A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/03/2013 12:29

No segundo júri, acusado de matar agente penitenciário é absolvido

Nadyenka Castro
João Bosco, de camiseta branca, no julgamento realizado em 2012. (Foto: Pedro Peralta)João Bosco, de camiseta branca, no julgamento realizado em 2012. (Foto: Pedro Peralta)

João Bosco Sanábria de Carvalho foi absolvido em júri popular realizado nesta sexta-feira, pela morte do agente penitenciário Ângelo Aparecido Lemes Galarza Perez, ocorrido no dia 20 de junho de 2004, em Campo Grande. Foi o segundo julgamento de João Bosco pelo mesmo crime.

Em março do ano passado, João Bosco Sanábria foi condenado a 17 anos de prisão pelo assassinato do agente. A defesa dele não concordou e recorreu ao TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que determinou a realização de novo julgamento.

De acordo com a acusação, de dentro do presídio, João Bosco mandou matar Ângelo, o qual foi morto com 12 tiros quando estava em um lava-jato localizado na rua Mascarenhas de Moraes, em Campo Grande. A investigação sobre o caso só foi concluída seis anos depois.

Acusado de ser o autor dos disparos, Marcos Júnior Mendes de Souza está foragido. O homem apontado como intermediador do crime foi encontrado morto alguns meses após o assassinato de Ângelo.

João Bosco Sanábria de Carvalho é apontado como integrante da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e foi um dos líderes das rebeliões ocorridas em presídios do Estado no Dia das Mães de 2006. Ele estava em Três Lagoas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions