ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Com 144 leitos disponíveis, hospital de campanha do HR continua vazio na Capital

Unidade de campanha tem 144 leitos para casos de baixa complexidade que não são usados

Por Ana Paula Chuva | 04/08/2020 13:16
Hospital de Campanha no início da tarde desta terça. (Foto: Kisiê Ainoã)
Hospital de Campanha no início da tarde desta terça. (Foto: Kisiê Ainoã)

Instalado desde abril no Hospital Regional de Campo Grande, a unidade de campanha para casos de covid-19 está ativa, mas vazia.  Em junho, a estrutura chegou a ser ativada com 10 pacientes, quando o HR atingiu 78,1% de ocupação de leitos críticos, porém nenhum permanece no local.

O hospital de campanha tem três tendas com contêineres que abrigam consultórios e salas de observação. Segundo diretora Rosana Leite Melo, a capacidade da unidade é de 144 leitos para casos de baixa complexidade, mas não existem pacientes desse tipo no local.

“Nós não temos mais pacientes de baixa complexidade. Hoje os casos do hospital são 100% covid-19, fora a oncologia. São casos que não podemos atender no hospital de campanha”, declarou.

Apesar de vazia, Rosana afirmou que a unidade segue ativa. “O hospital está ativo. Todo dia é feita a limpeza, se hoje precisasse transferir pacientes de ortopedia, por exemplo, poderia ser feito.”, disse.

Foi diferente - Ao Campo Grande News, a responsável pelo hospital disse que quando a unidade de campanha foi idealizada, em março, acreditava-se que o tratamento para a doença seria menos complexo.

 “Quando idealizamos o hospital achamos que o tratamento seria semelhante ao dos pacientes da dengue. O paciente chegaria, seria medicado e voltaria para casa. Mas não é o que acontece.”, contou.

Desde a última semana, o HR atingiu sua lotação máxima para casos de covid-19, sendo necessária a transferência de pacientes para outros hospitais.

Na manhã desta terça-feira (4), durante a transmissão ao vivo do boletim da covid-19, feita pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), Rosana chegou a afirmar que só ontem 10 pacientes foram removidos para outras unidades hospitalares.

Locação - Em maio, o governo do Estado publicou no Diário Oficial que o contrato de locação de 36 contêineres habitacionais para o hospital de campanha em Campo Grande, ao custo de R$ 1,243 milhão.

O contrato de locação dos contêineres foi firmado com a empresa Ekobox Locações, com vigência de 90 dias, a ser encerrado no dia 16 de agosto, prorrogável enquanto a necessidade de enfrentamento da pandemia, sendo renovado para manutenção da estrutura.

Boletim - Nesta terça-feira (4), Campo Grande atingiu a marca de 11.213 casos de novo coronavírus e 149 mortes, conforme a SES. Só o Regional registra 103 destes óbitos, conforme o boletim divulgado pela SES-MS (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul).