A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

06/03/2014 18:04

Empresa cria teoria para explicar substância verde em caixa de suco

Bruno Chaves
Substância pastosa e verde foi encontrada dentro de caixa de suco de laranja (Foto: Divulgação)Substância pastosa e verde foi encontrada dentro de caixa de suco de laranja (Foto: Divulgação)

A General Brands, que gerencia os alimentos da marca Camp, realizou análise laboratorial em um lote de sucos para apurar a reclamação da cliente Vilma Galeano Farias, 51 anos, que diz ter encontrado uma substância pastosa e verde dentro da embalagem de um suco de laranja. A empresa criou uma teoria para explicar o aparecimento da substância.

Conforme o relatório da análise, o controle de qualidade foi feito em um produto do mesmo lote, já que a cliente não quis enviar a embalagem para checagens.

“Não foi identificada no processo de fabricação a causa da não conformidade. Foram avaliadas as análises realizadas nas matérias primas, água e os laudos de insumos utilizados na formulação desse néctar, e todos estavam dentro dos padrões especificados pela General Brands”, informa.

A empresa também informa que foram verificados os registros das análises microbiológicas dos produtos, não sendo identificada nenhuma contaminação. O grupo informa que na foto divulgada pelo Campo Grande news é possível verificar que a embalagem apresenta pontos amassados, que podem ocasionar em quebra do alumínio interno, com perda da hermeticidade.

“A não conformidade originou-se pontualmente, já que não observamos essa mesma reclamação em outro produto do mesmo lote. Pode ocorrer que durante o procedimento logístico ou no ponto de venda, o produto tenha sofrido algum dano mecânico, algum tipo de pressão ou queda, forçando a embalagem, levando a microfuros nos pontos amassados”, justifica a nota.

A análise feita pela empresa ainda afirma que o suco envasado em embalagem tetra pak é um produto cujo ph é menor que 4,0, o que “não permite a multiplicação de bactérias patogênicas causadoras de intoxicação alimentar”.

“Pela imagem, acredita-se que tenha ocorrido entrada de ar na embalagem e contato do produto com o meio externo, perdendo a hermeticidade. Por não apresentar em sua formulação nenhum tipo de aditivo conservador, a perda da hermeticidade pode levar a degradação do néctar aos poucos, mesmo fechado, resultando em alteração sensorial”, finaliza o documento.

Achado – Acostumada a comprar sucos de caixinha para dar aos netos, a dona de casa Vilma Galeano de Farias se deparou com uma surpresa nada agradável na noite do último dia 28 ao colocar o último “gole” de um suco de laranja da marca Camp no copo.

“Quando virei a caixa, saiu a substância pastosa e verde”, lembrou. Ela afirmou que compra sucos de caixinha para dar aos netos e teme pela saúde deles. A dona de casa ainda afirmou que procurou a empresa, mas até o dia 1º de março não havia recebido respostas sobre o caso.

Família da Capital aciona Justiça após bar servir suco com cachaça a bebê
Uma viagem que, a princípio, seria somente de diversão e tranquilidade, quase se transformou em tragédia para a família do servidor público Paulo Jos...
Mulher de 43 anos morre ao tomar álcool combustível com suco
Uma mulher de 43 anos morreu na manhã de hoje ao ingerir álcool etanol com suco na Rua Carlos Castilho, no Jardim Carioca, em Campo Grande. Leonilda ...
Anvisa proíbe venda do suco da marca Ades no Brasil
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou a suspensão da fabricação, distribuição e comercialização do suco Ades, da Unilever, e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions