A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

19/02/2014 16:55

Mãe assumiu morte de artista para acobertar filho que vingou agressões

Bruno Chaves

O artista plástico Edmilson Ramão da Silva, 44 anos, foi morto a facadas pelo enteado de 23 anos e não pela esposa, também de 44 anos. A cabeleireira, que não teve a identidade revelada pela polícia, assumiu a autoria do crime e escreveu uma mensagem confessando o assassinato para acobertar o filho, que é estudante.

Edmilson morava com a cabeleireira e com outro filho dela, uma criança de seis anos. A família residia na Rua Zulmira Borba, Nova Lima, em Campo Grande. Ela e o autor do crime compareceram ontem (18) a tarde à 2ª Delegacia de Polícia da Capital para darem detalhes do crime. Os dois estavam acompanhados de advogados.

Segundo o registro dos depoimentos, o jovem de 23 anos mora com a avó no bairro Coophavila. Por volta das 8h20 do domingo (16), ele foi acordado pela avó, que dizia que uma cliente da mãe dele pedia para alguém ir ao Nova Lima, na casa da cabeleireira, porque ela estava sendo agredida pelo marido.

Como o rapaz tinha conhecimento do relacionamento conturbado da mãe, decidiu ir verificar o que estava acontecendo. Chegando à casa do casal, o jovem encontrou a porta da frente fechada, mas conseguiu entrar pelos fundos, já que a porta da cozinha estava aberta. Edmilson dormia no quarto neste momento.

Mãe e filho saíram para conversar nos fundos da casa. O outro filho dela também foi junto. Na conversa, a cabeleireira disse que passou uma noite de terror com o padrasto. Ela disse ter sido vítima de ameaças e agressões. Para comprovar a história, a mulher mostrou hematomas pelo corpo e cortes nos dedos. Ela também disse que o padrasto a ameaçou de morte com uma faca no pescoço.

Depois de conversarem, o estudante decidiu pegar um facão e cortar um pedaço de caibro, que segurava o varal da casa, com a intenção de fazer uma espécie de porrete e entregar para a mãe se defender. Quando rapaz cortava o pedaço de madeira, o padrasto acordou e começou a ofender os dois com xingamentos. “Puta que pariu, vocês estão de sacanagem comigo”, dizia o artista plástico.

Ele partiu para cima dos dois quando o jovem entrou na frente com o facão em uma mão e o caibro na outra. Para se defender, o artista foi à cozinha, pegou uma faca e partiu para cima do enteado. Nesse momento, o estudante golpeou o padrasto na orelha e no pescoço. O homem se afastou e começou a sangrar.

Quando se recuperou, Edmilson foi para cima do jovem. Porém, ele foi atingido com um golpe de facão na região do tórax. O artista caiu no corredor da sala e tentou se levantar, ainda com a faca da cozinha na mão. Nesse momento, ele tentou se levantar pela segunda vez quando foi atingido no pescoço. Como ele continuava se mexendo, o jovem decidiu dar um ultimo golpe, dessa vez de caibro, na cabeça do padrasto.

Ainda conforme o registro policial, a cabeleireira ficou desesperada quando o marido ficou desacordado e ligou para um advogado pedindo instrução. Enquanto ela conversava no telefone, o estudante arrastou o corpo da vítima e limpou a casa ensanguentada com um rodo. Como a criança de seis anos chorava muito, o jovem decidiu acalmá-la com a ajuda da mãe.

Depois que o menino parou de chorar, o suposto autor do crime arrastou o corpo de Edmislon para o quarto. Ele tinha medo que alguém passasse pela janela e percebesse a cena. Depois disso, ele foi embora levando o facão e a faca. No depoimento, ele ainda disse que ficou escondido na casa de familiares até decidir se apresentar.

Depoimento da esposa da vítima – A cabeleira contou à polícia que mantinha um relacionamento conturbado com o artista plástico há cerca de um ano. Sobre o crime, ela contou que mentiu e escreveu a mensagem em um caderno para acobertar o filho de 23 anos.

Já sobre a dinâmica do crime, a mulher contou que no sábado (15), um dia antes da morte, o marido chegou bêbado e drogado em casa, além de alterado. Ela ficou quieta e não reclamou dele porque sabia que, nesses casos, seria agredida.

Por volta das 20h, segundo a mulher, Edmilson continuava bebendo. Nesse período, ele começou a provocar a esposa chamando-a de vagabunda. O marido saiu de casa e a esposa decidiu se trancar no quarto. Ela aproveitou o momento de paz para mandar mensagens para o filho e a filha que moram no Coophavila. Nos textos, ela pedia para que eles chamassem a polícia.

Após escrever as mensagens, a mulher pediu para o filho ligar para o padrasto e tentar acalmá-lo. A cabeleireira ficou ouvindo a conversa dos dois e, ao perceber que o filho não iria fazer nada, começou a gritar dizendo que era ameaçada pelo marido.

Ela se trancou no quarto. O começou a chutar a porta até conseguir arrombar o local. O homem, conforme depoimento, bateu na esposa com chutes e socos, além de pressionar a cabeça dela na parede. Ele pegou uma faca e disse que iria matá-la, fazendo vários gestos com a arma no pescoço dela.

Em determinado momento ele cansou e foi dormir. Na manhã do outro dia, o enteado chegou ao local quando ele acordou e teve início a briga que terminou com a morte de Edmilson.

Confissão e investigação – O caso da morte no Nova Lima é investigado pela 2ª DP. Mãe e filho envolvidos no assassinato do artista plástico aguardam o processo em liberdade, já que procuraram a delegacia para prestar depoimentos.

Os nomes não foram divulgados pela Polícia, que acatou pedido dos advogados. 

Esposa mata artista plástico no Nova Lima e justifica: “cansei de apanhar”
Um artista plástico de 44 anos foi morto a facadas por volta das 14 horas de ontem (17) no bairro Nova Lima, em Campo Grande. A principal suspeita de...
Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


Fala sério... então bater em mulher pode... se defender não???
foram infelizes os comentários acima...
Queria ver se fosse com um de vocês...
É normal então mulheres virem a óbito por agressões, e aberração o filho defender a mãe????
 
Christopherson Frantz da Cruz em 21/02/2014 10:11:30
Mandou bem Samuel. É fácil praticar um crime, fugir do flagrante e dias depois se apresentar com advogados. Esse é nosso Brasil!!!
 
Eliane Arruda em 20/02/2014 13:53:54
Tudo o que essa conta , cai por terra, devido a tantas mentiras. Maquiavelica e cruel , engedrou com seus filhos a traição e de forma cruel e covarde executou o plano. Ao ve-lo desacordado, ao inves de ligar pro SAMU, se preocupou com seu proprio bem estar ligando para seu advogado. Mulher de altissima periculosidade esta em liberdade e podera fazer de tudo pra não ser presa, inclusive praticar novos crimes juntamente c o executor do homicídio seu proprio filho.Está sendo facil sair impunes desses crimes, pois nossas leis arcaicas são muito benevolente com os criminosos, pois basta matar e se apresentar tres dias depois, dizer, em prantos e chorosa, que a vitima estava drogado, cachaceiro, violento, cansada de ser surrada, pra ficar impune!
 
samuel gomes-sidrolandia-MS em 20/02/2014 09:54:55
Na outra entrevista essa mulher assumiu a covardia, agora fala que foi o filho, teve dois dias para se apresentar-se a justiça, ou seja armar toda a farsa. Quem vai acreditar numa mulher que só conta mentiras? Morto não pode se defender né? CADEIA PARA OS DOIS: MÃE E FILHO
 
Eliane Arruda em 20/02/2014 09:39:42
Quem procura acha...esse cara ai teve o que mereceu, ja rapaz só fez o seu papel, defender a mãe!!
Eu tb pela minha família faria o mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
cristina alves em 20/02/2014 09:05:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions