ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Defensoria também vai à Gameleira ver situação de presos que pararam de comer

Um reunião está marcada para às 8h na penitênciária

Por Adriano Fernandes | 18/02/2021 22:10
Entrada da Gameleira. (Foto: Henrique Kawaminami)
Entrada da Gameleira. (Foto: Henrique Kawaminami)

Representantes da Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul irão à Penitenciária de Regime Fechado da Gameleira, em Campo Grande, nesta sexta-feira (19) avaliar a situação dos detentos que fazem greve de fome na unidade prisional.

Há seis dias, cerca de 150 presos pararam de comer e fazem uma série de reivindicações, dentre elas colchões, coberta, água e até televisão nas celas. A defensoria vai avaliar as condições do estabelecimento penal após ter recebido denúncias de familiares dos detentos, sobre a forma com eles são tratados na penitenciária.

Um reunião está marcada para às 8h na Gameleira com coordenadores dos Núcleos do Sistema Penitenciário, Direitos Humanos e Ações Estratégicas da Defensoria.

Nesta quinta-feira (18), quatro advogados já conversaram com os presos e prometeram levar à diante as reivindicações deles. Os relatos dos presos serão documentados e protocolados na comissão de Direitos Humanos da seccional local da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

PCC - Conforme a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) a greve de fome foi incitada por lideranças do PCC (Primeiro Comando da Capital) na unidade. "Desde o sábado [dia 13], um grupo formado por lideranças negativas passou a recusar as refeições oferecidas, exigindo que sejam autorizadas algumas regalias na penitenciária, entre elas televisores nas celas", diz a nota.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário