A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

19/01/2014 08:01

Instituto Federal atrasa obra e União “joga no ralo” R$ 24,6 mil por mês

Lidiane Kober
IFMS não tem previsão para concluir a construção dos últimos dois blocos (Foto: Cleber Gellio)IFMS não tem previsão para concluir a construção dos últimos dois blocos (Foto: Cleber Gellio)

Prevista para encerrar em julho de 2014 e orçada em R$ 14,9 milhões, a obra de construção do campus do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) está atrasada e obriga a União a esticar o contrato de aluguel e “jogar no ralo” R$ 24.631,30 por mês.

Pelo contrato inicial, assinado em julho de 2009, a empreiteira teria 1,8 mil dias, quase cinco anos, para concluir os cinco blocos, previstos no projeto. Passaram-se 3,5 anos e três dois cinco prédios saíram do papel e não há previsão para o término da obra.

O atraso, de acordo com a Coordenação de Obras e Manutenção do instituto, se deve a alterações no projeto, que teriam refletido no andamento dos trabalhos. “Devido ao não cumprimento de prazos, a empreiteira foi advertida e está em negociação um novo cronograma”, informou o IFMS, via assessoria de imprensa.

Aos pais dos alunos, no entanto, a reitoria prometeu a conclusão do campus no final de 2011. Segundo um pai, identificado apenas como Rinaldo, no início daquele ano, quando o instituto começou a atuar na Capital, a direção abriu a primeira reunião com os pais se comprometendo a ter a sede própria até o final de 2011.

Na época, conforme nota da assessoria, a SPU-MS (Superintendência do Patrimônio da União em Mato Grosso do Sul) não tinha prédio público disponível para abrigar o Instituto, por isso, a instituição se obrigou a alugar um imóvel particular. O valor atual do aluguel, reajustado em outubro do ano passado, é de R$ 24.631,30.

O campus provisório funciona na Avenida Júlio de Castilho, no Bairro Panamá, e atende 1.832 estudantes. São oferecidas gratuitamente quatro opções de cursos técnicos de nível médio, 11 cursos técnicos à distância e uma opção de curso superior de tecnologia.

No local, segundo Rinaldo, há deficiência de laboratórios em alguns cursos. Seu filho, por exemplo, estuda mecânica e convive com a dificuldade. “Alguns professores, por conta própria, levam ferramentas à sala para tentar ajudar os alunos a entender a matéria na prática”, relatou.

Três blocos estariam prontos, mas não são aproveitados (Foto: Marcos Ermínio)Três blocos estariam prontos, mas não são aproveitados (Foto: Marcos Ermínio)


Lamento o atraso nas obras em Campo Grande, considerando que os de Ponta Porã e Aquidauana já estão em pleno funcionamento. Mato Grosso do Sul é o Estado do país com maior atraso nas obras dos Institutos Federais. O investimento é alto e a União tem repassada recurso. Por isso, não há justificativa para tanto atraso. Vou continuar cobrando do Ministério da Educação providência imediata para a conclusão da campus da Capital. Não podemos aceitar tanto descaso com a Educação em nosso país.
 
Antonio Carlos Biffi em 20/01/2014 11:34:32
Vale ressaltar que isso não cheira...Fede a corrupção.. Só não ve quem não quer....eu estudo lá e sei do que estou falando...prédio que esta alugado está em péssimas condições... não há nem internet para estudar...tendo em vista que eles oferecem curso de Sistemas para internet..kkkk chega ser uma piada aquilo....Esse Reitor deve estar nadando em dinheiro... E cade o MP??? Estamos entregues a essa escória....
 
Carlos Martins em 20/01/2014 10:53:04
Vale ressaltar que o descaso não é por parte da administração do IFMS, mas sim da empreiteira que venceu a licitação e não cumpriu o prazo.
 
Sidney Roberto em 19/01/2014 18:02:14
Com a palavra o Magnífico Reitor: Nada a declarar!?
 
Raphaell Monteiro Alves em 19/01/2014 15:31:40
E se alguém, ingenuamente, considerar que são os gestores que garantem a possibilidade dos professores dedicar parte do seu tempo para pesquisa e extensão, além do ensino, está enganado. Pois, somos professores federais equiparados ao magistério superior e, portanto, submetidos a lei federal que determina que nossa jornada de trabalho deve ser segmentada em ensino, pesquisa e extensão. Logo, a única "ajuda" que os gestores poderiam dar aos professores do IFMS seria melhores condições de trabalho nos campi, porém, a maior preocupação desta administração foi garantir as melhores condições de trabalho para os servidores que atua na reitoria. Por sinal, já funcionando em sede própria, em bairro supervalorizado e com instalações que destoam em muito das condições dadas aos estudantes nos campi
 
Edi Carlos A Marques em 19/01/2014 15:17:09
José C Silva
Como professor do IFMS, do câmpus Campo Grande, tenho que te esclarecer que os modestos avanços conseguidos em relação ao desempenho dos estudantes em exames como Enem ou Olimpíadas, sobretudo de matemática, e a participação e a promoção de pesquisas científico-tecnológicas e em projetos de extensão, se deve quase exclusivamente ao empenho de professores e estudantes do IFMS. Pois, neste momento de "implantação", não observamos por parte dos nossos gestores um real interesse com a pesquisa e a extensão. E infelizmente, os laboratórios, essenciais para a educação técnica, foram improvisados pelos educadores do IFMS já que em menos de seis meses os primeiros técnicos em Eletrotécnica, Mecânica e Informática serão formados pelo IFMS/Campo Grande, e como formá-los sem a prática.
 
Edi Carlos A Marques em 19/01/2014 15:08:41
José C. Silva, se o IFMS vai bem é graças ao empenho dos professores, ainda que estejam em condições terríveis de trabalho e sem amparo da reitoria. Eles precisam de uma gestão que lute pela educação de qualidade. Os atuais reitores, pró-reitores e diretores gastam a maior parte do tempo lutando para se manter nos próprios cargos comissionados. O IFMS só vai melhorar quando uma gestão democrática se iniciar (e tomara que não seja uma dança das cadeiras com a equipe paranaense atual).
 
Joao J. Silva em 19/01/2014 14:48:59
Realmente o IFMS, esta indo bem..... pro buraco, pois vejo as dificuldades das instalações e enquanto outros locais ja estão em pleno funcionamento...
Descaso com a educação....
 
Pedro Medeiros em 19/01/2014 14:36:18
Antes de julgarmos o IFMS, devemos conhecer todos os empecilhos que causaram o atraso nas obras. O proprio governo federal tem culpa nisso... Independente dos atrasos, o IFMS vem se destacando fortemente nos projetos que desenvolve junto à comunidade e tem obtido muito sucesso nas provas, olimpiadas e no ENEM. Em breve todos os laboratórios estarão prontos e o destaque do Instituto Federal prevalecerá ainda mais. Cuidado...não devemos dar tantos ouvidos à turma da oposição. O IFMS está indo muito bem...
 
José C. Silva em 19/01/2014 10:07:56
A realidade os responsaveis pelo atraso das obras do IFMS eles não falam pergunte a eles a onde foi parar o dinheiro que ja se encontrava a disposição para pagar a empreiteiras, o gato comeu e as empresas ficam a ver navios ate conse
gfuirem novos recursos, inclusive não foi so em campo grande o atrazo das obras teve outras cidades envolvidas, a verdade eles não dizem
 
jose wanderson garcia em 19/01/2014 09:37:10
Realmente até quando esse descaso com a Educação? Até quando os responsáveis, ou quem quer que seja vão lidar com o dinheiro público dessa forma? Tenho certeza que muitos alunos que estão ali, acreditavam em ter uma grande oportunidade, p. serem cidadãos qualificados p. o mercado de trabalho.Ouço todos os dias meu neto que estuda lá, dizer das dificuldades enfrentadas ´por. educadores, que segundo ele, fazem o que pode p. suprir um pouco do muito que falta lá. Sei que o IFMS, tem ótimos educadores, meu neto ainda não concluiu o curso, fez o ENEM, e, teve uma ótima pontuação que o levaria p. um curso superior. Não dá p. se calar diante de tanto descaminho!!!!
 
mercedes rodrigues de brito em 19/01/2014 08:54:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions