A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

14/02/2018 12:58

Construção de 1.138 moradias populares na Capital começa em um mês

Projetos do Minha Casa, Minha Vida ficam nos bairros Aero Rancho, Portal das Laranjeiras, Sírio Libanês e Jardim Inápolis

Humberto Marques
Área no Inápolis vai receber 66 unidades habitacionais. (Foto: Divulgação)Área no Inápolis vai receber 66 unidades habitacionais. (Foto: Divulgação)

Começa em 30 dias a construção das mais de mil habitações viabilizadas pelo governo do Estado em Campo Grande, em parceria com os governos federal e da Capital. Ao todo, 1.138 casas e apartamentos integrantes do programa minha Casa, Minha Vida serão entregues para famílias que possuem renda mensal de até R$ 1,8 mil, conforme informações da administração estadual.

“Conseguimos essas moradias através de uma parceria entre o governo do Estado, a Prefeitura de Campo Grande, o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica Federal. Vamos atender as mais de mil famílias com casas e apartamentos que terão toda a infraestrutura: piso cerâmico, reboco, laje e com todo padrão qualidade”, afirma a diretora-presidente da Agehab (Agência Estadual de Habitação Popular), Maria do Carmo Avesani Lopez.

As empresas que assinaram contrato para a construção têm 30 dias para organizar os canteiros de obras e iniciar os empreendimentos. As moradias serão construídas em áreas no residencial Portal Laranjeiras (na região do Tarumã, no sul de Campo Grande); Sírio Libanês I e II (oeste); Jardim Aero Rancho (sul) e Jardim Inápolis (próximo ao Indubrasil, no oeste).

Nas últimas duas semanas, a Prefeitura de Campo Grande realizou a remoção amigável de uma ONG em uma área do Aero Rancho, próxima à avenida Graciliano Ramos, e de um casal no Portal das Laranjeiras, para o início dos empreendimentos. No primeiro terreno serão construídos 448 apartamentos, enquanto 368 moradias ficarão na outra propriedade.

FAR – Também serão construídas 256 habitações no Sírio Libanês e 66 no Inápolis. Ao todo, serão investidos R$ 109 milhões em todos os projetos. A administração estadual entrará com contrapartida de R$ 19 milhões. A Caixa será o agente financeiro do empreendimento, que terá recursos do FAR (Fundo de Arrendamento Residencial).

“Reivindiquei [no Ministério das Cidades] a inclusão da nossa Capital e de Mato Grosso do Sul na seleção de novas moradias para diminuirmos o deficit habitacional. Agora, não tenho dúvidas de que fomos contemplados com projetos de qualidade, para que nossa população seja beneficiada com moradias dignas”, declarou, via assessoria, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions