A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

19/09/2013 18:37

Imprudência médica ameaça vida de bebê que ingeriu “diabo verde”

Lidiane Kober
Glaucia não tira os olhos da filha para impedí-la de retirar sonda que a alimenta (Foto: Lidiane Kober)Glaucia não tira os olhos da filha para impedí-la de retirar sonda que a alimenta (Foto: Lidiane Kober)

Há 12 dias, a família da pequena Mirella Carvalho de Oliveira, dois anos, vive em clima de angústia e incerteza. Após ingerir produto de limpeza pesada, popularmente conhecido como “diabo verde”, a bebê foi dispensada do Hospital São Lucas por um clínico geral e por uma pediatra. Em casa, começou o drama dos pais ao ver a menina arder em febre e recusar comida. Agora, ela se alimenta por sonda e luta para vencer infecção no sangue e no esôfago para, depois, fazer exame e conferir o estado dos órgãos internos.

Segundo a mãe, a cozinheira Glaucia Carvalho Serafim, 18 anos, tudo começou num domingo (8), pouco antes do almoço. “Fui até a dispensa para pegar o macarrão e ela me acompanhou, tocou o telefone e sai para atender. Pouco depois, ouvi os gritos e fui correndo até lá, quando a vi com a boca sangrando e espumando”, relatou.

Sozinha na chácara onde trabalha, Glaucia correu até a pia para lavar a boca da bebê, que não parava de sangrar. Ela chegou a procurar a ajuda de vizinhos até sua patroa chegar e levá-la até o Hospital São Lucas. “Como não tinha cartão do SUS (Sistema Único de Saúde), minha patroa achou melhor procurar um hospital particular para a gente não perder tempo”, explicou.

Já na instituição de saúde, enfermeiros minimizaram o problema. “Não está acontecendo nada”, diziam para a mãe. “Pouco depois, um clínico geral a analisou, colocou um palito na boca dela e, sem fazer nenhum exame, disse que a ela não ingeriu o produto e que estava bem”, contou.

Na sequência, a criança passou por avaliação de uma pediatra. “Ela olhou a boca da neném, escutou a barriga dela, receitou um antibiótico e um remédio para dor e mandou a gente voltar em uma semana”, relatou a mãe. “Disse que minha filha poderia comer normalmente, só sugeriu preferência por alimentos gelados”, emendou.

Em casa, depois de a família desembolsar R$ 200 pela consulta e mais R$ 50 por curativo e soro, a criança enfrentou dias de febre de 39 graus e só aceitava beber leite. “No hospital, os médicos falaram que estava tudo bem e mandaram voltar em uma semana, mas, na sexta-feira (13), fomos até a Upa (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Coronel Antonino, onde chegaram a debochar da gente”, disse Glaucia.

Segundo ela, a família foi em busca de encaminhamento para um médico endocrinologista. “Falei que ela ingeriu diabo verde e um enfermeiro mandou esquecer o diabo verde, diabo loiro, diabo azul”, relatou. O produto de limpeza, ingerido pele criança, é à base de amoníaco e soda cáustica, serve para remover sujeiras, gorduras, graxas e desentupir ralos e pias.

Desesperada, a mãe procurou o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) que a encaminhou até a médica endocrinologista Eduarda Tebet. Depois, a criança foi internada no Hospital Regional e, agora, enfrenta novo desafio. “A Mirella só pode se alimentar por sonda, como sente muita dor já a arrancou duas vezes, ficou três dias sem se alimentar e perdeu dois quilos”, lamentou a mãe.

Novo desafio - De acordo com ela, os médicos avisaram que o canal do nariz até o estômago não aguenta um terceiro procedimento. “Neste caso, a Mirella precisará enfrentar uma nimicirurgia para colocar a sonda no coração, mas, como está muito fraca, pode ser que não resista”, frisou Glaucia. “Não durmo mais para cuidar que ela não tire a sonda”, emendou.

Se conseguir enfrentar o desafio de uma semana, tempo necessário para curar infecção no sangue e recuperar o esôfago, a criança precisará passar por endoscopia para saber o estado dos órgãos internos. “Só assim vamos saber o real estado do intestino, do estômago”, comentou a mãe.

Revoltada com a dor da filha, ela não se conforma com o primeiro atendimento na rede particular. “Saber que minha bebê corre risco por causa da imprudência médica é uma dor sem tamanho”, comentou. Segundo Glaucia, os atuais médicos classificaram como um erro terrível permitir a alimentação da criança. “Se ela tivesse se alimentado por sonda desde o início, não teria infecção no sangue”, afirmou.

Outro caso - Na madrugada de segunda-feira (16), depois de ser rejeitado por dois hospitais, por falta de pediatras, um bebê de 13 dias morreu sem receber atendimento médico. A família da criança buscou ajuda na maternidade Candido Mariano e no hospital El Kadri.



Deus está com vocês, ela vai sair dessa, vão vencer porque pra Deus não é impossível. Vocês estão no hospital que tem especialidade toxicológico os médicos já conseguiu ver o caso é um caminho andado...Deus abençoe!!!!!
 
Luciana Bittencourt em 20/09/2013 15:55:44
agora nao e hora de achar culpados e sim lutar contra o tempo e salvar a vida dessa criança
 
mara alves em 20/09/2013 15:04:46
Antes de todo mundo se achar no direito de meter o porrete nessa mãe,vamos rever as informações que estão bem claras na reportagem :
1º "Sozinha na chácara onde trabalha" (longe de qualquer recurso).
2º "Ela chegou a procurar a ajuda de vizinhos até sua patroa chegar e levá-la até o Hospital " (nem condução ela tem,em caso de emergência).
3º "Como não tinha cartão do SUS (Sistema Único de Saúde)" (desprovida de qualquer informação,auxílio e assistência).
Gente dá pra ver (semblante humilde),que essa menina,(sim menina pois se ela tem 18 anos e com uma filha de 2 anos) ta é precisando de ajuda e não de criticas,sem contar a dor devastadora que é ver um filho nessa situação.
 
ana paula ribas em 20/09/2013 09:44:17
Descuido,distração ou acidente ? Tanto faz Sr. Carlos Lamarca,agora será o possível que o sr. não consegue enxergar a real situação dessa mãe ? Prende-la certamente não irá resolver a situação dela e da filha,acredito que o sr nunca tenha se machucado ou tido algum acidente doméstico quando criança né,e se tivesse acontecido, seus pais também mereceriam ir para a cadeia ? Por distração, descuido ou acúmulo de tarefas (que fique claro que ela não tem opção de deixar os afazeres domésticos para depois ,pois é empregada),que é o caso dessa moça ?
 
ana paula ribas em 20/09/2013 09:29:38
Para as pessoas que estão criticando a mãe: Ela errou sim, quem não erra? Acidente sim, pode acontecer com qualquer um, pois vivemos em um mundo de correria, e assim, um descuido sempre pode acontecer.
Aos que criticam: Uau, vocês devem ser pessoas santificadas e quem sabe, após desencarnarem, deveriam ser beatificadas.
 
Roberto Nogueira em 20/09/2013 09:28:16
COM CERTEZA SE A MENINA ASSINASSE SOBRENOME ZARAM , LOCATELI ,TRAD,
DIB ,PEDRA ....E OUTROS MILIONÁRIOS DA CIDADE COM CERTEZA SERIA BEM ATENDIDA NO HOSPITAL PARTICULAR MAS OS MEDICOS VIRAM PELA CARA DELA SO IA ROLAR OS 200 DA CONSULTA MESMO....E DESPACHARAM PARA O SUS SE VIRAR
 
GILSON DIAS em 20/09/2013 09:25:53
O que está acontecendo com os médicos de hoje em dia? Eles se esqueceram, ou nunca fizeram o Juramento de Hipócrates que todo médico faz em sua formatura, que diz, em uma de suas várias traduções "Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade.
A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação."?
Eu não consigo entender tamanho desprezo pelo seu semelhante. Aliás, acho que a resposta está justamente aí: Os médicos não se consideram semelhantes, e sim, acima de todos, pessoas superiores, melhores que nós, pobres mortais.
E digo mais, não são somente os médicos, pois os enfermeiros estão se deixando contaminar pelo orgulho e pela síndrome de Narciso. Um enfermeiro foi capaz de debochar da mãe da criança? Como assim?
Perdeu-se o valor e respeito pela vida. Triste.
 
Rodrigo Adania em 20/09/2013 09:22:45
Sr. Jorge Ferreira,caso vc não tenha lido ou entendido,ela trabalha neste local,certamente atender o telefone é uma das sua funções,foi descuido ? Pode ser,mas dai crucifica-la por isso não,pelo amor de Deus,acidentes domésticos acontece com qualquer um seja adulto ou criança,seja com o filho de uma madame ou com a filha dessa moça que estava tendo de dar conta do serviço da casa,almoço e cuidar da filha,para poder sobreviver.
 
ana paula ribas em 20/09/2013 09:16:44
Imprudência não é só do Médico não! Que mãe é essa que deixa um produto tóxico desse a vista de uma criança! Pelo Amor de DEUS né! Sou PAI e sei muito bem como uma criança se comporta faça mil favor ¬¬
 
Marcelo Rodrigues em 20/09/2013 08:58:19
Os filhos de vocês devem ser cuidados dentro de uma bolha, creio. Ora, quem é que vai adivinhar que uma criança tomará soda cáustica. Então não deixem ir sozinho para a escola, a criança pode tropeçar, cair e ter traumatismo craniano. Até parece... Nenhuma mãe espera isso!
 
Jonas Prado em 20/09/2013 08:44:46
a mãe deve estar se culpando pelo ocorrido, realmente não se deve deixar nenhum tipo de produto químico ao alcance das crianças , mas acidentes por descuido ou imprudência acontecem , agora ao invés dos colegas darem uma palavra de conforto para a mãe se manifestam para sacrificar , e pelo que entendi o que está sendo colocado é que se os médicos a tivessem cuidado direito essa criancinha não estaria passando por esse sofrimento. torço para que tudo termine bem para a menininha e sua mãe.
 
GLORIA DE ALBUQUERQUE em 20/09/2013 08:34:11
Nossa...quanto amor no coração de vocês meus queridos.
A mãe foi imprudente mas acidentes acontecem e todos estamos sujeitos,percebi que todos os comentários são de homens, ou seja, vocês trabalham o dia inteiro e não fazem ideia de como uma criança "cega" nós mães. Se piscar corre o risco de cair, mexer, tomar coisa que não deve e assim por diante. Então meus caros, não julgue essa pobre mãe que está com medo de perder a filha.
Que Deus possa curar a tua neném, que você seja forte mãezinha nessa hora.
Tenha fé e tudo dará certo.
E vocês que julgam, amanhã pode ser um filho de vocês.
 
Alexandra Baggio em 20/09/2013 08:28:01
a saúde publica esta definitivamente em frangalhos, não dá para contar, mesmo vc pagando não é garantia de ter um excelente atendimento, mas eu não entendo como esta mãe consegue deixar um produto tão perigoso a vista de uma criança, falta de prestar atenção em sua filha mai.
 
marinalva oliveira gimenez em 20/09/2013 08:24:18
Em primeiro lugar, colegas comentaristas, vocês não são mães! A dor que esta mãe está sentindo é imcomparável! E Vocês estão esquecendo de comentar a imprudência, negligência e imperícia de profissinais médicos, enfermeiros, equipes de hospitais particulares, públicos e Unidades de Pronto Atendimento.
Cidadãos humildes são os que mais sofrem. Sem instrução ou por ignorância são tratados com desdém! É um absurdo!
Peço a todas as famílias e mães: Vamos orar em favor da vida desta criança e de sua mãe!
 
Renata Souza em 20/09/2013 08:17:47
Que nosso Senhor possa cuidar e proteger essa criança, mas vamos concordar que numa casa que tem crianças os cuidados com esses produtos tem que ser redobrado.
 
Kelly Furtado em 20/09/2013 08:14:56
Que absurdo os comentários acima. Claro que a mãe poderia ter sido mais atenciosa, mas todos sabemos que criança comete esses atos em segundos de distração. A notícia que realmente choca é a banalização do atendimento médico recebido pela família. Essa criança corre o risco de morrer, por ter recebido um tratamento equivocado. Isso sim é um absurdo.
 
Renata Rezende Diniz Ramos em 20/09/2013 08:10:45
Que houve descuido por parte da mãe isso esta correto, mas um camarada que se diz profissional fazer isso, já levei minha filha neste hospital e é muito ruim mesmo.
 
Helton Maximo Rabelo em 20/09/2013 08:07:25
Acho muito facil, ficar criticando a mãe numa hora dessa, e vamos tapar o sol com peneira mesmo, a saúde no nosso estado é uma vergonha, essa mãe ainda teve acesso ao Deputado e se não tivesse, talvez a filha estaria morta. como a outra mãe que não teve acesso a nenhum deputado, perdeu a filha, vamos acordar !!!!!
 
Rosana Karina em 20/09/2013 07:53:28
E um absurdo!!!!!Precisa ser revista médicos Pediatras. Como não ter?
Não tem uma politica de contratação de números de médicos? Cadê os Pediatras?
Crianças morrendo por falta desse profissionais!
Por favor vamos contratar é Pediatras de fora, já o que temos aqui não querem atuar!
 
Regina Pereira em 20/09/2013 07:34:54
Infelizmente nao da mais pra se confiar em nenhum medico embora saibam mt estão deixando a desejar..... estão sobrecarregados cansados, estressados e talvez por isso nao estao fazendo um diagnostico correto como no caso desta criança... ate leigo sabe que ela não poderia se alimentar e teria q passar por uma lavagem talvez.....mt triste!!!!!!!
 
Claudia Cristiane em 20/09/2013 07:30:25
COMO ASSIM?CRIANÇA NÃO DA LUCRO...SEMPRE TEM CRIANÇAS DOENTES...O EL KADRI,UM HOSPITAL DAQUELE TAMANHO NÃO ACEITAR MAIS CRIANÇAS...TENHO PLANO DE SAÚDE E JÁ ME VI PERDIDA SEM TER ONDE LEVAR,MINHA FILHA...UMA VERGONHA ...ESSA CAPITAL TA UMA VERGONHAAAAAAAAA...
 
lena campos em 20/09/2013 07:14:34
SR ALCIDES BERNAL FACA ALGO POR CAMPO GRANDE PORQUE TA CADA DIA PIOR , QUE VERGONHA NOSSA SAUDE ,,, ONDE SERA QUE ESSES MÉDICOS ESTAO TIRANDO DIPLOMA DO CURSO MEDICINA,, ENTENDEMOS QUE EXISTE FALHA , MAS NESSE CASO NÃO É FALHA E SIM ABSURDO CRIANÇA TER INGERIDO VENENO DESSE NÃO TER NEM FICADO INTERNADA, ABSURDO
 
ROSILENE LEONEL em 19/09/2013 23:36:01
A população de todo Brasil: dona de casa, médicos, motoristas de ambulância, enfermeiras de um modo geral, agricultores técnicos , todos devem conhecer o CENTRO DE INFORMAÇÃO TOXICOLÓGICA, informações estas dados por plantonistas ligados a áreas de farmácia, quase sempre aluno universitários que buscam na memoria dos computadores a ficha técnica de cada produto colocado no mercado como remédios, produtos de limpeza, etc, tudo mas tudo mesmo, produtos que encontram nas casas. por telefone o plantonista informa os primeiros socorros que devem ser feitos pela pessoa mais próxima do intoxicado, preparando-o para chegar com vida no hospital, onde também buscará orientar o medico como proceder par cada agente químico.
 
Jose Oliveira em 19/09/2013 22:06:10
minha filha com 6. meses ficou 18 dias com diarreia os 4 médicos que ela passou disseram que era infecção intestinal e dalhe antibióticos . Um quinto médico pediu o exame para verificar o caso para alergia do leite o resultado foi positivo. Em outra situação passei por 5 médicos que falavam que minha filha estava com virose ou resfriada mesmo eu mostrando que a boca dela estava inchada, cheia de bolinhas e sangrando somente o 6° médico que disse que era estomatite esse médico foi o mesmo da alergia. Agora estou com 2 semanas com a mesma situação to indo para ver o que ela tem e ninguém consegue descobrir. Não pedem nenhum exame mal olham para criança o detalhe que os médicos são de plano de saúde. Depois perguntam fazem protesto quem tem que protestar somos nós.
 
jaqueline marques em 19/09/2013 21:12:01
Entregue nas mãos de Deus com muita Fé!!! E confie ela vai ser SALVA!!!
 
Marcírio Soares Lopes em 19/09/2013 20:33:57
" ISSO É UM ABSURDO... TEMOS QUE REZAR PRA NÃO FICAR DOENTE..."
 
Vanessa Cabral em 19/09/2013 19:49:47
O MÉDICO PODE ATÉ TER BANALIZADO A ATENDIMENTO, MAS DEIXAR A FILHA NUMA DISPENSA E SAIR LOUCA ATRAS DO TOQUE DO TELEFONE, REALMENTE É DE TIRAR SANGUE DA BOCA, ESSA É PARA DESPREGAR A LINGUA DA BOCA DA MÃE
 
jorge ferreira em 19/09/2013 19:14:53
Como pode em nosso tempo acontecer isso, essa mãe deveria ser presa por facilitar essa situação, não é acidente e total descuido, "fui atender telefone....." e deixou a lata aberta, será?
 
Carlos Lamarca em 19/09/2013 19:07:11
Inicialmente, a mãe também é imprudente: Deveria cuidar muito bem esses produtos numa casa onde circula, ao menos, uma criança. Depois, pelo que entendi na reportagem, o problema não está relacionado com a ingestão do produto, porque, a primeira vista, "diabo verde" causa queimaduras, não infecção, visto não conter micro-organismos nele. Terceiro, porque a mãe queria um endócrino ao contrário de um gastro, que seria o profissional adequado para esse tipo de lesão? Acho que está faltando algum detalhe no relato da mãe.
 
João Dias em 19/09/2013 19:00:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions