A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

06/09/2018 14:45

Dono de mercado é preso por fabricar linguiça com carne vencida

Além disso, vários produtos fora do prazo de validade foram encontrados no local durante ação da Polícia Civil e Procon

Guilherme Henri
Pacote de carne estava vencido desde março deste ano (Foto: Assessoria/ Decon)Pacote de carne estava vencido desde março deste ano (Foto: Assessoria/ Decon)

O Supermercado JJ, na Avenida Presidente Vargas, no Bairro Santo Antônio fabricava e vendia linguiça feita com carne vencida. Além disso, vários produtos fora do prazo de validade foram encontrados no local durante ação da Polícia Civil e Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) na manhã desta quinta-feira (6). O açougue do mercado foi lacrado e o dono preso em flagrante.

Conforme o delegado titular da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), Wilton Vilas Boas de Paula, a polícia chegou até o estabelecimento depois de receber diversas denúncias.

Com apoio do Procon, ao averiguá-las policiais e agentes encontraram morangos embolorados expostos a venda, além de diversos outros produtos fora do prazo de validade.

Carne vencida em caixas no setor onde seriam fabricadas linguiças (Foto: Assessoria/ Decon)Carne vencida em caixas no setor onde seriam fabricadas linguiças (Foto: Assessoria/ Decon)

No entanto, o que chamou a atenção foi que nos fundos do mercado existe um setor onde é fabricada linguiça. Porém, a carne utilizada seria imprópria ao consumo, já que estava com o prazo de validade vencido. Imagens feitas pela própria equipe mostram pacotes de carnes vencidos desde março deste ano.

“O funcionário nos disse que a carne vencida ficava congelada. Se ao descongelar estivesse boa, a linguiça era feita, caso contrário a carne era descartada”, detalhou o delegado.

Diante da situação, foram acionadas a perícia da Polícia Civil e a Vigilância Sanitária. Parte dos produtos impróprios ao consumo, como carne foram apreendidos pela vigilância para serem descartados. "O açougue foi lacrado", destaca o delegado.

O dono do mercado, João José Marquesan da Cunha, 59 anos, foi preso em flagrante. Conforme o delegado da Decon, ele vai responder pelo crime de expor e vender mercadorias em condições impróprias ao consumo. A pena prevista para esse tipo de crime vai de 2 a 5 anos de prisão.

Além disso, na delegacia não foi arbitrada fiança e caberá à justiça, em audiência de custódia, decidir se o proprietário permanecerá ou não preso.

O Campo Grande News foi até o supermercado nesta tarde e verificou que os expositores do açougue estão vazios. Funcionários disseram que o local receberá carnes para a venda amanhã (7).

A reportagem tentou contato com o estabelecimento por telefone, mas foi informada que ninguém da administração estava no local para comentar o caso. 

Supermercado alvo da ação fica na avenida Presidente Vargas no no Bairro Santo Antônio.(Foto: Kísie Ainoã)Supermercado alvo da ação fica na avenida Presidente Vargas no no Bairro Santo Antônio.(Foto: Kísie Ainoã)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions