A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

18/12/2012 09:13

Ex-namorado levou carro e arma de policial após tiro em posto de combustível

Paula Maciulevicius

O ex-namorado da policial da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), que foi baleada na perna na noite desta segunda-feira com a própria arma, uma pistola calibre ponto 40, saiu do posto de combustíveis, onde o disparo aconteceu, levando o carro e a arma da policial. Ele se apresentou à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga, ontem mesmo.

Segundo registro da ocorrência, a policial e o rapaz tinham tido um relacionamento de três anos e estavam terminando o namoro. Ontem, eles saíram para por fim a relação e discutiram primeiro no Gugu Lanches, na avenida Afonso Pena. Conforme a versão dele, a briga começou logo depois que o celular dela tocou.

Ele pegou o aparelho questionando quem estava ligando, a briga continuou e ele acabou indo embora do local. Ainda de acordo com o relato dele à Polícia, a mulher foi atrás e eles se encontraram de novo em um posto de combustíveis na avenida Salgado Filho com a rua Calógeras.

Para a Polícia ele contou que a mulher já desceu do veículo com a arma em punho e ele teria tentado tirar a pistola da mão dela quando aconteceu o disparo.

A policial não confirma a versão e se resumiu a dizer que apenas se feriu com o disparo da própria arma. Depois do tiro, o ex-namorado deixou o posto levando a arma e o carro da policial, que ficou no local esperando por atendimento dos bombeiros. Segundo a Polícia, ela foi ferida na perna esquerda.

Na versão do homem, ele pegou a arma a pedido da mulher e de lá ele seguiria para encontrá-la no Prontomed, na Santa Casa.

Os policiais que atenderam a ocorrência entraram em contato com o ex-namorado que se apresentou à Depac, com a arma.

A Derf, delegacia onde a policial trabalha informou que só vai se pronunciar depois que os envolvidos forem ouvidos.

O homem já tem passagens pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo e violência doméstica.



que coisa obsurda, um policial entrega uma arma do estado para um civil, e o mesmo não respondera nada? que cara de sorte, so tem 1 passagem por porte e agrassão. coisa pouca. ainda com toda boa fe transportou uma arma do estado. e pra nos mero cidadão nosforam tirados o direito de porte. sera que vale a pena ter uma registrada?
 
tarcisio senuma em 18/12/2012 11:18:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions