A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018

06/05/2013 08:55

HR terá novo pronto socorro com 80 leitos e alas para adultos e crianças

Diretor do Hospital Regional promete novo pronto socorro em 60 dias

Mariana Lopes
Fachada do pronto socorro, com abras na fase final (Foto: Vanderlei Aparecido)Fachada do pronto socorro, com abras na fase final (Foto: Vanderlei Aparecido)

O diretor do Hospital Regional Rosa Pedrossian, em Campo Grande, Ronaldo Queiroz, afirmou que em 60 dias, no máximo, conclui as obras do PAM (Pronto Atendimento Médico), com todos os equipamentos, e começa a atender no novo espaço, com 80 leitos.

O novo prédio do pronto socorro do hospital, que ganhou reforma e ampliação, é dividido em duas partes, sendo uma para receber os pacientes adultos e a outra para atender as crianças. Conforme o diretor, os espaços estão de acordo com os moldes do Programa Nacional de Humanização, do Ministério da Saúde.

“Não teremos mais barreiras com os pacientes, inclusive nos espaços, o tratamento também será mais acolhedor, além de trabalharmos com avaliação e classificação de risco”, explica Ronaldo Queiroz.

O procedimento funcionará como em qualquer pronto socorro, seguindo as alas vermelha, amarela, verde e azul. As entradas permanecem em frente ao heliporto, com acesso rápido e fácil.

No setor adulto, a ala vermelha, ou seja, a que recebe os pacientes em emergência e com alto risco de morte, há quatro leitos, todos equipados com aparelhos de última tecnologia.

O segundo atendimento, na ala amarela, na qual se equipara a uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), há 20 leitos. O espaço é divido em um setor masculino, com 10 aparelhos, e outro feminino, com a outra metade dos leitos. Nesta ala também há dois espaços isolados para atender pacientes no grupo de risco.

Os casos menos graves são atendidos na ala verde, que conta com 12 leitos mistos. Ao lado fica a ala azul, onde são atendidos os casos ambulatoriais, no qual há espaço suficiente para atender 18 pacientes.

A pediatria conta com um espaço mais reduzido, com apenas as alas vermelhas, com 6 leitos, e a ala amarela, que possui 16 camas para os pacientes, sendo que cada uma é acompanhada de uma poltrona para acomodar os responsáveis. No caso do setor infantil, o diretor do hospital explica que o espaço é reduzido por causa da demanda, que é menor.

Paciente elogia atendimento em pronto socorro improvisado (Foto: Vanderlei Aparecido)Paciente elogia atendimento em pronto socorro improvisado (Foto: Vanderlei Aparecido)

Espaço improvisado - Durante o período de ampliação e reforma do PAM, o pronto socorro do hospital funcionou em um espaço improvisado, no setor do ambulatório, que não tem o tamanho suficiente para atender e, muitas vezes, os pacientes acabavam ficando nos corredores.

Porém, o diretor explica que foi a melhor alternativa encontrada pelo hospital. “A gente precisava reformar, até para oferecer algo melhor aos pacientes. O espaço onde eles estão agora realmente não é o adequado, não é tão grande como o pronto socorro, mas não tem como a gente fechar as portas, temos que atender”, justifica Ronaldo Queiroz, enfatizando que a superlotação dos prontos socorros é um problema nacional.

Por outro lado, o diretor afirma que mesmo em local improvisado, o atendimento não perdeu a qualidade. Palavra reforçada por quem está nos corredores do hospital. “Tudo o que precisamos, recebemos, os médicos e enfermeiras são muito atenciosos, não tenho do que reclamar, e sei que é temporário essa situação, para depois ficar melhor”, comenta a dona de casa Antenir Rossetti, 69 anos.

Ela está acompanhando o marido, que está internado no Hospital Regional desde a semana passada, depois de passar mal por problemas no coração. “Está um pouco desconfortável, mas pelo menos ele está bem assistido”, completa a dona de casa.

Sala onde funcionará o setor amarela do pronto socorro (Foto: Vanderlei Aparecido)Sala onde funcionará o setor amarela do pronto socorro (Foto: Vanderlei Aparecido)
Setor de desintoxicação, que agora funciona no térreo do hospital (Foto: Vanderlei Aparecido)Setor de desintoxicação, que agora funciona no térreo do hospital (Foto: Vanderlei Aparecido)

Obras - Segundo o diretor do hospital, falta apenas o acabamento do prédio para finalizar a obra. Em relação aos equipamentos, mais de 60% já chegaram. O restante está em fase final do processo licitatório. "Os aparelhos que compramos agora, a maioria tem manutenção preventiva no contrato, ou seja, não irá precisar abrir uma licitação se caso algum quebrar, então teremos um processo mais rápido para ter os equipamentos de volta funcionando", explica Ronaldo Queiroz.

Em três anos, o HR reformou e ampliou, além do PAM, setores como Banco de Leite, Unidade Coronariana, Complexo Materno, Complexo de Terapia Intensiva de Adultos, Nefrologia, também a lavanderia e vestiário dos funcionários.

O setor de Nefrologia já está funcionando e será inaugurado no dia 28 deste mês, com 30 leitos para atender os pacientes que precisam de hemodiálise, nos períodos da manhã e da tarde, e também com salas isoladas para pacientes em grupo de risco.

A ala de desintoxicação, que atualmente funciona no 5º andar do hospital, também está quase pronta. O espaço terá 12 leitos destinados a pacientes com dependência química. O novo prédio funcionará no térreo, próximo ao pronto socorro, e é todo gradeado, com jardim, onde os pacientes poderão receber visitas e com espaço para mesas de jogos.



Tomara que isso venha acontecer no HR. A minha mãezinha velha esteve o ano passado aí, e eu pude ver o horror que é esse lugar! Só quem vê pessoalmente pode fazer seu julgamento. É horrível o lugar que "eles" chamam de pronto socorro. No dia em que a minha mãe esteve internada lá, eu vi um local onde cerca de 30 pessoas estavam em macas numa mesma sala, todas sem aplicação nem se quer de soro ou qualquer medicamento. Um lugar com um mau cheiro horrível. Uma médica e uma enfermeira sentadas ao lado de uma pequena mesa, olhando a espera do primeiro que morresse para entregar aos parentes. Procurei socorro com os políticos, e poucas horas depois melhorou o atendimento da minha mãe, e ela não morreu! Quando as pessoas falavam a esse respeito, eu não acreditava, mas é verdade!
 
Olices Trelha em 06/05/2013 10:17:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions