ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  16    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Menos de 1 mês depois, traficante que matou criança atropelada vira réu

Por Jeozadaque Garcia | 20/03/2012 20:33

Magno Henrique Martins dos Santos atropelou e matou Rayane de Amorim Piccelli Pereira, de 6 anos, durante perseguição policial

Magno foi denunciado por homicídio triplamente qualificado. (Foto: Marlon Ganassin)
Magno foi denunciado por homicídio triplamente qualificado. (Foto: Marlon Ganassin)

O MPE (Ministério Público Estadual) ofereceu denúncia à Justiça contra o traficante Magno Henrique Martins dos Santos, de 28 anos, que atropelou e matou Rayane de Amorim Piccelli Pereira, de 6 anos, durante perseguição policial em Campo Grande no dia 28 de fevereiro.

Magno foi denunciado por homicídio triplamente qualificado, já que atropelou por motivo torpe, meio cruel e com recurso que dificultou a defesa da vítima.

Foragido da Justiça de Rio Verde de Mato Grosso, Magno tentava escapar dos policiais quando atropelou a criança no bairro Nova Lima. Conforme a denúncia do MPE, ele “propositadamente atropelou a vítima, arremessando-a por vários metros à frente de sua motocicleta”.

“O denunciado cometeu o delito impelido por motivo torpe, pois matou a vítima com o fim de que os policiais que estavam em seu encalço, parassem de persegui-lo”, continua.

Após o atropelamento, a menina foi socorrida ainda com vida e levada para a Santa Casa. Ela faleceu no final da noite com várias lesões: traumatismo craniano grave, lesões na face e no tórax, além de machucados na coxa esquerda.

Magno teve sua prisão preventiva decretada ainda no início de março.

Solto - Mesmo com mandado de prisão expedido, Magno estava em liberdade por conta de uma falha na comunicação entre Polícia e Judiciário. No dia 6 de fevereiro, ele foi levado até a 2ª DP (Delegacia de Polícia) por violência doméstica. A ocorrência foi registrada e Magno responsabilizado, mas, como não havia nada no sistema contra ele, foi liberado.

A Polícia não sabia que Magno estava foragido porque não existe um sistema on-line interligando Justiça e Polícia. Se os mandados de prisão fossem inseridos diretamente no banco de dados policial, Magno estaria preso no dia 28 de fevereiro, quando atropelou a menina.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário