A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

09/05/2014 09:49

Em quatro anos, mulher foi agredida em 10 ocasiões pelo ex-marido

Graziela Rezende
Vítima já registrou 10 ocorrência contra agressor. Foto: Cleber GellioVítima já registrou 10 ocorrência contra agressor. Foto: Cleber Gellio

Entre os 13 agressores de mulheres, presos durante a operação “Dia das Mães”, deflagrada esta semana em Campo Grande, um dos autores chama a atenção pela reincidência no crime. São 10 boletins de ocorrência contra ele após o término de um relacionamento de quatro anos. A vítima, de 28 anos, diz que ele não aceita até hoje a separação.

O vendedor de veículos José Evandro Ribeiro Mendonça, 47 anos, começou as agressões no dia 28 de fevereiro de 2010. Em depoimento, a mulher disse que eles já estavam separados, porém possuíam um filho em comum. Neste dia, ele compareceu ao local de trabalho da vítima e pedia a ela para entrar em seu veículo, proferindo ameaças de morte. Ele só foi embora após outras pessoas ligarem para a Polícia.

Após uma semana, mais um registro de violência doméstica. No dia 31 de março, a vítima compareceu novamente à Deam para denunciar o ex-marido. No dia 3 de abril, outra ocorrência. Nessa época, segundo a Polícia, já havia o pedido de medidas protetivas contra o autor, porém ele desrespeitava ligando no celular da mulher.

Pouco mais de dois meses, uma nova ocorrência por ameaça. No dia 29 de agosto de 2011, a vítima compareceu a delegacia para denunciar injurias do autor. Naquele ano, a última ocorrência foi no dia 13 de novembro. Já no primeiro mês de 2012, ela denunciou o autor por vias de fato e ameaças.

Em fevereiro daquele ano, um novo registro pelo crime de violência doméstica. A partir daí, Evandro permaneceu um tempo quieto, mas a ex-mulher voltou à delegacia no dia 28 de outubro de 2013. Na Deam, ela falou que frequentemente o autor desobedece as medidas protetivas e liga na loja onde a vítima trabalha, dizendo que irá matar ela e o seu namorado.

Evandro permanece preso na 4ª Delegacia da Capital, à disposição da Justiça. De todos os presos, seis já estavam condenados pela Justiça e outros sete foram detidos por meio dos mandados de prisão. Há 15 dias, a Deam realizou um levantamento sobre o endereço residencial e até do trabalho desses autores. Eles têm idade entre 18 e 60 anos.

Além de José Evandro, os presos são: Adriano da Silva Ferreira, Hélio Pereira de Oliveira, Fábio Assis, Isaías Pessoa de Oliveira, Jorge Luiz Nogueira Júnior, Leandro Luciano Pereira, Lucílio dos Santos, Ranolfo Rulfio Neto, Roberto Fernandes Pucharelli, Romis Rodrigues Cavalcante da Silva, Robson Douglas de Freitas e Claudio Balbino da Silva.

Polícia deflagra ação após monitorar possíveis crimes contra mulheres
Deflagrada esta semana para prender agressores de mulheres, a operação Dia das Mães teve início após a Polícia ter conhecimento de ameaças direcionad...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...


É Maximiliano, parece que a tal garota vai ser solta mesmo. Imagine um crime deste, que ela esta envolvida e, não ser punida, tudo comprovado que ela participou, enterrando vivo uma pessoa no seu quintal. Que justiça é esta?? Se ela que cometeu esta barbaridade, esta sendo solta, imagine estes v.. que batem em mulher. Mulher tem que começar a matar homens metidos a valentão, só acho.
 
Mirtes Lourenço Camilo em 09/05/2014 12:15:32
A lei também não colabora, olha o caso dessa mulher, quantas vezes a pessoa tem que procurar a justiça por causa de agressão e a justiça nada faz, o cara desrespeita uma ordem de restrição e mesmo assim a justiça não coloca na cadeia, é por isso que chega uma hora em que a população faz justiça com as próprias mãos, primeiro porque tá desesperado e não aguenta mais apanhar e passar constrangimento e segundo porque infelizmente A NOSSA JUSTIÇA NÃO É JUSTA, isso mata a esperança de qualquer um. Olha a menina que participou da atrocidade que foi contra o menino que foi morto covardemente por causa de uma porcaria de carro, vai ser solta, acho que hoje, se a família do menino matar ela, quem pode culpa-los? JUSTIÇA JÁ!
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 09/05/2014 10:21:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions