ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  07    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Manifestantes orientam população sobre protesto e esperam 35 mil

Por Aliny Mary Dias | 20/06/2013 08:50
Manifestantes se organizam para passeata (Foto: Arquivo Pessoal)
Manifestantes se organizam para passeata (Foto: Arquivo Pessoal)


Após a “revolta online” de alguns participantes do protesto marcado para a tarde desta quinta-feira (20) na Capital, em relação aos cinco jovens que se apresentaram à Polícia Militar como organizadores da manifestação, os próprios manifestantes se organizam e fazem recomendações para as 35 mil pessoas que confirmaram presença no movimento.

As dúvidas de muitos manifestantes se transformaram em enquetes e espaço de discussão entre os usuários. A presença de crianças na passeata, por exemplo, foi tema de debate na página do evento no Facebook.

A maioria orienta aos manifestantes que não levem as crianças para evitar acidentes já que correria durante possíveis confrontos representam riscos para os pequenos.

Outras recomendações para a manifestação foram divulgadas em uma nota oficial postada por um dos organizadores do evento. O texto assinado pela organização do “I Ato Público de Apoio a Manifestação Nacional - Campo Grande, MS”, afirma que o itinerário da passeata será definido em conjunto com todos os manifestantes.

Outro item de discussão é em relação às bandeiras e camisetas de partidos. Os manifestantes afirmam que o protesto é apartidário e quem estiver com símbolos políticos serão retirados da passeata ou deverão se desfazer dos símbolos. Há ainda os mais radicais que defendem a queima de bandeiras ou camiseta.

A organização do evento pede ainda que as pessoas levem cartazes com palavras de ordem e que expressam a indignação com os serviços públicos nas frases. O trecho retirado do hino nacional “Verás que um filho teu não foge à luta” é o mais votado entre os manifestantes para ser escrito nos cartazes.

Policiamento – Durante entrevista coletiva na tarde de ontem (19), o comandante da Polícia Militar, Coronel Carlos Alberto Davi, afirmou que agentes da Ciptran (Companhia Independente de Polícia de Trânsito) irão orientar os motoristas que estiveram pela região para os caminhos alternativos.

A polícia garantiu que a tropa de choque não será usada durante a passeata e os policiais irão acompanhar a multidão de forma pacífica.

Nos siga no Google Notícias