ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Dupla que matou carioca com 6 tiros em emboscada no Portal Caiobá é julgada

Vítima, natural do Rio de Janeiro, morava na região há apenas uma semana e voltava para casa quando foi morta

Por Dayene Paz e Bruna Marques | 19/05/2022 09:01


Igor Ferdinando de Almeida e Rafael dos Santos Inzaubralde sentam no banco dos réus, nesta quinta-feira (19), pelo assassinato do carioca Márcio Rogério dos Santos, de 43 anos, após emboscada no Portal Caiobá, em Campo Grande, no dia 17 de junho de 2020. O crime foi filmado por câmeras de segurança.

Testemunhas contaram que a vítima, natural do Rio de Janeiro, morava na região há apenas uma semana e voltava para casa, quando foi abordada pelos autores do crime. Eram cinco suspeitos. Um deles esperava dentro de um Chevrolet Monza e os outros quatro aguardavam Márcio.

Nas imagens, é possível ver os suspeitos esperando pela vítima. Dois deles ficaram em meio ao matagal às margens da via, e os outros dois encostados no carro. Assim que Márcio vira a esquina, é abordado. Ele é cercado pelos quatro rapazes e levado até o Monza. Em um primeiro momento, tenta fugir, mas é ameaçado com um facão por um dos envolvidos.

A “confusão” continua e os suspeitos insistem para Márcio entrar no veículo, mas ele consegue empurrar um dos homens e corre. Márcio é perseguido por dois dos autores, um deles o mesmo que estava com o facão. O outro saca uma arma e dispara várias vezes.

Segundo a polícia, o homem foi atingido por seis tiros de pistola 9 milímetros – nas costas, no braço, na orelha, nádega e na cabeça. Depois do crime, o grupo fugiu no Monza. No local, a perícia encontrou sete cápsulas de 9 mm e um projétil.

Com as imagens em mãos, equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) assumiram a investigação e, pouco tempo depois, encontraram dois dos envolvidos no crime – um adolescente de 17 anos e Igor Ferdinando de Almeida. Os dois já estavam em casa, ambas no Portal Caiobá, quando foram abordados pelos policiais.

O adolescente contou que foi contratado para avisar os comparsas quando Márcio aparecesse na rua. Para isso, receberia R$ 500. Igor afirmou que foi chamado para o mesmo serviço, em troca, teria uma dívida de R$ 537 quitada. Eles foram levados para delegacia e indiciados em flagrante pelo crime.

As apurações preliminares apontam ainda que a ordem para matar Márcio partiu de um presidiário de Campo Grande. Além de Igor e Rafael, Gabriel Matheus Pires Domingues - que estava no Monza - também foi denunciado pelo crime. Os outros envolvidos não foram identificados.

Nos siga no Google Notícias