A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Janeiro de 2019

21/05/2017 10:10

Jovem se passava por policial federal para dar calote em bares da área nobre

Pelo menos 7 estabelecimentos teriam sido alvo do criminoso, que gastava até R$ 1 mil reais e fugia sem pagar a conta.

Anahi Gurgel
Antes de ser excluído de rede social, perfil de Neto David Medeiros permitiu que empresários reconhecessem o golpista. (Foto: Marina Pacheco)Antes de ser excluído de rede social, perfil de Neto David Medeiros permitiu que empresários reconhecessem o golpista. (Foto: Marina Pacheco)

Um homem de 27 anos foi preso em flagrante na madrugada deste domingo (21), depois de tentar fugir sem pagar a conta em uma tabacaria localizada na Rua Euclides da Cunha, região central de Campo Grande. A identidade não foi revelada, mas empresários reconheceram o rapaz no Facebook, em perfil que foi excluído recentemente.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. Nesta manhã, o proprietário do estabelecimento disse ao Campo Grande News que o golpista estava sozinho, mas se apresentou como policial federal para puxar papo com outros clientes e conquistar a confiança de funcionários.

“Ele estava muito bem vestido e era bom de lábia. Disse que era federal e fez amizade facilmente, dizendo que iria pagar a conta de todos”, contou o empresário, que pediu para não ter o nome divulgado.

Foi então que, depois de consumir cerca de R$ 700, ele começou a demonstrar sinais de que iria embora, dizendo que ia buscar a carteira no carro, alarmando o proprietário.

“Eu estava atento porque temos grupo de whatsapp entre empresários e esse golpe já estava sendo comentado. O homem começou a correr pela rua, mas nós conseguimos segurá-lo, com ajuda de clientes e funcionários, até a hora em que a polícia chegou”, contou, complementando que o rapaz teria dito que o pai era assessor do prefeito Marquinhos Trad na tentativa de intimidar. Porém a assessoria do prefeito informou que tanto o jovem quanto seu pai não tem vínculo nenhum com o município.

Segundo testemunhas, o crime já estava sendo aplicado em pelo menos sete bares, restaurantes e tabacarias, todos localizados em áreas nobres da cidade, como na Rua Euclides da Cunha e nos altos da Afonso Pena. Para cada um, ele se apresentava com nome diferente.

Casos - Outro empresário, que não quis divulgar sua identidade, conta que também presenciou a situação. “Ele esteve no meu estabelecimento no dia 30 de abril e consumiu R$ 816. Na hora de pagar, ele começou a gritar dizendo que era policial civil, que outras pessoas iriam pagar mas tinham ido embora. Ficamos até com dó dele”.

Em outro bar, o homem teria consumido mais de R$ 1 mil e também teria fugido sem pagar a conta. Um dos empresários prejudicados reconheceu o golpista por meio de rede social, com perfil de Neto David Medeiros “Não sabemos se é esse o verdadeiro nome dele, mas esse é o rapaz", disse a testemunha. O perfil foi excluído.

A polícia não passou detalhes sobre o caso. Na manhã deste domingo (21), parentes do rapaz estiveram na delegacia.

“Estamos muito chocados. A família foi pega de surpresa. Não sabemos o que está acontecendo com ele. Acredito que um desafeto recente tenha levado ele a agir dessa forma”, contou, sem revelar seu nome, o irmão do autor.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions