A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

03/03/2015 09:35

Estudante da Uniderp é socorrido após convulsão; confira o vídeo

Ricardo Campos Jr.

Um aluno da Uniderp/Anhanguera passou mal durante a noite desta segunda-feira (2) no campus da rua Ceará. De acordo com a empresa de resgate privado Qualisalva, que socorreu o universitário, ele teve uma convulsão e foi encaminhado para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Coronel Antonino.

O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado e encaminhou ambulância ao local, mas como o paciente já estava recebendo suporte, a equipe não prestou atendimento.

Uma aluna da instituição de 20 anos, que pediu para não ser identificada, filmou o momento do resgate. Segundo ela, havia grande movimentação de acadêmicos indo para o intervalo quando o rapaz desmaiou. Imediatamente, professores afastaram a multidão, que acompanhou a situação ao redor. “Ninguém estava entendendo o que estava acontecendo. Ficou aquela bagunça”, conta.

Foi um transtorno, conforme a acadêmica, para que os socorristas conseguissem chegar até a vítima, já que a maca não coube no elevador e teve que ser levada e até o segundo andar e trazida com o paciente pela escadaria. “Nós ficamos assustados. Não é a primeira vez que isso acontece. Colocam alguém para atender quando acontece alguma coisa, fica um mês e depois acaba”, reclama.

A estudante não conhece a vítima. Ela acredita que ele seja veterano do curso de direito. Ainda não há identificação dele e tampouco informações sobre o estado de saúde do universitário. O Campo Grande News entrou em contato com a assessoria de imprensa da Uniderp, que ficou de apurar as informações. Até a publicação desta reportagem não houve retorno.

Caro – O fato ocorre em um momento de revolta entre os matriculados no curso de direito da instituição que reclamam do reajuste de 12% no valor das mensalidades. Os protestos começaram com os alunos do curso de Medicina, que chegaram a fechar a rua Ceará em frente a instituição contra o aumento abusivo.

O aumento representa o dobro da inflação acumulada nos últimos 12 meses e está acima do autorizado pelo MEC (Ministério da Educação). O FIES (Financiamento Estudantil), foi reajustado em 6,4%, e não cobre o valor total da mensalidade, desta forma as alunos teriam que desembolsar a diferença.

Recorrente – No dia 19 de março de 2014, há quase um ano, Alana Cristina dos Santos, 18 anos, passou mal e morreu no bloco de arquitetura, também na unidade da Uniderp da Ceará. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado, mas ela já saiu morta da instituição de ensino. O corpo foi levado para o Centro Regional de Saúde 24 Horas do Bairro Tiradentes.

Na universidade, a fatalidade deixou os estudantes preocupados com a estrutura para socorro. “Falta uma brigada de socorristas. Teve que esperar vir profissional da policlínica”, disse a acadêmica Katielly Pupin, de 18 anos, colega de sala da jovem que morreu.

O caso fez a instituição contratar a empresa Qualisalva para manter uma ambulância de prontidão no campus, além de um posto médico no local. No dia 24 de outubro do ano passado, a Assembleia promulgou uma lei obrigando as instituições de ensino superior a providenciar uma enfermaria para atender os alunos em casos como esses.

Conforme o texto, estes postos devem ter profissionais habilitados em atendimento pré-hospitalar, além de um médico, tendo estrutura para locomover o mais rápido possível os pacientes para unidades de saúde e hospitais do Estado.

É permitido, a exemplo do que fez a Uniderp, a contratação de empresa particular para prestar o serviço. Quem descumprir as medidas terá que pagar multa diária de R$ 500 Uferms. Em caso haja reincidência, este valor será dobrado.



É inaceitável, uma universidade que possui um Centro de Especialidades Médicas não conseguir dar assistencia aos acadêmicos quando mais precisam... E a questão do FIES, a culpa É SIM da instituição, pois o aumento da mensalidade esta ACIMA do percentual autorizado pelo Governo Federal... Apesar de não ser a favor do Governo Dilma, não vejo motivos para protestar contra o Governo Federal sobre este, pois o mesmo JÁ MULTOU A UNIDERP por reajustar acima do autorizado pelo MEC. Além de pagarmos caro na mensalidade ainda temos que aturar as pessoas desinformadas que criticam as manifestações contra os atos irresponsáveis da reitoria. Lamentável. Espero que com o protesto que acontecerá hoje, a UNIDERP, ANHANGUERA, KROTON ou sei lá quem for o responsável por tais absurdos, abaixe este reajuste!
 
Gialyson Corrêa da Silva em 03/03/2015 15:41:12
Todos que votaram na Dilma simplesmente sumiram, ou ficaram com tanta vergonha que mentem que não votaram, isso é petista, um bando de covarde que coloca a raposa pra cuidar do galinheiro e depois não assume que colocou a praga lá. A Uniderp tá zicada hein? Ano passado já foi um e este ano quase vai outro? Tem que mandar a água da Uniderp pra análise.
 
Max em 03/03/2015 14:48:18
Agora a Uniderp tem que ter uma estrutura de hospital então??? Não é mais uma universidade é um hospital??? Quer dizer que se qualquer pessoa passar mal, porque está dentro da universidade a culpa é da instituição?!
A universidade tem um posto de atendimento médico com enfermeiro à disposição para atendimento, inclusive ambulância da quali salva se for preciso.
Acho ridículo expor a instituição dessa forma por conta de acontecimentos que nada tem a ver com a universidade. Se o corpo de bombeiros, Samu.. etc., demorou a chegar, culpem a eles, cobrem deles...
Mesma coisa com essa história de protesto por conta do FIES.. só uma perguntinha....
CADÊ AGORA OS QUE VOTARAM NA DILMA??? FIES NÃO COBRE MAIS 100% DO CURSO? A CULPA É DA UNIVERSIDADE???
SÓ ACHO...
 
drika em 03/03/2015 13:26:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions