ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Justiça manda soltar policial que matou um e baleou quatro

Ana Paula Carvalho | 05/03/2012 16:49
O advogado Ronaldo Franco (Foto: Marlon Ganassin)
O advogado Ronaldo Franco (Foto: Marlon Ganassin)

A Justiça de Mato Grosso do Sul concedeu pedido de liberdade provisória ao policial militar Samuel Araújo Lima, de 34 anos, acusado de matar um homem e balear outras quatro pessoas, todas da mesma família, após confusão no dia 1º de janeiro deste ano no bairro Pioneiros, em Campo Grande.

De acordo com o advogado Ronaldo Franco, o habeas corpus foi concedido na tarde desta segunda-feira por unanimidade de votos. Ainda segundo ele, o juiz deve expedir o alvará de soltura ainda hoje.

O policial está no Presídio Militar desde o dia 01 de janeiro. Após a confusão, ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado a Santa Casa. Testemunhas relataram que ele foi espancado antes do tiroteio. Samuel se apresentou na delegacia depois de receber os cuidados médicos.

O policial também responde processo administrativo. Ele deve ficar afastado das funções na rua até o julgamento.

No fim de janeiro o juiz Alexandre Ito negou o pedido de habeas corpus alegando garantia da ordem pública e conveniência da instrução criminal. No dia 31, Ronaldo entrou com recurso no TJ/MS.

O caso - Na madrugada do dia 01 de janeiro, Samuel se envolveu em uma confusão no bairro dos Pioneiros que resultou na morte de Wilson Meaurio, de 41 anos. Ele entrou na casa procurando pelos jovens, que segundo ele, haviam quebrado o carro que dirigia e o agredindo.

Samuel entrou atirando. Ele baleou Ionar Marília Monteiro Pereira, de 37 anos, Maikson Pereira Meaurio, de 15 anos, Maysson Pereira Meaurio, de 10 anos, e Mateus Quirino Pereira, de 16 anos.

Wilson morreu enquanto era socorrido, a ex-mulher dele, os dois filhos e o sobrinho foram encaminhados à Santa Casa e passaram por cirurgias. Todos foram atingidos nas pernas.

Nos siga no Google Notícias