A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

30/08/2011 16:13

Juiz manda três a júri por morte de mulheres no Tijuca e inocenta acusada

Nadyenka Castro

Lorraine foi impronunciada e solta. Já Eder, Cristhian e Weber vão a julgamento por duplo homicídio qualificado pelo motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima

O juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, mandou a júri popular Cristhian Rampagne Castedo, Eder Rampagni Castedo e Weber de Sousa Barreto, pelo assassinato de Cláudia de Araújo Mugnaini e de Regina Bueno França Ramos, no dia 30 de novembro do ano passado.

Já Lorraine Roryz Silva, presa desde o início das investigações, foi impronunciada e solta. Com isso, ela só volta à prisão se houver novas provas contra ela.

Conforme decisão do magistrado, Cristhian, Eder e Weber foram pronunciados por duplo homicídio qualificado pelo motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Investigações feitas pela Polícia Civil e confirmadas em juízo indicam que Cláudia e Regina foram mortas a mando de Eder, o qual deu a ordem de dentro do presídio.

A ordem foi para o irmão dele, Cristhian, que junto com Weber, renderam Cláudia e Regina em frente à casa da primeira.

Eder, apontado como mandante do duplo homicído, nega envolvimento. (Foto: João Garrigó)Eder, apontado como mandante do duplo homicído, nega envolvimento. (Foto: João Garrigó)
Weber fala que não teve intenção de matar Cláudia e Regina. (Foto: João Garrigó)Weber fala que não teve intenção de matar Cláudia e Regina. (Foto: João Garrigó)

Eles colocaram cada uma delas em quarto, amarraram as mãos delas com fios, colocaram pano na boca das vítimas e em seguida as degolaram. Após os crimes, Cristhian fugiu do local levando produtos eletrônicos.

A investigação inicial apontava que Lorraine também havia mandado matar Cláudia e Regina, as quais eram suas amigas. No entanto, conforme decisão do juiz, não há provas suficientes do envolvimento dela no caso.

“ .. não há indícios suficientes para submeter mencionada acusada a uma fase bem mais rigorosa do processo...”, diz o magistrado.

Conforme a acusação, Eder mandou matar as duas mulheres porque elas teriam denunciado ele, que estava foragido, à Polícia. Lorraine era amante dele na época.

O juiz Aluízio justifica a impronúncia de Lorraine aind com depoimentos de testemunhas que afirmaram que ela também era para ser morta.

“Lado outro, as três eram amigas, inclusive, bise-se, Lorraine era também para ser vítima. E, se não bastasse, foi a que primeiro as encontrou mortas em casa, sem dizer que o assassinato delas foi por outro fundamento, qual seja, delatar Eder como foragido”, afirmou o magistrado.

Outro lado- A defesa de Eder alegou que não há provas contra ele e que não foi o mandante; Cristhian disse que tem problemas mentais e que apenas matou Regina e a defesa de Weber pediu a exclusão das qualificadoras, liberdade, a qual foi negada, e declarou ainda que ele não tinha intenção de cometer o duplo homicídio.

Lorraine, de blusa Rosa, foi impronunciada por falta de provas. (Foto: João Garrigó)Lorraine, de blusa Rosa, foi impronunciada por falta de provas. (Foto: João Garrigó)
Cristhian cometeu o crime a mando do irmão, de acordo com a acusação. (Foto: João Garrigó)Cristhian cometeu o crime a mando do irmão, de acordo com a acusação. (Foto: João Garrigó)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions