ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Justiça ouve no dia 29 acusação contra réu por assassinato com BMW

Wilson Benevides de Souza trafevaga a mais de cem km por hora fugindo da polícia quando matou técnica de enfermagem

Por Marta Ferreira | 01/03/2021 16:45
Wilson Benevides está preso desde 24 de janeiro por assassinato no trânsito. (Foto: Reprodução das redes sociais)
Wilson Benevides está preso desde 24 de janeiro por assassinato no trânsito. (Foto: Reprodução das redes sociais)

Preso desde 24 de janeiro pelo assassinato no trânsito da técnica de enfermagem Carla Jaqueline Miranda, de 40 anos, Wilson Benevides de Souza, de 29 anos, agora é réu por homicídio qualificado na 2ª Vara do Tribunal do Júri. As testemunhas de acusação contra ele serão ouvidas no dia 29 de março, conforme decisão do juiz Aluizio Pereira dos Santos acatando a denúncia do promotor Douglas Oldegardo, por homicídio duplamente qualificado.

A trabalhadora na saúde morreu em meio à fuga de Wilson da polícia em uma BMW, no cruzamento da Avenida Prefeito Heráclito José Diniz de Figueiredo com a Rua Veridiana, no Bairro Estrela do Sul, em Campo Grande. Além de estar bêbado, segundo a polícia, o motorista trafegava a mais de cem por hora quando atingiu a motocicleta ocupada por Carla.

Ele cumpre prisão preventiva no EPJFC (Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho), mais conhecido como “Máxima”, em Campo Grande.

A denúncia contra Wilson Benevides foi acatada no dia 22 de fevereiro. A defesa ainda está no prazo para se manifestar previamente, mas o juiz já marcou a audiência, no modo remoto, como estão ocorrendo os procedimentos judiciais.

Na cadeia - A prisão preventiva foi decretada pelo juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida durante audiência de custódia realizada  em 26 de janeiro.

No sistema de registros de boletins de ocorrência da Polícia Civil, Wilson é citado em 47 casos, aparecendo como vítima e também como autor.

Entre os registros, há porte de drogas para consumo pessoal, vias de fato, lesão corporal (violência doméstica), tráfico de drogas, calúnia, dirigir veículo sem habilitação, desobediência e dois homicídios. Os assassinatos ocorreram em 25 de dezembro de 2012 e 12 de maio de 2013, todos em Campo Grande.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário