A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

29/08/2015 11:30

Funcionários de postos relatam falta de tudo e cenário de caos na saúde

Mariana Rodrigues e Antônio Marques
Bernal aproveitou a visita e fez uma pequena reunião com enfermeiros e técnicos de enfermagem. (Foto: Marcos Ermínio)Bernal aproveitou a visita e fez uma pequena reunião com enfermeiros e técnicos de enfermagem. (Foto: Marcos Ermínio)

O prefeito Alcides Bernal (PP), esteve agora pela manhã no Centro Regional de Saúde do Bairro Guanandi, durante sua visita, ele agradeceu aos médicos pelo fim da greve. Além dos agradecimentos, ele disse que irá trabalhar para solucionar os problemas deixados pela administração passada, e em mais de um momento reiterou não “ter compromisso com a coisa errada”.

Bernal aproveitou a visita e fez pequenas reuniões com enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos sobre as condições de seu retorno e pediu para que a classe depositasse um voto de confiança nele.

A técnica de enfermagem, Paula Renata reclamou que as unidades estão com falta de material básico e estão tendo que usar materiais ultrapassados para atender os pacientes. “Se a vigilância sanitária vier no posto de saúde são capazes de fechar as unidades por más condições de trabalho e falta de material”. Como exemplo ela explica que desde julho deste ano, para fazer esterilização de materiais cirúrgicos é utilizado papel craft, que não seria errado, mas trata-se de um material ultrapassado.

Médicos que não quiseram se identificar informaram que, pela manhã, quatro médicos entre clínicos gerais e pediatras, atendiam a população, mas o normal são cinco em cada turno, sendo que um faltou. Já no período da tarde, apenas um médico estava escalado para atender a demanda, isso vem ocorrendo desde fevereiro e piorou depois da primeira greve dos médicos.

Um clínico geral que preferiu ter sua identidade preservada, trabalha há quatro anos na rede e reclama da falta de equipamentos. “Estamos trabalhando em cenário de guerra diante da situação” . Uma enfermeira relatou que na unidade havia normalmente três enfermeiros, mas houve corte e teria somente dois trabalhando nos últimos meses. O mesmo aconteceu com os técnicos de enfermagem, que reduziu de 16 para 11, e o problema vem ocorrendo desde o mês de maio.

Tanani Leão, técnica de enfermagem, diz os funcionários dos postos estavam trabalhando sob pressão. “Há dois dias estamos trabalhando em plena felicidade, em paz. Antes, todo dia tinha algo pior acontecendo ”, acrescentou ela, que está há pouco menos de dois anos trabalhando no posto. “Já passamos pela tormenta, agora esperamos dias melhores”, disse, comemorando a volta do prefeito Bernal.

Agora o prefeito segue para a UPA (Unidades de Pronto Atendimento) do Vila Almeida e amanhã ele visita a UPA do bairro Coronel Antonino. O secretário municipal de Saúde Ivandro Fonsenca disse ainda que tanto a população quanto os funcionários da unidades estão sendo ouvidos, e que alguns programas que foram suspensos e estavam dando certo serão retomados pela atual administração.

O prefeito esteve acompanhado do vereadores Betinho (PRB), José Chadid (sem partido) e o secretário de Governo Paulo Pedra.

Bernal cumprimenta paciente e ouve reclamações de funcionários (Foto: Marcos Ermínio)Bernal cumprimenta paciente e ouve reclamações de funcionários (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions