A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

07/11/2011 11:08

Demora em receber soro foi crucial em morte de jovem por picada de cascavel

Fabiano Arruda e Viviane Oliveira

Coordenador do Civitox diz que falta preparação a profissionais de saúde no socorro às vítimas de animais peçonhentos

Médico pede que população redobre cuidado no verão, época propícia para ataques de animais peçonhentos. (Foto: João Garrigó)Médico pede que população redobre cuidado no verão, época propícia para ataques de animais peçonhentos. (Foto: João Garrigó)

O período de aproximadamente seis horas sem receber o soro antiofídico foi determinante na morte de Márcio Paulo de Souza, de 27 anos, informou nesta segunda-feira o coordenador do Civitox (Centro de Vigilância Toxicológica), Sandro Benites.

Márcio permaneceu por este período, no sábado, no UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Vila Almeida, antes de ser encaminhado para o Hospital Regional de Campo Grande.

A mesma situação ocorreu no último dia 27 na morte de Maria Eduarda Esquizel Rissi, de 3 anos, na Capital. Foram cerca de três horas até a menina receber o soro adequado.

No caso de Márcio, que foi picado por uma cascavel extremamente venenosa, a identificação do quadro é ainda mais difícil, já que a picada é praticamente impossível de ser encontrada no corpo da vítima, explica Sandro.

Além disso, o ataque desta serpente deixa a vítima com sinais de estado de embriaguez. “Queda das pálpebras, visão turva, dor muscular e dificuldade respiratória”, elenca os sintomas o coordenador do Civitox.

Os casos recentes motivaram reunião na manhã desta segunda-feira entre representantes do Civitox, Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

Eles traçaram diretrizes para promover treinamentos e palestras para capacitação dos profissionais de saúde, principalmente, nas unidades 24 horas.

“A principal orientação à vítima por animais peçonhentos é procurar atendimento em unidades 24 horas, por isto a importância de profissionais qualificados neste atendimento”, comenta Sandro. “Falta formação médica específica”, emenda.

O período do verão é propício para a maior incidência de ataques de animais peçonhentos. É nesta época do ano que a cobra, por exemplo, sai para a caça e procriação.

“Qualquer região que tenha mato vai ter animal peçonhento”, afirma Benites, orientando que, as pessoas que estiverem nestes locais utilizem bota e calça jeans.

O coordenador do Civitox também alerta para os que jogam futebol em áreas com mato alto, ao redor do campo, que não entrem nestas regiões para evitar o risco de picadas.

Segundo Sandro, de dez ataques de serpente, nove são de jararaca e são raros os de cascavel, a segunda cobra mais venenosa, atrás apenas da espécie coral verdadeira.

Vítimas de picadas de jararaca apresentam sinais opostos ao da cascavel como edemas, sangramento e dor no local do ataque.

Em qualquer um dos casos, a medicação com o soro em menor tempo possível é determinante para que a vítima sobreviva.

Na última sexta, uma mulher em Campo Grande foi vítima de picada de escorpião e foi encaminhada rapidamente ao Hospital Regional, onde recebeu atendimento adequado e posteriormente recebeu alta.

Morte - Márcio Paulo de Souza, de 27 anos, morreu ontem, por volta das 12 horas, no Hospital Regional, vítima de picada de cascavel sofrida no sábado por volta das 17 horas enquanto ele tomava banho na cachoeira da Antena no bairro Vila Nasser.

O pai do jovem, Milton Paulo de Souza, comentou ao Campo Grande News que os médicos não identificaram a picada da serpente no corpo de Márcio.

Além disso, ele relatou que os médicos chegaram a dizer que o jovem poderia ter morrido de overdose porque não acharam o sinal do ataque, entretanto, a falta de marcas e a aparência de embriaguez fazem parte das características das vítimas de cascavel.

Pai de jovem morto por picada de cobra diz que filho chegou ao HR 6 horas depois
Milton Paulo de Souza, pai de Márcio Paulo de Souza, de 27 anos, morto após ser picado por uma cobra, afirmou que o filho levou cerca de seis horas p...
Após ser picado por cobra na Vila Nasser, homem morre no HR
Márcio Paulo de Souza, 27 anos, morreu neste domingo, por volta das 12 horas, após ser picado por uma cobra ontem, por volta das 17 horas.Ele teria s...
Mulher de 50 anos é vítima de picada de escorpião, no bairro Aero Rancho
Dessa vez, soro antiveneno foi aplicado rápido e ela já teve alta e está em casaDez dias depois da morte da menina Maria Eduarda, de 2 anos, picada ...


O que falta mesmo são os plantonistas atenderem com mais responsabilidade, porque tem alguns que atendem com tamanha mal vontade de dá nojo. Os atendentes dos postos estão sempre de cara amarrada (salvo alguns). Parece que estão fazendo favor, se estão ali é para trabalhar e fazer bem feito como em toda profissão, afinal o ganha pão deles sai dali, se não esta contente com serviço, sai.
 
Cida Barros em 07/11/2011 11:56:06
infelismente a sauda da nossa cidade não tem copetencia para atuar nesses casos,uso de exemplo a caso da pequena maria eduarda que morreu por falta de socorro! que deus venha abençoar e confortar todos em especial o pai e a mãe.
 
luciana matos em 07/11/2011 11:54:30
Nossa , eu estou preocupada, porque dos dois lados da minha casa, o mato esta tomando conta, os donos não aparecem para fazer limpeza no local e eu não sei o que fazer."as pessoas tem que ter consciência".
 
Greice Alves em 07/11/2011 11:30:58
houve um retrocesso , antigamente em qualquer fazenda ou pequena propriedade rural existia diversos tipos de soros enviados pelo Instituto Butantã , os moradores de áreas rurais mandavam cobras vivas e outras espécies de animais peçonhentos e recebiam informações adequadas e eram treinados para aplicar o soro la mesmo na propriedade rural, mas infelizmente tudo isso acabou , é modernidade .
 
Paulo Roberto Marques Pereira em 07/11/2011 08:15:12
QUE DEUS CONFORTE O CORAÇÃO DO MILTINHO O PAI DO MARCIO E DE SUA MÁE...E DO SEU IRMÃO MARCELO..EU CONHECIA A VITIMA , VA COM DEUS MARCIO..
 
FLAVIO RODRIGO em 07/11/2011 08:06:13
Por que não mudar o protocolo de atendimento. Ao constatar picada de algum animal peçonhento, a vítima deveria ir direto para o Hospital Regional e não ficar fazendo baldeação em Postos de Saude. Com o procedimento atual, estamos perdendo vidas, já foram duas em menos de um mês. Quantas mais terão que morrer, para mudar a burocracia?
 
Solange Fernandes em 07/11/2011 07:12:52
Lamentável, isto acontecer. Eu que não vou em posto de saúde, é melhor morrer em casa mesmo. Esse povo que atende em posto de saúde deveria, após o concurso público passar por uma avaliação psicológica para ver se tem amor pelo menos a si mesmo. Meus sentimentos a família que perdeu esse rapaz.
 
Gilberto Ozuna em 07/11/2011 06:39:19
Na verdade, quando uma pessoa é picada por animais peçonhentos deveriam ir imediatamente para o hospital, e nada de ficar esperando em observação em posto de saúde, porque vão morrer mesmo. E outra, deveria ter essa medicação para veneno em outros hospitais também, não só no HR, porque até chegar lá... já é tarde...Meus sentimentos a família.
 
Vanessa Silva em 07/11/2011 05:50:32
Mas o que é isso??? O rapaz é mordido por cascavel e os médicos não encontram a identificação da picada... . O tempo vai passando e o que acontece é isso, morre por falta de medicação específica, ou quando chega é tardia demais. É uma lástima vermos casos tão graves acontecerem dessa forma com a saúde e o bem-estar das pessoas. Não dá pra suportar uma situação dessas!!!
 
juca sampaio em 07/11/2011 03:21:52
A meu ver,os médicos de postos de Saúde,estão segurando por muito tempo pacientes para observação,se não descobriram a causa e não encontraram melhóra nos primeiros minutos,encaminha logo para um hospital com mais condições,para que esperar,se continuar assim vamos ter muito mais vitimas!,Gente, são vidas humanas,cade o juramento médico?e o soro tem que ter um todos pronto atendimento.
 
Lucas da Silva em 07/11/2011 02:32:05
como mostra a reportagem, a familia tem que cobrar do estado indenização por esta morte. Está claro que houve impericia do médico, que não soube o que fazer, houve tb omissão de socorro, pois, tão logo viu que não podia resolver deixou de encaminhar imediatamente ao centro especializado - civitox, esperou mais de seis horas para encaminhar e assumiu o risco de morte.
 
everton de souza em 07/11/2011 01:49:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions