A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

01/09/2016 22:36

Manifestação em memória do indígena Simião Vilhalva é realizada na Capital

Liderança foi assassinado ano passado na terra indígena Nanderú Marangatú, em Antônio João

Fernanda Yafusso e Nyelder Rodrigues
Grupo se reuniu na Praça Ary Coelho para cobrar respostas sobre assassinato de indígena (Foto: Fernando Antunes)Grupo se reuniu na Praça Ary Coelho para cobrar respostas sobre assassinato de indígena (Foto: Fernando Antunes)

Nesta quinta-feira (1), um grupo de manifestantes realizaram um ato público na esquina da rua 14 de Julho com a avenida Afonso Pena, em frente a praça Ary Coelho, em memória do líder indígena Simião Vilhalva, morto no ano passado em Antônio João.

O grupo composto por cerca de 20 manifestantes realizou um enterro simbólico para retratar a morte do indígena. Alguns carregaram cartazes com os dizeres "Quem matou Simião Vilhalva?" e "1 ano de impunidade, a impunidade é mais dolorosa que a morte". 

O crime até o momento não foi esclarecido, e o ato visa lembrar também a impunidade dos assassinatos indígenas que ocorreram em Mato Grosso do Sul ao longo dos anos.

O ato na Capital foi convocado pelo Coletivo Terra Vermelha e a manifestação contou com a apoio de outras entidades como o Centro de Defesa dos Direitos Humanos Marçal de Souza, Conselho Indigenista Missionário, Frente Brasil Popular, Centro de Documentação e Apoio aos Movimentos Populares e estudantes e professores do curso de Artes da UFMS, entre outros.

Crime - Simião foi morto com um tiro na cabeça em um ataque à comunidade indígena Nanderú Marangatú, logo após a realização de uma reunião entre fazendeiros que aconteceu no sindicato rural de Antônio João.

O fato teve grande repercussão e obrigou o Governo Federal a intervir na região com tropas do Exército para impedir a continuidade dos ataques aos indígenas, que poderiam resultar em mais mortes.

Morte de indígena foi realizada de forma simbólica (Foto: Fernando Antunes)Morte de indígena foi realizada de forma simbólica (Foto: Fernando Antunes)
Ato reuniu manifestantes no cruzamento da rua 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena (Foto: Fernando Antunes)Ato reuniu manifestantes no cruzamento da rua 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena (Foto: Fernando Antunes)
Criança indígena foi morta com tiro acidental disparado por adolescente
A pessoa indígena que morreu ontem em Caarapó, a 283 km de Campo Grande, foi uma menina de 9 anos, vítima de um disparo acidental feito por um adoles...
Indígenas bloqueiam BR-262 em protesto para cobrar governo federal
Aproximadamente 30 indígenas bloqueiam neste momento a BR-262, no quilômetro 528, próximo ao município de Miranda em protesto para cobrar medidas do ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions