A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/08/2012 16:49

João Lucas, um sobrevivente à gripe suína, vai para casa após 60 dias

Paula Maciulevicius
Dona Marli carrega nas mãos o peso da coisa mais importante do mundo. Um neto, seus 1,7 kg e muita força pra viver. (Fotos: Minamar Júnior)Dona Marli carrega nas mãos o peso da coisa mais importante do mundo. Um neto, seus 1,7 kg e muita força pra viver. (Fotos: Minamar Júnior)

No final da manhã de hoje, dona Marli Maria Sales de Araújo, 56 anos, saía do Hospital Regional com um embrulho valioso nas mãos. De roupinha verde e enrolado em uma manta branca, o ‘pacotinho’ era o presente mais esperado para essa avó. Depois de dois meses internado, era a primeira vez que João Lucas Sales de Melo via a claridade, sentia o sol no rostinho.

As mãos pequeninas ainda estavam perdidas em meio a tantas roupas e cobertas. De longe parece um boneco. Mas basta prestar atenção e chegar pertinho que se ouve um baixinho barulho anunciando que ali tem criança.

“Eu acompanhei todos os dias, não falhava um, todo santo dia estava aqui”, conta a avó. A única mãe que João Lucas vai conhecer. Filho de Glaucia Sales de Melo, 25 anos, ele já nasceu sobrevivente. A jovem morreu logo após o parto, usuária, vítima de complicações por gripe A, 60 dias atrás.

João Lucas nasceu prematuro, antes que a gestação completasse seis meses, no dia 14 de junho e ficou dois meses internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Neonatal do Hospital Regional. Não chegou a conhecer a mãe e nem ela o bebê. Depois da cesariana de emergência, ela já entrou em coma e morreu no dia 28.

A alegria e a tristeza. A saudade e a coragem que esta avó tem em si se encontram nas lágrimas que escorrem do seu rosto. “É uma emoção, não tem como explicar. Você pensa que era para a mãe dele estar saindo com ele daqui e no final sou eu. Ao mesmo tempo sinto tristeza por ela, mas alegria, felicidade, é difícil definir”. Difícil também foi segurar o choro.

Dona Marli teve fé do início ao fim dessa luta pela sobrevivência do neto. Pesando 1,7 kg e medindo pouco mais de 42 cm, a avó carrega o embrulhinho verde como se fosse a preciosidade mais importante do mundo. E pra ela é.

As mãos pequeninas ainda estavam perdidas em meio a tantas roupas e cobertas. E que venha muita saúde para João Lucas, 2 meses de vida.As mãos pequeninas ainda estavam perdidas em meio a tantas roupas e cobertas. E que venha muita saúde para João Lucas, 2 meses de vida.

“Quando a fono falou que ele aceitou a mamadeira eu já fiquei feliz e dei continuidade. Antes ele se alimentava só com sonda”, diz. O capítulo novo da história do menino começou na última quinta-feira com a notícia de que o prematuro já conseguia sugar o leite da mamadeira.

A avó é de origem simples. Lutou durante nove anos contra o vício da filha e não imaginou que perderia a filha para a gripe A. Glaucia não tomou a vacina contra a Influenza e só foi procurar atendimento médico quando já estava passando muito mal.

“Tudo o que eu pude fazer por ela em vida eu fiz”, declara. Agora ela mesmo mostra que é cabeça erguida que parte da filha continua com uma vida toda pela frente.

“Vou criar e desde já eu converso com ele e falo, vou preparando o psicológico. Ele vai entender quando chegar a hora que eu estou criando ele porque a mãe morreu”.

Com o neto nos braços, em casa o que o aguarda é um berço antigo que foi de um priminho e poucas roupinhas. A criança vai precisar além de fraldas, leite Nan 1 Pro. Mas o mais importante ela diz que tem consigo, a fé de que vai ser muito bom.

“Vai ser ótimo, vai preencher o meu vazio e eu o dele. Eu jamais vou esquecer da minha filha e ele também não”.

Secretaria confirma primeira morte de gestante por gripe suína em MS
Este ano já são 100 notificaçõesUma gestante de 25 anos morreu de gripe suína nesta quinta-feira (28) no HR (Hospital Regional) em Campo Grande. O ó...
Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


Que Deus dê força a essa vó, e que esse menino dê muito orgulho a ela...
Essa é a segunda reportagem que leio, aqui mesmo sobre este caso, e toda fico muito emocionada, as lágrimas correm...
Parabéns pela reportagem...
 
SARA ABIGAIL DE ALMEIDA CORREIA em 15/08/2012 07:32:42
Nossa que força essa mãe tem!!! Me emocionei muito força dona marli estarei rezando pela senhora!!!
 
CRISTIANE BELIZARIO em 15/08/2012 01:33:04
Quero saber como ajudar essa vó. Meu bebê vai fazer 3 meses, e tbém se chama
João Luccas..uma dádiva de Deus! Tenho roupas para doar e quero mto ajudar!
 
Flávia Abreu Nantes em 14/08/2012 06:36:11
Que coragem e exemplo essa mulher.
Onde podemos ajudar o João e a vó dele?
 
Ana Paula de Assis Sales da Silva em 14/08/2012 06:35:53
Nossa estou muito emocionada com essa reportagem!
Que Deus possa dar muita força para essa vovó e mãe ao mesmo tempo!
Parabéns pela Reportagem!
 
Angela Tamires Cardoso em 14/08/2012 05:53:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions