encharcados. Dona Sebastiana afirma que todo final de ano é a mesma coisa. “Já tiveram enchentes até piores, em 2005 e 2006, mas não tem como se acostumar com essa tragédia”, pontua a idosa.

Na tapeçaria de Ubaldino, o prejuízo de todo o trabalho dele (Foto: João Garrigó)Na tapeçaria de Ubaldino, o prejuízo de todo o trabalho dele (Foto: João Garrigó)

Na tapeçaria de Ubaldino Simões de Lima, de 53 anos, o prejuízo foi ainda maior. A enchente acabou com praticamente todo o trabalho dele. “A gente dá duro o ano todo e vem a água e leva tudo”, lamenta.

Segundo o tapeceiro, que já está cansado da situação, todo ano é a mesma coisa. “Moro aqui há 18 anos e sempre sofri com isso. A meu ver, é muito descaso da Prefeitura, que não arruma a parte de drenagem e contenção de água. O projeto eu sei que existe, mas não sei do papel”, reclama.

Mesmo pegando firme na limpeza até 1h da madrugada, o barro que se alojou na tapeçaria ainda estava lá na manhã de hoje. “Aqui tem muitos móveis e é mais difícil limpar, acho que vou passar o final de semana para colocar tudo no lugar, um bom presente de final de ano, né?!”, ironiza.

Moradores registraram a enchente de ontem na Ernesto GeiselMoradores registraram a enchente de ontem na Ernesto Geisel
O córrego transbordou e inundou ruas e casasO córrego transbordou e inundou ruas e casas

Em fevereiro deste ano, estes mesmos moradores da região do Marcos Roberto sofreram com outro alagamento durante uma chuva forte. Dona Sebastiana chegou a dar entrevista ao Campo Grande News e relatou o medo que sente toda vez que o tempo fecha e a chuva ameaça cair. Ela até montou um álbum com fotos de enchentes de anos anteriores, como as que aconteceram em 2005 e 2006.

Na noite de ontem, Campo Grande registrou 48,4 milímetros de chuva. O volume de água provocou alagamentos em 20 pontos da Capital, arrastou carros e derrubou árvores.

No arquivo de fotos de dona Sebastiana, alagamento que atingiu a região do Marcos Roberto em 2006No arquivo de fotos de dona Sebastiana, alagamento que atingiu a região do Marcos Roberto em 2006
Também em 2006, água de enchente na Ernesto Geisel cobriu carro e invadiu casasTambém em 2006, água de enchente na Ernesto Geisel cobriu carro e invadiu casas


e agora quem sera que vai pagar nossos o prejuizo do carro da minha esposa?
 
fernando borges em 14/01/2013 13:45:26
MAIS UMA HERANCA DE 30 ANOS QUE O PREFEITO ATUAL TERA QE RESOVER, NAO ACREDITO QUE ELE TENHA COMPETENCIA PARA ISSO, MAS VAMOS ESPERAR PRA VER
 
wilian natal de souza em 31/12/2012 10:19:35
MAS SERÁ MESMO QUE O PREFEITO (EX) NELSINHO TEM MESMO 85% DE APROVAÇÃO COMO DIZ O CORREIO DO ESTADO?
 
José Otávio em 31/12/2012 07:59:04
NÃO É SÓ NA ERNESTO GEISEL, AS REPORTAGENS DEVERIAM COBRIR TODA A CIDADE E NÃO SÓ O CENTRO, POIS NOS BAIRROS EXISTEM PROBLEMAS IGUAIS OU PIORES, NA AVENIDA CAPIBARIBE, NO JARDIM PETRÓPOLIS, ENFRENTE AO AEROPORTO INTERNACIONAL, A CADA CHUVA O ALAGAMENTO É TOTAL.
 
Milton Martins em 30/12/2012 20:01:41
Tenho visto uma obra muito estranha na região, mais uma drenagem feita na rua Ouro Verde desde a parte alta do bairro levando mais água pra dentro deste córrego, fica minha pergunta mais uma vez e espero que seja publicada, não temos engenheiro inteligentes o suficiente pra ver que jogar mais água ali não resolve???
 
Oswaldo Ferreira em 30/12/2012 14:06:22
Mas não disseram que haviam resolvido o problema das enchentes?
 
Valter Oliveira em 29/12/2012 18:41:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions