ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Em frente à usina de triagem, lixão toma conta de ruas no Dom Antônio

Ruas em frente ao local são usadas como ponto de descarte de entulho, galhos de árvores, sofás e restos de animais

Por Silvia Frias e Ronie Cruz | 01/04/2019 09:28
Montanha de lixo formada em rua do Dom Antônio Barbosa. (Foto: Henrique Kawaminami)
Montanha de lixo formada em rua do Dom Antônio Barbosa. (Foto: Henrique Kawaminami)

Uma extensa área em frente à usina de triagem de resíduos do Dom Antônio Barbosa é usada como lixão informal, usada irregularmente por moradores da região e ponto de “desova” de material de construção. Os moradores dizem que já reclamaram da situação à prefeitura.

O lixão fica em frente à usina, tomando área extensa das ruas Josephina Daniel Pupin e Reginaldo Moura. Romilda Fernandes Mendes, 63 anos, mora na região há sete anos e disse que a situação beira ao insuportável. “Quando eu cheguei era limpo, depois começaram a jogar tudo, ficou essa sujeirada aí”.

Aviso é completamente ignorado no lixão clandestino (Foto: Henrique Kawaminami)
Aviso é completamente ignorado no lixão clandestino (Foto: Henrique Kawaminami)
Catadora recolhe lixo deixado na rua. (Foto: Henrique Kawaminami)
Catadora recolhe lixo deixado na rua. (Foto: Henrique Kawaminami)

No terreno, há verdadeiras montanhas de lixo: material de construção, sofá, carcaças de TV, galhos de árvores e restos de animas mortos. Catadores aproveitam o lixão para retirar material de reciclagem, mas o resto permanece no local. “Até uma cabeça de boi já jogaram aí”. O mau cheiro causa incômodo e os restos de animais atraem ratos.

Rosimeire disse que à noite é comum a chegada de caminhões que despejam entulhos. “Eu tenho medo de chegar perto e falar para não jogar ali”. Segundo ela, fiscais da prefeitura já estiveram várias vezes no local, mas a situação nunca foi resolvida.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da prefeitura e aguarda retorno.

Veja o vídeo: