A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/09/2014 08:11

Duas tragédias em 1 mês abalam moradores de uma rua no Colibri

Aliny Mary Dias e Francisco Júnior
Local onde homem foi morto. (Foto: Marcos Ermínio)Local onde homem foi morto. (Foto: Marcos Ermínio)
Carro que teria sido roubado por suspeito. (Foto: Marcos Ermínio)Carro que teria sido roubado por suspeito. (Foto: Marcos Ermínio)

Há um mês, praticamente no mesmo horário, um homem de 47 anos era morto a tiros e pauladas pela mulher. Trinta dias depois, em uma residência vizinha, outra morte tirou o sono dos moradores, dessa vez um homem de 34 anos suspeito de roubar um carro morreu em troca de tiros com o Batalhão de Choque da Polícia Militar. O cenário dos dois crimes é a Rua João Trivelatto, no bairro Colibri II, que abriga moradores reféns do medo causado pelos crimes.

Aos 66 anos e 30 deles vivendo no Colibri, a aposentada que prefere não ser identificada com medo de represálias é o exemplo do quanto os crimes vem mudando a vida de quem era acostumado a viver tranquiliamente no bairro.

Ela não sai mais de casa, principalmente à noite. Apesar da ainda gostar o bairro, a violência tem extrapolado os limites suportáveis. “Antigamente eu saía de casa, ia no quintal, mas não saio mais depois que mataram uma mulher aqui pero”, desabafa a moradora que vive sozinha.

Um jovem de 29 anos, que mora na Rua João Trivelatto, conta que o bairro se transformou e não só a rua é motivo de preocupação. Sobre ser refém do medo, o jovem resume o que tem vivido nos últimos tempos em sete curtas palavras. “Não dá mais para ficar aqui, não”.

Os dois relatos ouvidos pela reportagem, apesar de retratar a realidade da maioria, partiram de dois corajosos moradores. Já que a maioria ao ver a presença da imprensa prefere o silêncio.

Crimes – O segundo crime do intervalo de 30 dias ocorreu na noite de ontem (14). Conforme registro policial, equipes de motos do Choque faziam rondas na região da Rua Catiguá quando um homem parou a equipe dizendo que teve um Fiat Uno vermelho roubado. Os militares começaram a fazer rondas na região e encontraram o carro em um local escuro do bairro.

Com as mesmas características do carro roubado, os policiais ordenaram que o motorista Luis Carlos de Oliveira Santana parasse o carro, mas ele desobedeceu e deu início à fuga. As equipes seguiram o homem até que ele parou o carro em um quintal de uma casa, já no bairro Colibri, e fugiu a pé.

De acordo com o relato dos militares à Polícia Civil, Luis atirou primeiro contra os policiais e um deles revidou duas vezes. O tiro atingiu o tórax da vítima e ele foi socorrido por uma viatura do Choque até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Universitário. O rapaz não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade.

O primeiro crime também ocorreu no dia 14, mas do mês de agosto. Segundo informações da PM, Amarildo Flçavio Tomazi, 47 anos, estava discutindo com sua esposa quando aconteceu o crime. Ele teria levado os tiros de outra pessoa e teve o crânio atingido por pauladas.

Após roubo de carro, homem de 34 anos é morto por policial do Choque
Um homem de 34 anos, suspeito de ter roubado um Fiat Uno, no fim da noite de ontem (14), foi morto por policiais do BPChoque (Batalhão de Choque) da ...
Identificado homem morte a tiros no bairro Colibri
Amarildo Flavio Tomazi, 47 anos, foi assassinado com três tiros no tórax e teve o crânio destruído com uma barra de ferro. O crime ocorreu, na noite ...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions